Tag: propósito

Noite de gratidão e alegria

O último domingo do Mês de Missões na CERV foi encerrado em uma noite de gratidão e alegria.

Isso porque cada membro da comunidade entregou no altar de Deus a oferta que preparou durante um ano para os missionários auxiliados pela igreja.

Especial com a missionária Nágila

 

Os irmãos estavam alegres e trajando roupas típicas de um país, estado ou cidade brasileira.

Após o louvor, a missionária Nágila Araújo realizou um especial cantando as músicas: e Se isso não for amor.

 

Saiba a importância de fazer a obra de Deus

Logo em seguida o Pr. Paulo Silas, da JOCUM, trouxe uma mensagem da parte de Deus para a igreja.

Em suma, o pastor, por meio de vários testemunhos, apontou que para fazer missões é necessário obediência e santidade.

Pr. Paulo Silas – preletor da noite

Além disso, ressaltou que sem o Espírito Santo é impossível cumprir o Ide do Senhor Jesus.

A seguir ouça em detalhes essa mensagem e a Palavra que o Espírito Santo ministrou na igreja:

 

Para encerrar a noite, toda a comunidade entregou no altar sua oferta missionária, resultado de um ano de dedicação.

Seja vendendo, realizando algum serviço ou guardando um valor por mês, cada um fez o seu melhor para o Senhor.

Essa dedicação era visível também nos envelopes e caixas decoradas que os irmãos utilizaram para entregar a oferta.

E não foram apenas os adultos, as crianças, incentivadas pelos pais, também levaram sua oferta de amor.

Conheça o trabalho da Jocum Contagem

Dentre todos os irmãos, uma irmã em especial se destacou pela alegria e exemplo: a obreira Quita.

 

Obreira Quita

Essa irmã possui apenas uma perna e limitada em movimentos, porém, isso não a impede de servir ao Senhor.

 

 

Com suas mãos ela trabalha semanalmente fazendo pães, bolos, salgados e tortas com o propósito de vender para missões.

Ano passado, a irmã entregou uma das maiores ofertas da igreja e este ano seu alvo era superar o que alcançou em 2017.

“Desde o dia 1º de outubro de 2017 estou trabalhando por esta oferta e hoje, diante do altar do Senhor, estou entregando o fruto do meu esforço e amor. Agora estou orando para que a igreja supere a oferta do ano passado”, contou a obreira Quita.

Para a pastora Graça Pitzer, este ano o mês de missões superou as expectativas. “Sempre dizemos que um ano sempre supera o outro e isso acontece porque o nosso Deus sempre nos surpreende e nos presenteia com mensagens e testemunhos gloriosos. Agradeço aos amados que oraram, jejuaram e apresentaram o seu melhor para o nosso Senhor. Que Ele possa retribuí-los mil vezes mais, em nome de Jesus”, finalizou a pastora.

Momento da entrega das ofertas para missões

A comunidade encerra essa noite de gratidão e amor com grandes expectativas para o resultado final das ofertas. O resultado será dado no próximo domingo (1), às 19 horas, na CERV.

 

O Mês de Missões é realizado anualmente na CERV, em setembro.

Comunicação CERV

O tempo do chamado de Deus

O tempo do chamado de Deus já está determinado para cada um dos seus filhos.

Antes mesmo dos seus filhos chegarem a este mundo, o Senhor já desenhou o propósito específico de cada um. 

Não existe atraso ou adiantamento, tudo acontece na hora certa, no período certo.

O importante é estar em Deus, fazendo a obra Dele e com atenção a voz do Espírito Santo.

Isso aconteceu na vida dos apóstolos Paulo e Barnabé enquanto serviam a Deus na Igreja de Antioquia:

 

“Na igreja de Antioquia havia profetas e mestres: Barnabé, Simeão, chamado Níger, Lúcio de Cirene, Manaém, que fora criado com Herodes, o tetrarca, e Saulo.
 
Enquanto adoravam ao Senhor e jejuavam, disse o Espírito Santo:
“Separem-me Barnabé e Saulo para a obra a que os tenho chamado”.
 
Assim, depois de jejuar e orar, impuseram-lhes as mãos e os enviaram.
 
Enviados pelo Espírito Santo, desceram a Selêucia e dali navegaram para Chipre” (Atos 13.1-4).
 
Paulo e Barnabé estavam na igreja, servindo como mestres e profetas até que o Espírito Santo os chamou.
 
Esses homens tinham compromisso com a obra e no tempo de Deus foram enviados às nações para proclamar o Evangelho.
 
A Bíblia afirma que Jesus já havia declarado a Paulo  que ele pregaria o Evangelho aos gentios (At 9.15).
 
 
Porém, antes desse chamado se cumprir, Paulo precisou passar por um período de mudanças e aprendizados.
 
Talvez esse seja o seu caso, quem sabe Deus está te capacitando para cumprir com excelência o seu chamado?
 
Outra informação importante do texto de Atos é que o chamado partiu do Espírito Santo e não de homens.
 
Por isso, os filhos de Deus devem aprender a ouvir e a discernir a voz do Espírito Santo.
 
E essa orientação, vale para o chamado. Portanto, não tente dar uma força ou ajuda para o Senhor, Ele sabe a hora certa de te enviar!
 
Ainda no texto é possível notar que Paulo e Barnabé são abençoados pelos irmãos, ou seja, têm o apoio da igreja para o chamado de Deus!
 
Por isso, não faça nada sem a direção do Espírito Santo e principalmente, sem a ajuda da sua igreja.
Ninguém faz a obra do Senhor sozinho. É necessário ir, como Paulo e Barnabé, mas também é fundamental o sustento (espiritual e material) por meio dos que ficam.
Portanto, a partir desse texto e pregação,  tenha o discernimento de que há o tempo do chamado de Deus!
Ouça  A MENSAGEM ‘O tempo do Chamado de Deus’ :

 

Comunicação CERV

O propósito maior de uma provação

O propósito maior de uma provação é que, em primeiro lugar, a pessoa enxergar a provação pela ótica de Deus.

A seguir, leia o texto de Tiago, capítulo 1, versos de 1 ao 12:

 

“Meus irmãos, considerem motivo de grande alegria o fato de passarem por diversas provações,
 
 
pois vocês sabem que a prova da sua fé produz perseverança.
 
 
E a perseverança deve ter ação completa, a fim de que vocês sejam maduros e íntegros, sem lhes faltar coisa alguma.
 
 
 Se algum de vocês tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá livremente, de boa vontade; e lhe será concedida.
 
 
 Peça-a, porém, com fé, sem duvidar, pois aquele que duvida é semelhante à onda do mar, levada e agitada pelo vento.
 
 
Não pense tal homem que receberá coisa alguma do Senhor;
é alguém que tem mente dividida e é instável em tudo o que faz.
 
 
O irmão de condição humilde deve orgulhar-se quando estiver em elevada posição.
 
 
E o rico deve orgulhar-se se passar a viver em condição humilde, porque passará como a flor do campo.
 
  
Pois o sol se levanta, traz o calor e seca a planta; cai então a sua flor, e é destruída a beleza da sua aparência. Da mesma forma o rico murchará em meio aos seus afazeres.
 
 
Feliz é o homem que persevera na provação, porque depois de aprovado receberá a coroa da vida que Deus prometeu aos que o amam”
 
 
As provações citadas por Tiago nos versículos acima se refere a situações externas que podem atingir o homem.
 

E o ser humano deve observar as provações com bons olhos, pois a finalidade de Deus é sublime.

 
 
Mas, como ver algo que causa dor, tristeza e dificuldades com alegria?
 
 
 
 
 
Entender que a finalidade é tornar o homem maduro, íntegro e completo em seu caráter e vida espiritual.
 
 
E em meio as provações é necessário pedir ao Senhor sabedoria para compreender e lidar com essas provas.
 
 
Mas, quais seriam os benefícios de ser provado?
 
 
O livro de Jó, capítulo 1, versos de ao 5, apresenta a resposta a essa questão:
 
 
 
“Havia um homem chamado Jó que vivia na terra de Uz. Ele era íntegro e correto, temia a Deus e se mantinha afastado do mal.
 
 
Tinha sete filhos e três filhas.
 
  
Era dono de sete mil ovelhas, três mil camelos, quinhentas juntas de bois e quinhentas jumentas. Também tinha muitos servos. Na verdade, era o homem mais rico de toda aquela região.
 
  
Os filhos de Jó se revezavam em preparar banquetes em suas casas e convidavam suas três irmãs para celebrar com eles.
 

Quando terminavam esses dias de festas, Jó mandava chamar seus filhos, a fim de purificá-los. Levantava-se de manhã bem cedo e oferecia um holocausto em favor de cada um deles, pois pensava:

 

“Pode ser que meus filhos tenham pecado e amaldiçoado a Deus em seu coração”. Essa era a prática habitual de Jó”

 

Jó era um homem, reto, íntegro, temente a Deus e se desviava do mal.

 

 
Era um pai, sacerdote, que paga preço pelos seus filhos. Enfim, tinha uma conduta exemplar.
 
 
A Bíblia afirma que, numa reunião realizada no céu, Satanás se apresentou e Deus perguntou se ele tinha visto seu servo Jó.
 
 
E o Senhor o elogia perante o Inimigo. Deus não elogia as posses, riquezas e prosperidade de Jó, mas sim sua conduta e caráter.
 
 
Satanás afirma que Jó só possui esse caráter exemplar por que o Senhor o abençoava, mas que se tirasse tudo ele amaldiçoaria a Deus.
 
 
Porém, o plano do Inimigo foi frustrado, pois mesmo o Senhor autorizando que ele tocasse em tudo que pertencia a Jó, menos em sua vida, o patriarca não amaldiçoou a Deus.
 
 
  
“Em tudo isso, Jó não pecou nem culpou a Deus” (Jó 1.22)
 
 
 
Apesar das provas Jó permaneceu fiel a Deus e escolheu não pecar.
 
 
Satanás, com a autorização de Deus, trouxe uma nova provação para Jó, e tocou em sua saúde.
 
 
E sobre todo o corpo do patriarca apareceram várias feridas que cheiravam mal, ao ponto de transformar a aparência dele.
 
 
A esposa dele foi reprovada, pois afirmou que ele deveria amaldiçoar a Deus e morrer.
 
 
Entretanto, ainda assim, Jó não deu ouvidos a sua esposa e afirmou:
 
 
 
“Você fala como uma mulher insensata. Aceitaremos da mão de Deus apenas as coisas boas e nunca o mal? Em tudo isso, Jó não pecou com seus lábios” (Jó 2. 10).
 
 
Quando se chega ao final do livro de Jó é possível compreender o propósito maior de uma provação:
 
 
“Então Jó respondeu ao Senhor:
 
  
Sei que podes fazer todas as coisas, e ninguém pode frustrar teus planos.
 
  
Perguntaste: ‘Quem é esse que, com tanta ignorância, questiona minha sabedoria?’ Sou eu; falei de coisas de que eu não entendia, coisas maravilhosas demais que eu não conhecia.
 
 
 Disseste: ‘Ouça, e eu falarei! Eu lhe farei algumas perguntas, e você responderá’.
 

Antes, eu só te conhecia de ouvir falar; agora, eu te vi com meus próprios olhos” (Jó 42.1-5).

O propósito maior era de que Jó tivesse maior intimidade e relacionamento com o Senhor.

Pessoas que contemplaram Deus na Bíblia, como por exemplo, Moisés, nunca mais foi o mesmo. Tornou-se libertador do povo de Deus.

O propósito maior de uma provação, no caso de Jó era aproximá-lo do Senhor.

Deus também tem esse propósito para a sua vida, de te aproximar Dele para que você contemple a glória do Senhor.

Ouça a mensagem ‘O propósito maior de uma provação’ e seja edificado:

 

 

Comunicação CERV

Uma vida missionária

Foto: arquivo pessoal

Uma vida missionária, dedicada a serviço do Reino de Deus. Assim tem sido a vida do casal Paulo Roberto Resende e Maria das Graças, missionários de Cristo.

Foram convocados pelo Senhor, ainda jovens, recém-casados, a servirem a Deus numa tribo indígena no Amazonas.

Venderam tudo o que possuíam e renunciaram ao seus sonhos para viver os sonhos de Deus.

Antes de viajarem, a irmã Maria das Graças descobriu que estava grávida e ainda recebeu a notícia de que sua mãe estava enferma.

Sob muitas críticas e palavras negativas, ela escolheu permanecer firme no chamado de Deus e seguiu rumo a missão que Ele tinha para ela e Paulo Roberto.

Acompanhados de duas irmãs, Paula e Marina, viajaram para o Amazonas e lá viveram, quase sete anos, a serviço do Reino.

O primeiro filho do casal, nasceu numa madrugada, na casa que moravam na tribo.

O parto foi realizado por  Paulo Roberto e o bebê, batizado com o nome de Eliatã, nasceu com perfeita saúde, contrariando todas as expectativas negativas que haviam a respeito da criança.

No período que viveram em missões, com os indígenas e ribeirinhos, enfrentaram várias batalhas.

Mas, para a glória de Deus, obtiveram vitórias sobre escassez, doenças e dificuldades.

Entenda a importância de viver para o Reino e pregar o Reino de Deus a toda criatura

Porém, antes de viverem uma vida missionária, foi necessário acontecer transformações individuais.

Maria das Graças, antes de conhecer Paulo já era convertida a Jesus.

Já o  missionário Paulo Roberto estava longe do Senhor, vivendo do crime e tráfico de drogas.

Seu antigo nome era Paulinho Bonfim, como fora apelidado pela polícia militar e imprensa de Belo Horizonte.

Foto: divulgação

Ainda jovem foi resgatado por Jesus Cristo da sua antiga forma de viver e desde então, o seguinte versículo, tem feito parte da sua trajetória cristã:

Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo” (2 Co 5.17).

 

Em maio deste ano celebra mais de 50 anos de conversão e serviço à obra missionária.

Hoje, Paulo Roberto conta suas experiências como missionário atuante no Amazonas, na Itália e em outros lugares do mundo.

Já pregou em várias igrejas brasileiras e em mais de 20 países em todo o mundo.

Nesta mensagem, ele e sua esposa Maria das Graças compartilham a Palavra de Deus e diversos testemunhos de fé e amor à missões.

Conheça mais sobre a história do missionário Paulo Roberto

 Ouça o testemunho ‘Uma vida missionária’ e se inspire na história real de um casal que ama Jesus e as almas:

 

 ‘Uma vida missionária’ Parte 1:
‘Uma vida missionária’ parte 2:

 

Comunicação CERV

Um clamor para que os céus se fendam

O profeta Isaías, num profundo clamor pela intervenção sobrenatural de Deus na vida do seu povo, clamou: “Oh! Se fendesses os céus e descesses!” (Is 64.1). Isaías está sedento pela presença manifesta de Deus. Isaías estava plenamente consciente de que nenhum poder da terra e nenhum recurso dos homens poderia trazer alento para o seu povo a não ser a presença de Deus.

Essa é também a necessidade da igreja hoje. Não nos contentamos com templos bonitos. Não nos satisfaz termos um bom orçamento financeiro. Não é suficiente termos pessoas influentes na sociedade frequentando a igreja. Somente a presença manifesta de Deus pode levantar-nos para uma vida maiúscula e superlativa.

Somente a presença de Deus pode encher-nos de entusiasmo espiritual. Precisamos urgentemente de uma visitação extraordinária de Deus em nossa vida, em nossa família, em nossa igreja. Destacaremos, aqui, três verdades importantes:

1- o clamor pela presença de Deus só pode partir de corações sedentos por Deus.A igreja contemporânea tem sede de muitas coisas, mas está apática pelas coisas de Deus. Substituímos o Deus das bênçãos pelas bênçãos de Deus; o criador pela criatura; o doador pela dádiva. Construímos nossa própria torre de Babel. Celebramos o nosso próprio nome e contentamo-nos com as glórias da terra em vez de buscarmos com sofreguidão a glória do Deus eterno. Ah, que Deus desperte nosso coração dessa letargia espiritual! Que Deus nos acorde desse sono da morte! É tempo de buscarmos o Senhor! É tempo de voltarmo-nos para Deus de todo o nosso coração

2- o clamor pela presença de Deus tem o propósito de sermos inflamados pelo fogo divino.O profeta Isaías clama pela presença de Deus porque tem consciência da necessidade de ser aquecido pela presença manifesta de Deus como os gravetos são inflamados pelo fogo. Quando o Espírito Santo desceu no Pentecoste pousou sobre cada um deles como línguas de fogo. O fogo ilumina, aquece, purifica e alastra. Precisamos urgentemente rogar a Deus para que ele fenda os céus e venha sobre nós nos inflamar, aquecer e despertar para uma vida de entusiasmo espiritual. Não basta fazer a obra de Deus; é preciso fazê-la com entusiasmo. Não basta frequentar a casa de Deus; é preciso ter o coração aquecido. Não basta honrar a Deus com os lábios; é preciso ter o coração derramado na presença de Deus. Ah, falta vitalidade espiritual em nossa vida; falta vida em nossos cultos; falta aquela alegria indizível e cheia de glória em nossa adoração; falta calor espiritual em nossas orações. Que Deus tenha misericórdia de nós e fenda os céus e desça para nos despertar!

3- o clamor pela presença de Deus tem como propósito a vindicação da própria glória de Deus.Isaías ora para que os céus se fendam e clama pela presença manifesta de Deus não apenas para que o povo de Deus seja despertado, mas também, para que as nações reconheçam a glória de Deus e temam o seu nome. Quando Deus fende os céus e desce para inflamar a igreja, a glória de Deus se manifesta entre as nações e os inimigos de Deus temem o seu glorioso nome. Quando a igreja perde seu vigor espiritual, quando seus cultos se tornam apáticos e cheios de formalidade; quando as brasas vivas se cobrem de cinzas e os crentes se tornam apáticos, abandonando o seu primeiro amor, o mundo se insurge contra Deus para zombar de seu santo nome. Ah, é tempo de clamar pela visitação extraordinária de Deus, para que ele fenda os céus e desça a fim de que os inimigos de Deus temam o seu santo nome. O avivamento acontece na igreja, mas transborda para o mundo. Quando Deus inflama o seu povo, o mundo reconhece que o nosso Deus é o único Senhor e teme o seu nome.

Rev. Hernandes Dias Lopes

Aprenda mais sobre o “Clamor para que os céus se fendam”, participe do Cultos dos Seminaristas realizado às quintas, às 21 horas, na CERV. Mais informações ligue: (31) 3504-1341 ou envie um e-mail para: seminarioteologico@restaurandovidascerv.com.br

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén