Tag: morte

Sexta: é o fim

Sexta: é o fim

A esperança de libertação do jugo romano se dissipava na cruz do Calvário

A promessa de uma nova vida de paz estava chegando ao fim

O inicio de um novo reinado, com um rei judeu, estava frustrado

A fome não seria mais saciada

Pessoas não seriam mais libertas

A salvação estava se acabando ali, naquele madeiro

Os sonhos de um novo tempo escorriam pela cruz, junto com o sangue de Jesus Cristo de Nazaré

Saiba mais sobre o dia da crucificação de Cristo

Os céus tornaram-se trevas

Lágrimas escorriam pelos olhos de Maria

Desesperança enchia o coração dos discípulos

Eles não entenderam, ainda havia uma cortina sobre seus olhos e seus corações

Pedro disse: Vou pescar! Outros o seguiram

Alguns dispersos outros escondidos em casa

O sonho acabou …

sexta: é o fim …

Porém, é certo que o domingo chegará!

As palavras ditas sobre Jesus Cristo se cumprirão!

As palavras que Jesus disse sobre si mesmo acontecerão!

O fim, não é o fim, é o começo do novo tempo que Ele prometeu

Esse novo tempo chegaria para os discípulos daquela época

Esse novo tempo chega hoje, para os discípulos da atualidade

A cruz é fim, mas da dor, da enfermidade, das transgressões, dos pecados

Na cruz se morre para renascer, nascer para uma nova vida em Cristo

Sexta: é o fim

Medite na importância da crucificação para a sua vida

O fim da velha natureza pecaminosa, o fim do ego, o fim da doença, o fim da perdição, o fim do pecado

Na cruz que Jesus morreu é onde o seu eu deve morrer

 

Na cruz foi o “fim” de Jesus e também deve ser seu fim

A cruz é fim, o meio pelo qual o ser humano recebe o perdão dos pecados e a salvação

Hoje, olhe para cruz

Ela está vazia

Jesus não está lá

Ele ressuscitou!

Ele vive para o Pai para todo o sempre

Olhe para você

Seu eu está na cruz?

Você vive uma nova vida?

Vive para o Pai para todo o sempre?

Jesus, na cruz, orou ao Pai dizendo:

“Pai, perdoa essa gente, eles não sabem o que fazem”

Jesus não está mais na cruz, mas ao lado direito do Pai

E ainda intercede pelos seus irmãos

Sexta: é o fim

Então ore, peça a intercessão de Jesus junto ao Pai

Ore pelo fim do seu EU, para que você realmente viva para Deus e assim como Jesus, a partir da sua morte, possa nascer para uma nova vida!

Sexta: é o fim

Será também o seu fim e o inicio de uma nova vida?

A escolha é sua!

Kátia Brito

Saiba mais sobre o assunto do texto “Sexta: é o fim”, participe do Culto da Ressurreição, dia 1º de abril, às 6 da manhã, na CERV!

Vivo ou morto

Vivo ou morto. Como você se encontra neste momento na sua caminhada com Deus?

Neste tempo que já caminha com o Senhor, quais foram as promessas, palavras e sonhos que Ele deu a você e, a medida que os anos se passaram, você permitiu que se perdessem?

Muitas pessoas, com o passar dos anos, vão permitindo que partes importantes do relacionamento com Deus se percam.

Isto acontece por que se afastam do Senhor e permitem que outras prioridades ocupem um lugar que pertence somente a Deus.

 

E infelizmente, muitos que chegaram a essa condição estão enfermos espiritualmente e por que não dizer que alguns já perderam tudo e morreram.

A Bíblia em João capítulo 11, dos versos 1 ao 15, conta a seguinte história:

“Um homem chamado Lázaro estava doente. Ele morava em Betânia com suas irmãs, Maria e Marta.

Foi Maria, a irmã de Lázaro, que mais tarde derramou perfume caro nos pés do Senhor e os enxugou com os cabelos.

As duas irmãs enviaram um recado a Jesus, dizendo: “Senhor, seu amigo querido está muito doente”.

Quando Jesus ouviu isso, disse: “A doença de Lázaro não acabará em morte. Ela aconteceu para a glória de Deus, para que o Filho de Deus receba glória por meio dela”.

Jesus amava Marta, Maria e Lázaro.

Ouvindo, portanto, que Lázaro estava doente, ficou mais dois dias onde estava.

Depois, disse a seus discípulos: “Vamos voltar para a Judeia”.

Os discípulos se opuseram, dizendo: “Rabi, apenas alguns dias atrás o povo da Judeia tentou apedrejá-lo. Ainda assim, o senhor vai voltar para lá?”.

Jesus respondeu: “Há doze horas de claridade todos os dias. Durante o dia, as pessoas podem andar com segurança. Conseguem enxergar, pois têm a luz deste mundo.

À noite, porém, correm o risco de tropeçar, pois não há luz”.

E acrescentou: “Nosso amigo Lázaro adormeceu, mas agora vou despertá-lo”.

Os discípulos disseram: “Senhor, se ele dorme é porque logo vai melhorar!”.

Pensavam que Jesus falava apenas do repouso do sono, mas ele se referia à morte de Lázaro.

Então ele disse claramente: “Lázaro está morto.

 E, por causa de vocês, eu me alegro por não ter estado lá, pois agora vocês vão crer de fato. Venham, vamos até ele”

Jesus tinha uma relação de amizade com esta família e soube que Lázaro estava enfermo, mas a Bíblia relata que o Mestre demorou dois dias para visitar seu amigo..

E neste meio tempo, Lázaro morreu, e aparentemente, para as pessoas, era um estado irreversível.

Jesus decidiu ir até seu amigo e chegando lá encontra as pessoas tristes pelo falecimento.

Para Marta e Maria e os demais presentes, Jesus havia chegado atrasado e já não tinha mais o que fazer por Lázaro.

Onde estava Jesus quando eles mais precisaram? Por que Ele não foi lá enquanto Lázaro estava vivo?

Muitas pessoas estão enfermas espiritualmente e até já morreram e ficam se perguntando onde Jesus está?

Entretanto, não percebem que Ele está presente, mas elas é que não o têm buscado, pois muitas estão cegas a ponto de não enxergar a necessidade de Cristo.

Escolhem distanciar-se de Deus, pois se deixam levar por tudo que a sociedade apresenta como importante e necessário, mas que só as afastam do Senhor.

Pare e faça o seguinte exercício: Enumere cinco atividades que você executa no seu dia. Quantas delas te aproximam de Deus e promovem comunhão com Ele?

Estamos inseridos neste mundo que está debaixo do poder do maligno e temos que lutar a cada dia para nos mantermos em Deus e não sermos levados a ter uma vida espiritual enferma.

Buscar a presença do Senhor deveria ser algo habitual, normal para os filhos de Deus, mas acaba sendo a exceção.

E você? o que tem feito com sua vida espiritual?

Muitos em virtude de uma escolha errada em vez de se arrependerem e voltarem para o caminho, vão direto para a morte.

Para ter um diagnóstico da sua vida espiritual, não precisa retroceder tantos anos, basta olhar para o ano de 2017.

Em que estado se encontra hoje, em 2018: vivo ou morto?

Será que você não está precisando mudar a forma como está caminhando, parar e recomeçar?

Tem pessoas que ouvem todas as vozes (amigos, colegas, família e etc), menos a voz do Senhor.

 

Saiba como ser tocado por Deus

Porém, assim como na história bíblica citada acima, Jesus chegou na aldeia, entrou naquela história que parecida perdida para mudá-la:

 

“Rolem a pedra para o lado”, ordenou. “Senhor, ele está morto há quatro dias”, disse Marta, a irmã do falecido. “O mau cheiro será terrível.”

Jesus respondeu: “Eu não lhe disse que, se você cresse, veria a glória de Deus?”.

Então rolaram a pedra para o lado. Jesus olhou para o céu e disse: “Pai, eu te agradeço porque me ouviste.

Tu sempre me ouves, mas eu disse isso por causa de todas as pessoas que estão aqui, para que elas creiam que tu me enviaste.

Então Jesus gritou: “Lázaro, venha para fora!” (João 11.39-43)

 

Já havia quatro dias que Lázaro estava morto e para todos a situação não tinha solução.

E assim acontece com a vida espiritual de muitos. quando a pessoa olha para si e percebe que está morta, na sua concepção não tem jeito, já era!

Mas Jesus declarou para Lázaro e declara sobre a sua vida:

“Se creres verás a glória de Deus!”

Cristo realizou um milagre impossível para os homens. E muitos que viram creram.

E hoje, o Senhor Jesus pode ressuscitar a sua vida espiritual, como ressuscitou a Lázaro.

Porém, você precisa crer que Ele pode fazer!

Jesus quer te dar vida para que outras pessoas O conheçam por meio de você.

E qual será a sua escolha? Ficará vivo ou morto?

Ouça a mensagem “Vivo ou morto” e permita que o Espírito Santo mostre a você como está sua vida espiritual:

 

Comunicação CERV

Ele nos amou primeiro

Ele nos amou primeiro. E esse amor foi manifesto na cruz do Calvário.

E foi na cruz, prestes a morrer, que Jesus fez a proclamação de vitória mais importante da história  da humanidade, quando disse:

Está consumado!

Ele cumpriu a Sua missão, e o que aparentemente foi o maior dos fracassos era, na realidade, a vitória mais incontestável.

Ao render o Espírito, Ele derrotou Satanás, despojou-se de todas as hostes malignas.

E, diferente do que muitos pensam, isso não aconteceu na ressurreição, mas no momento em que Jesus entregou Seu Espírito.

Em Colossenses, capítulo 2, versículo 15, diz que foi na cruz:

E, despojando os principados e as potestades, publicamente os expôs ao desprezo, triunfando deles na cruz

Um homem justo passou pela terra sem curvar-Se ao pecado. O segundo Adão não foi seduzido como o primeiro. Mesmo diante do sofrimento tão extremo, Ele venceu, obedeceu ao Pai em tudo.

Passou pela vida sem contrair a dívida da rebelião. Seu sacrifício foi apresentado no Céu como pagamento pela iniquidade de todos nós.

Na cruz Jesus venceu o pecado, mas era também necessário que vencesse a morte.

Nos três dias que se seguiram à cruz, Ele desceu às regiões mais baixas da terra e enfrentou o inferno.

Aprenda mais sobre o amor e misericórdia de Deus

Quando a justiça divina foi satisfeita e a oferta pelo pecado foi aceita, Deus O ressuscitou. Não era possível que os grilhões da morte O retivesse, de forma alguma.

Em Atos, capítulo 2, verso 24, diz assim:

Ao qual, porém, Deus ressuscitou, rompendo os grilhões da morte; porquanto não era possível fosse Ele retido por ela

Ao ressuscitar, Jesus devolveu a vida eterna aos homens e assumiu toda autoridade nos céus e na terra.

Veja Mateus 28.18, em que Ele diz:

…Toda a autoridade me foi dada no céu e na terra”. E essa autoridade nos foi outorgada por Ele quando disse: “Ide por todo o mundo, pregai o Evangelho a toda criatura

Por isso hoje podemos repousar sobre a graça e essa autoridade. Um homem conseguiu finalmente reaver tudo aquilo que o primeiro Adão tinha perdido.

Ele é o nosso Senhor Jesus Cristo, Filho Unigênito do Pai, que tornou-Se o Primogênito ao nos fazer filhos e filhas do Pai celestial.

Nossa fé está Nele, o centro da nossa vida é Jesus. Hoje Ele vive! Aleluia!

Quando olhamos para o espelho da Bíblia, dizemos que somos cristãos; a palavra ‘cristão’ não significa aquele que é da religião de cristo, mas, sim, aquele no qual Cristo vive.

A nossa fé é essa vida, não é o nosso esforço em ter a vida cristã, mas a nossa rendição em permitir que Cristo viva por meio da nossa vida.

Que glorioso é isso! Nós O amamos porque Ele nos amou primeiro. Ninguém nos ama mais do que Ele, ninguém nos perdoa como Ele.

Ele é o centro da nossa vida. Se hoje temos vida, é porque um dia Ele deu a própria vida para que tivéssemos vida em abundância. Glorificado seja Seu nome hoje e sempre!

Pr. Márcio Valadão

Aprenda mais sobre o assunto “Ele nos amou primeiro”, participe do Culto da Restauração. Realizado ás terças, às 19:30, na CERV (Rua Érico Veríssimo, 1167- Santa Mônica).
Mais informações ligue (31) 3451-5956 ou envie um e-mail para: contato@restaurandovidascerv.com.br

Cristo: a viva esperança

Cristo: a viva esperança! Sim, aquele que estava morto e foi ressuscitado ao terceiro dia. O plano de Deus para resgatar o homem encontrou sua plena realização.

Para muitos a morte de Cristo significou o fim da esperança, de um novo tempo. Entretanto a ressurreição aconteceu para mostrar o contrário.

Os discípulos que caminharam com Jesus por três anos haviam perdido a esperança, muitos voltaram a velha vida.

Porém, ao reverem a Cristo foi reacendido em seus coração a esperança. E com essa esperança  e após o batismo com o Espírito Santo. Eles começaram a pregar a respeito dessa esperança

E foi para isso que Jesus ressuscitou: para conceder a humanidade a esperança que o mundo não pode dar.

Apesar de muitas pessoas saberem dessa verdade, ainda possuem um coração desesperançoso. Mesmo aquelas que um dia foram ressuscitados em Cristo, permitem essa desesperança ocupar seus corações.

E, hoje, muitos têm abandonado Cristo, a viva esperança por motivos muitas das vezes banais. Desvalorizando, assim, essa entrega de Jesus na cruz para resgate da humanidade.

Há aqueles ainda que afirmam caminhar com Cristo, entretanto já não concedem espaço para Jesus, deixando-O em último plano.

Cristo, a viva esperança ressuscitou, Ele vive! E será que você tem valorizado a morte e ressurreição de Cristo?

Leia a respeito da crucificação de Cristo

Ele tem sido a razão do seu viver? Ou você facilmente tem trocado a presença do Senhor por pessoas e coisas que te afastam Dele?

Será que você está precisando que Cristo ressuscite a sua vida espiritual? Seu casamento? Sua família?

Cristo, a viva esperança te chama para estar com Ele, para viver para Ele e para transmitir essa esperança para todo o mundo.

Sem Cristo, não há esperança, mas como Ele a vitória sobre o mal, as dores, a morte é possível!

Ouça a mensagem Cristo: a viva esperança e permita que o Espírito Santo ressuscite a esperança em seu coração:
Conheça o nosso ministério, faça-nos uma visita! Estamos localizados à Rua Érico Veríssimo, 1167 – Santa Mônica. Mais informações, ligue: (31) 3451-5956 ou envie um e-mail para: contato@restaurandovidascerv.com.br 

A Ressurreição de Cristo

A ressurreição de Cristo é o seu grito de triunfo sobre a morte. É a prova cabal de que sua morte foi eficaz, de que seu sacrifício vicário foi perfeito e de que a porta da esperança está aberta para nós.

Não adoramos o Cristo preso na cruz nem o Cristo vencido pela morte. Jesus ressuscitou. Ele está à destra de Deus, de onde voltará com grande poder e glória. Vamos abordar essa magna doutrina da ressurreição sob três perspectivas:

1. A ressurreição de Cristo é um fato inegável (1Co 15.1-8) – Cristo morreu, foi sepultado e ressuscitou segundo as Escrituras. Sua morte e ressurreição não foram um acidente, mas uma agenda.

Ele não morreu como um mártir, o Pai o entregou e ele voluntariamente se deu. Sua morte foi pública e sua ressurreição confirmada por várias testemunhas. Nossa fé não está fundamentada num mito.

O alicerce da nossa esperança não está numa lenda. Os céticos tentam desesperadamente negar essa verdade incontroversa. Alguns dizem que Jesus não chegou a morrer, mas apenas teve um desmaio na cruz.

Outros dizem que os discípulos roubaram o corpo de Cristo. Ainda outros dizem que as mulheres foram ao túmulo errado e divulgaram a notícia de que sua sepultura estava aberta.

As trevas do engano, entretanto, não podem prevalecer contra a luz da verdade. Jesus está vivo. A realidade de sua ressurreição mudou a vida daqueles discípulos pusilânimes. Dominados pela convicção da vitória de Cristo sobre a morte, eles tornaram-se homens ousados e enfrentaram com galhardia os açoites, as prisões e o martírio.

2. A ressurreição de Cristo é um fato indispensável (1Co 15.12-20a) – O apóstolo coloca o machado da verdade na raiz do falso pensamento grego acerca da ressurreição.

Pelo fato de eles considerarem a matéria má e o corpo como cárcere da alma, não aceitavam a ressurreição do corpo. Paulo argumenta que se não há ressurreição do corpo, então Cristo não ressuscitou, e se Cristo não ressuscitou é vã nossa pregação e a nossa fé.

Se Cristo não ressuscitou somos falsas testemunhas de Deus. Se Cristo não ressuscitou ainda permanecemos nos nossos pecados. Se Cristo não ressuscitou os que dormiram em Cristo pereceram.

Se a nossa esperança em Cristo se limita apenas a esta vida, somos os mais infelizes de todos os homens. Mas, de fato Cristo ressuscitou dentre os mortos. A ressurreição de Cristo é a pedra de esquina que mantém o edifício do cristianismo de pé.

O túmulo vazio de Cristo é o berço da igreja. Porque Cristo ressuscitou, a morte não tem a última palavra. Porque Cristo ressuscitou o túmulo gelado não é nosso destino. Caminhamos não para um ocaso lúgubre, mas para uma manhã radiosa de imortalidade e gozo eterno.

3. A ressurreição de Cristo é um fato incomparável (1Co 15.20b-28) – Cristo levantou-se da morte como primícias dos que dormem. Ele abriu o caminho e após ele seguiremos.

Como morremos em Adão, seremos vivificados em Cristo. Quando ele vier em sua majestade e glória, os mortos ouvirão dos túmulos a sua voz e sairão, uns para a ressurreição da vida e outros para a ressurreição do juízo.

Ao vencer a morte, ele tirou o aguilhão da morte e matou a morte com sua morte, triunfando sobre ela na ressurreição. Sua ressurreição é a garantia da nossa ressurreição.

À semelhança dele teremos, também, um corpo de glória. Nosso corpo será imortal, incorruptível, poderoso, glorioso, espiritual e celestial. Vamos brilhar como as estrelas no firmamento e como o sol no seu fulgor.

Caminhamos, portanto, não para um horizonte pardacento, mas para um céu de glória, onde estaremos com Cristo eternamente e com ele reinaremos para sempre!

Não podemos nos esquecer do favor de Cristo

Hernandes Dias Lopes

Nossa igreja fica à Rua Érico Veríssimo, 1167 – Santa Mônica. Mais informações ligue: (31) 3451-5956 ou envie um e-mail para: contato@restaurandovidascerv.com.br

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén