Tag: ressuscitou

Cristo ressuscitou, aleluia!

Cristo ressuscitou, aleluia! Essa é uma novidade de esperança!

Se Cristo não tivesse ressuscitado o que seria da humanidade? Teriam todos perecido em seus pecados.

Entretanto, desde a época que Cristo morreu e ressuscitou, até hoje, há pessoas que questionam a veracidade desse fato.

No período que o apóstolo Paulo viveu teve que enfrentar esse tipo de questionamento na igreja de Corínto.

Havia membros da igreja duvidando da morte e ressurreição de Jesus, então o apóstolo escreve a seguinte explicação, em sua primeira carta a igreja:

 

“Mas, pela graça de Deus, sou o que sou, e sua graça para comigo não foi em vão; antes, trabalhei mais do que todos eles; contudo, não eu, mas a graça de Deus comigo.
 
Portanto, quer tenha sido eu, quer tenham sido eles, é isto que pregamos, e é isto que vocês creram.
 
Ora, se está sendo pregado que Cristo ressuscitou dentre os mortos, como alguns de vocês estão dizendo que não existe ressurreição dos mortos?
 
Se não há ressurreição dos mortos, então nem mesmo Cristo ressuscitou;
e, se Cristo não ressuscitou, é inútil a nossa pregação, como também é inútil a fé que vocês têm.
 
Mais que isso, seremos considerados falsas testemunhas de Deus, pois contra ele testemunhamos que ressuscitou a Cristo dentre os mortos.
 
Mas se de fato os mortos não ressuscitam, ele também não ressuscitou a Cristo.
 
Pois, se os mortos não ressuscitam, nem mesmo Cristo ressuscitou.
E, se Cristo não ressuscitou, inútil é a fé que vocês têm, e ainda estão em seus pecados”  (1 Co 15.10-17).
Se Cristo não tivesse ressuscitado, como Paulo escreveu a humanidade teria morrido em seus pecados, sem perdão de Deus.
 
 
A humanidade estaria numa condição deplorável e sem possibilidade alguma de serem filhos e pertencentes a família de Deus.
 
 
Se não houvesse a ressurreição toda a pregação do Evangelho, desde Cristo até a atualidade, foi e é inútil.
 
 
Todas as pessoas que têm ouvido e crido na pregação a respeito da pessoa de Jesus, podem testificar da transformação pela qual passaram.
 
 
De onde viria essa transformação? Homem algum, por mais sábio e capacitado que seja, não consegue transformar a si mesmo ou ao próximo.
 
 
Somente uma obra sobrenatural é capaz de mudar o coração do ser humano.
 
 
Por isso, aqueles que recebem Jesus em seu coração podem declarar com alegria:
 
Cristo ressuscitou, aleluia!
Pois, foi por meio dessa morte e ressurreição, que as pessoas receberam perdão, uma nova vida e a esperança de uma vida eterna.
Por isso, não apenas no dia oficial que é celebrada a ressurreição de Cristo, todos os dias, os filhos de Deus, devem celebrar, com alegria a ressurreição de Jesus.
Por que Ele vive, você pode crer num hoje, num amanhã e num futuro de esperança e vida!
Ouça a mensagem ‘Cristo ressuscitou, aleluia’ e tenha sua esperança renovada:

 

Comunicação CERV

Cristo: a viva esperança

Cristo: a viva esperança! Sim, aquele que estava morto e foi ressuscitado ao terceiro dia. O plano de Deus para resgatar o homem encontrou sua plena realização.

Para muitos a morte de Cristo significou o fim da esperança, de um novo tempo. Entretanto a ressurreição aconteceu para mostrar o contrário.

Os discípulos que caminharam com Jesus por três anos haviam perdido a esperança, muitos voltaram a velha vida.

Porém, ao reverem a Cristo foi reacendido em seus coração a esperança. E com essa esperança  e após o batismo com o Espírito Santo. Eles começaram a pregar a respeito dessa esperança

E foi para isso que Jesus ressuscitou: para conceder a humanidade a esperança que o mundo não pode dar.

Apesar de muitas pessoas saberem dessa verdade, ainda possuem um coração desesperançoso. Mesmo aquelas que um dia foram ressuscitados em Cristo, permitem essa desesperança ocupar seus corações.

E, hoje, muitos têm abandonado Cristo, a viva esperança por motivos muitas das vezes banais. Desvalorizando, assim, essa entrega de Jesus na cruz para resgate da humanidade.

Há aqueles ainda que afirmam caminhar com Cristo, entretanto já não concedem espaço para Jesus, deixando-O em último plano.

Cristo, a viva esperança ressuscitou, Ele vive! E será que você tem valorizado a morte e ressurreição de Cristo?

Leia a respeito da crucificação de Cristo

Ele tem sido a razão do seu viver? Ou você facilmente tem trocado a presença do Senhor por pessoas e coisas que te afastam Dele?

Será que você está precisando que Cristo ressuscite a sua vida espiritual? Seu casamento? Sua família?

Cristo, a viva esperança te chama para estar com Ele, para viver para Ele e para transmitir essa esperança para todo o mundo.

Sem Cristo, não há esperança, mas como Ele a vitória sobre o mal, as dores, a morte é possível!

Ouça a mensagem Cristo: a viva esperança e permita que o Espírito Santo ressuscite a esperança em seu coração:
Conheça o nosso ministério, faça-nos uma visita! Estamos localizados à Rua Érico Veríssimo, 1167 – Santa Mônica. Mais informações, ligue: (31) 3451-5956 ou envie um e-mail para: contato@restaurandovidascerv.com.br 

A Ressurreição de Cristo

A ressurreição de Cristo é o seu grito de triunfo sobre a morte. É a prova cabal de que sua morte foi eficaz, de que seu sacrifício vicário foi perfeito e de que a porta da esperança está aberta para nós.

Não adoramos o Cristo preso na cruz nem o Cristo vencido pela morte. Jesus ressuscitou. Ele está à destra de Deus, de onde voltará com grande poder e glória. Vamos abordar essa magna doutrina da ressurreição sob três perspectivas:

1. A ressurreição de Cristo é um fato inegável (1Co 15.1-8) – Cristo morreu, foi sepultado e ressuscitou segundo as Escrituras. Sua morte e ressurreição não foram um acidente, mas uma agenda.

Ele não morreu como um mártir, o Pai o entregou e ele voluntariamente se deu. Sua morte foi pública e sua ressurreição confirmada por várias testemunhas. Nossa fé não está fundamentada num mito.

O alicerce da nossa esperança não está numa lenda. Os céticos tentam desesperadamente negar essa verdade incontroversa. Alguns dizem que Jesus não chegou a morrer, mas apenas teve um desmaio na cruz.

Outros dizem que os discípulos roubaram o corpo de Cristo. Ainda outros dizem que as mulheres foram ao túmulo errado e divulgaram a notícia de que sua sepultura estava aberta.

As trevas do engano, entretanto, não podem prevalecer contra a luz da verdade. Jesus está vivo. A realidade de sua ressurreição mudou a vida daqueles discípulos pusilânimes. Dominados pela convicção da vitória de Cristo sobre a morte, eles tornaram-se homens ousados e enfrentaram com galhardia os açoites, as prisões e o martírio.

2. A ressurreição de Cristo é um fato indispensável (1Co 15.12-20a) – O apóstolo coloca o machado da verdade na raiz do falso pensamento grego acerca da ressurreição.

Pelo fato de eles considerarem a matéria má e o corpo como cárcere da alma, não aceitavam a ressurreição do corpo. Paulo argumenta que se não há ressurreição do corpo, então Cristo não ressuscitou, e se Cristo não ressuscitou é vã nossa pregação e a nossa fé.

Se Cristo não ressuscitou somos falsas testemunhas de Deus. Se Cristo não ressuscitou ainda permanecemos nos nossos pecados. Se Cristo não ressuscitou os que dormiram em Cristo pereceram.

Se a nossa esperança em Cristo se limita apenas a esta vida, somos os mais infelizes de todos os homens. Mas, de fato Cristo ressuscitou dentre os mortos. A ressurreição de Cristo é a pedra de esquina que mantém o edifício do cristianismo de pé.

O túmulo vazio de Cristo é o berço da igreja. Porque Cristo ressuscitou, a morte não tem a última palavra. Porque Cristo ressuscitou o túmulo gelado não é nosso destino. Caminhamos não para um ocaso lúgubre, mas para uma manhã radiosa de imortalidade e gozo eterno.

3. A ressurreição de Cristo é um fato incomparável (1Co 15.20b-28) – Cristo levantou-se da morte como primícias dos que dormem. Ele abriu o caminho e após ele seguiremos.

Como morremos em Adão, seremos vivificados em Cristo. Quando ele vier em sua majestade e glória, os mortos ouvirão dos túmulos a sua voz e sairão, uns para a ressurreição da vida e outros para a ressurreição do juízo.

Ao vencer a morte, ele tirou o aguilhão da morte e matou a morte com sua morte, triunfando sobre ela na ressurreição. Sua ressurreição é a garantia da nossa ressurreição.

À semelhança dele teremos, também, um corpo de glória. Nosso corpo será imortal, incorruptível, poderoso, glorioso, espiritual e celestial. Vamos brilhar como as estrelas no firmamento e como o sol no seu fulgor.

Caminhamos, portanto, não para um horizonte pardacento, mas para um céu de glória, onde estaremos com Cristo eternamente e com ele reinaremos para sempre!

Não podemos nos esquecer do favor de Cristo

Hernandes Dias Lopes

Nossa igreja fica à Rua Érico Veríssimo, 1167 – Santa Mônica. Mais informações ligue: (31) 3451-5956 ou envie um e-mail para: contato@restaurandovidascerv.com.br

A morte não tem a última palavra

Jesus ressuscitou!

Os gregos acreditavam na imortalidade da alma, mas não na ressurreição do corpo. Consequentemente, negavam doutrinas basilares da fé cristã, como a criação, a encarnação e a ressurreição. A igreja de Tessalônica, fortemente influenciada pela cultura grega, experimentava um abalo nas suas convicções relativas à ressurreição dos mortos. Assim, o apóstolo Paulo escreve à igreja para corrigir esse desvio doutrinário e consolar os irmãos. Vejamos algumas verdades por ele destacadas:

Primeira, a doutrina de ressurreição é uma revelação divina e não humana (1Ts 4.15): o futuro do povo de Deus não é o tormento do fogo eterno e nem o túmulo gelado, mas a glória de Deus. Quando Jesus voltar, os vivos serão transformados e os mortos ressuscitarão com um corpo imortal.

Segunda, a segunda vinda de Cristo é uma realidade inegável e inescapável (1Ts 4.16a): Jesus voltará visível, audível, física, inesperada, repentina e gloriosamente. Quando Ele voltar, os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro e os que estiverem vivos serão transformados e arrebatados para encontrar o Senhor nos ares. A segunda vinda de Jesus fechará as cortinas da história e abrirá os portais da eternidade.

Terceira, a ressurreição dos mortos acontecerá imediatamente após a segunda vinda de Cristo (1Ts 4.16b): aqueles que morrem em Cristo, em critério algum, estão em desvantagem aos que continuam vivos, pois morrer é partir para estar com Cristo, o que é incomparavelmente melhor. E, quando Jesus voltar, eles ressuscitarão antes dos vivos serem transformados e arrebatados.

Leia este artigo e entenda o valor da ressurreição de Cristo!

Quarta, o arrebatamento dos salvos será a manifestação de todos os remidos do Senhor (1Ts 4.17): o arrebatamento é o resultado imediato da segunda vinda. Jesus vem do céu e os salvos vão com Ele para o céu. Subiremos entre nuvens para encontrar nosso Senhor nos ares e, assim, estaremos para sempre com Ele, na Casa do Pai; onde a morte não entrará; onde não haverá mais luto, nem pranto, nem dor.

Paulo termina sua exposição com uma ordem à igreja (1Ts 4.18). Jesus venceu a morte, tirou o seu aguilhão e, por isso, ela não tem a última palavra!

No domingo, às 6 horas da manhã, será realizado o Culto da Ressurreição em nossa igreja. Venha participar conosco e celebrar a Jesus, pois Ele está vivo, Ele ressuscitou!

Nossa igreja fica à Rua Érico Veríssimo, 1167 – Santa Mônica. Mais informações ligue: (31) 3451-5956 ou envie um e-mail para: contato@restaurandovidascerv.com.br

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén