Tag: serviço

Esperança para a Turquia

Uma pesquisa rápida no google e você ficará consternado diante de tantas notícias tristes sobre os refugiados na Turquia. Embora o quadro seja triste, há esperança para a Turquia.

Essa esperança tem se manifestado na Turquia por meio da presença de missionários do mundo.

Esses irmãos, movidos pelo Espírito Santo têm trabalhado para levar socorro físico, material, emocional e espiritual aos refugiados.

São milhares de famílias que estão deixando a Síria e indo para Turquia em busca de uma nova vida.

Entretanto, o país Turco já não consegue assistir a todos o

Pastor Jackson contando sua experiência na Turquia

s refugiados. Esses, por sua vez, tentam atravessar o mar em busca de ajuda na Grécia.

Nessa travessia, infelizmente, muitos morrem e os que conseguem completar o trajeto têm outras desafios no campo de refugiados.

E é em meio a essas situações na Turquia que o pastor Jackson Marques, da Jocum (MG) foi chamado para pregar o Evangelho.

 

Por isso, no princípio deste ano fez uma viagem até o país para conhecer melhor a situação e a realidade dos refugiados.

Infelizmente, como o pastor se deparou com famílias destruídas e crianças desamparadas, pois perderam toda a família.

Essas crianças chegam aos campos de refugiados com traumas emocionais sérios que culmina, em muitos casos, no suicídio.

Por isso, assim como o pastor Jackson, Jesus recrutou outros irmãos para levar esperança para a Turquia.

Esperança para corações feridos, desolados, sem expectativa, sem a vida de Deus.

A Turquia não é um país totalmente fechado ao Evangelho, por isso, esse é o tempo de Deus para que missionários cheguem, se estabeleçam e comecem a trabalhar.

O público alvo do trabalho do pastor Jackson e sua família serão as crianças refugiadas. O objetivo é trata-las emocionalmente e espiritualmente.

E isso se dará por meio da pessoa do Senhor Jesus e do Evangelho.

O caminho para chegar ao coração dessas crianças não será fácil, por isso é necessário preparo espiritual e a intercessão da igreja.

É a oração que vence as barreiras das trevas, quebranta corações e possibilita que a semente da Palavra frutifique.

Portanto, desde já , você está convocado (a) para ser um intercessor e colaborador dessa missão.

Ore pelas crianças refugiadas na Turquia, pelos missionários que lá trabalham e pelo pastor Jackson e sua família.

Sua oração fará toda a diferença, pois auxiliará os irmãos a ganharem almas para Jesus e trata-las com o amor do Senhor.

A seguir, ouça a mensagem ministrada pelo pastor Jackson e saiba mais sobre essa missão!

 

Ouça a mensagem Esperança para a Turquia:

 

Comunicação CERV

Ganhando almas pela dor

Ganhando almas pela dor, assim tem sido a vida de muitos missionários espalhados sobre a Terra.

 

Debaixo de perseguição, sofrimento, perdas, escassez, muitos irmãos têm pregado o Evangelho por amor a Cristo e as almas.

 

 

 

Esses irmãos deixam tudo para cumprir a vontade do Senhor Jesus: Ir por todo o mundo e pregar o Evangelho.

 

 

 

Em Atos, capítulo 16, versos 16 ao 40, nos é apresentado o testemunho de Paulo e Silas.

 

Esses dois homens eram servos do Senhor e por pregarem o Evangelho, passaram por muitas dores, vejamos a seguir:

 

“Certo dia, indo nós para o lugar de oração, encontramos uma escrava que tinha um espírito pelo qual predizia o futuro. Ela ganhava muito dinheiro para os seus senhores com adivinhações.
Essa moça seguia a Paulo e a nós, gritando: “Estes homens são servos do Deus Altíssimo e lhes anunciam o caminho da salvação”.
Ela continuou fazendo isso por muitos dias. Finalmente, Paulo ficou indignado, voltou-se e disse ao espírito: “Em nome de Jesus Cristo eu lhe ordeno que saia dela! “
No mesmo instante o espírito a deixou.
Percebendo que a sua esperança de lucro tinha se acabado, os donos da escrava agarraram Paulo e Silas e os arrastaram para a praça principal, diante das autoridades.
E, levando-os aos magistrados, disseram: “Estes homens são judeus e estão perturbando a nossa cidade, propagando costumes que a nós, romanos, não é permitido aceitar nem praticar”.
A multidão ajuntou-se contra Paulo e Silas, e os magistrados ordenaram que se lhes tirassem as roupas e fossem açoitados.
Depois de serem severamente açoitados, foram lançados na prisão. O carcereiro recebeu instrução para vigiá-los com cuidado.
Tendo recebido tais ordens, ele os lançou no cárcere interior e lhes prendeu os pés no tronco.
Por volta da meia-noite, Paulo e Silas estavam orando e cantando hinos a Deus; os outros presos os ouviam.
De repente, houve um terremoto tão violento que os alicerces da prisão foram abalados. Imediatamente todas as portas se abriram, e as correntes de todos se soltaram.
O carcereiro acordou e, vendo abertas as portas da prisão, desembainhou sua espada para se matar, porque pensava que os presos tivessem fugido.
Mas Paulo gritou: “Não faça isso! Estamos todos aqui! “
O carcereiro pediu luz, entrou correndo e, trêmulo, prostrou-se diante de Paulo e Silas.
Então levou-os para fora e perguntou: “Senhores, que devo fazer para ser salvo? “
Eles responderam: “Creia no Senhor Jesus, e serão salvos, você e os de sua casa”.
E pregaram a palavra de Deus, a ele e a todos os de sua casa.
Naquela mesma hora da noite o carcereiro lavou as feridas deles; em seguida, ele e todos os seus foram batizados.
Então os levou para a sua casa, serviu-lhes uma refeição e com todos os de sua casa alegrou-se muito por haver crido em Deus.
Quando amanheceu, os magistrados mandaram os seus soldados ao carcereiro com esta ordem: “Solte estes homens”.
O carcereiro disse a Paulo: “Os magistrados deram ordens para que você e Silas sejam libertados. Agora podem sair. Vão em paz”.
Mas Paulo disse aos soldados: “Sendo nós cidadãos romanos, eles nos açoitaram publicamente sem processo formal e nos lançaram na prisão. E agora querem livrar-se de nós secretamente? Não! Venham eles mesmos e nos libertem”.
Os soldados relataram isso aos magistrados, os quais, ouvindo que Paulo e Silas eram romanos, ficaram atemorizados.
Vieram para se desculpar diante deles e, conduzindo-os para fora da prisão, pediram-lhes que saíssem da cidade.
Depois de saírem da prisão, Paulo e Silas foram à casa de Lídia, onde se encontraram com os irmãos e os encorajaram. E então partiram”.
Paulo e Silas, nesse relato bíblico, estavam ganhando almas pela dor, dor física, que lhes deram uma família para Cristo.
Mesmo em meio a dor, Deus tinha um propósito: salvar uma família.
Porém, Ele precisava de pessoas com um coração missionário, dedicado ao IDE, com amor e por amor.
Será que seu coração está amando Deus e as almas? O que tem feito para levar Jesus a outras pessoas?
Ouça a mensagem ‘Ganhando almas pela dor’ e pense se você tem pregado o evangelho:

 

 

Comunicação CERV

Quando DEUS nos poda

“Eu sou a videira verdadeira, e meu Pai é o agricultor. Todo ramo que, estando em mim, não dá fruto, ele corta; e todo que dá fruto ele poda, para que dê mais fruto ainda.”  (Jo 15.1,2)

Este texto nos ensina que o ramo que não dá fruto o Senhor corta, mas o que está dando fruto Ele poda. O ramo que frutifica é aquele que está na igreja e vive o evangelho. Para esse Deus tem mais. Não importa o quanto você é frutífero no Reino, por meio da poda do Agricultor, você pode dar mais fruto.

Em paisagismo e jardinagem, a poda é a prática de remover partes doentes, não produtivas ou indesejadas de uma planta. A proposta é dar forma à planta, controlando ou direcionando o seu crescimento, mantendo sua saúde ou aumentando o rendimento e qualidade das flores e frutos. É interessante pensar que, mesmo dando fruto, galhos e partes doentes se desenvolvem num ramo de forma que ele necessite de poda. Se a poda não for feita, essas partes poderão impedi-lo de dar mais fruto.

Pedro experimentou isso ao ser alertado por Jesus acerca de sua negação. Contudo, afirmou sua autossuficiência dizendo que jamais O negaria. Sobre isso Jesus disse:

“Simão, Simão, Satanás pediu vocês para peneirá-los como trigo. Mas eu orei por você, para que a sua fé não desfaleça. E quando você se converter, fortaleça os seus irmãos” (Lc 22 31,32).

Observe que Jesus não orou para que a situação não acontecesse, mas para que a fé de Pedro não desfalecesse. Veja também a expressão “peneirar como trigo”. Na peneira há uma seleção: retira-se do trigo o que não é bom, restando ao final apenas o grão puro. Logo, a peneira nos traz a mesma ideia da poda. Pedro não seria destruído pela situação, mas peneirado ou podado para que pudesse ser um excelente grão de trigo e assim fortalecesse os seus irmãos.

No processo de amadurecimento espiritual passamos por “peneiras” que, embora num primeiro momento pareça nos destruir, ao final, será apenas uma poda de impurezas que redundarão em um cristão melhor e mais maduro, capaz de frutificar e abençoar a muitas vidas!

Drummond Lacerda

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén