Tag: missoes (Page 1 of 3)

Poder para quê?

Em Atos 1.8 está relatada a promessa dada aos discípulos de Jesus sobre o revestimento de poder do Espírito

Missionária Nágila Araújo

Santo. Mas, poder para quê?

Segundo a Bíblia, poder para testemunhar sobre Cristo e a respeito do quê Cristo realizou na vida dos seus seguidores.

No último domingo (4), a Missª Nágila Araújo pregou sobre a importância do poder do Espírito Santo em missões.

O poder não foi dado para ser armazenado ou para uso em causas egoístas, mas sim para pregar sobre o Evangelho transformador.

 

Saiba como temos cumprido o IDE na CERV

Não importa a área na qual você trabalha ou se serve de forma integral no ministério, sem poder nada acontece.

Entretanto, como filhos revestidos do Espírito é necessário permanecer e ser cada vez mais cheios de poder.

Ninguém vai te segurar ou fechar sua boca, pois você está revestido do Espírito Santo . Missª Nágila Araújo

O poder que Jesus concede a cada um dos filhos de Deus é para ser exatamente da forma que o Senhor planejou para que fossem.

“Por onde você for esse poder tem que ser manifesto. Sendo assim, ninguém vai te segurar ou fechar sua boca, pois você está revestido do Espírito Santo”, disse a missionária.

Portanto, o revestimento do Espírito Santo foi concedido aos discípulos de hoje com um único objetivo: testemunhar da vida de Jesus Cristo.

Entenda a missão da igreja

E, o quê você tem feito com esse poder? Você realmente tem sido um exemplo, uma testemunha de Jesus Cristo?

Se você percebe que está vazio e precisa ser cheio do Espírito Santo novamente, ouça esta mensagem e permita o agir sobrenatural de Deus.

Ouça a mensagem Poder para quê? e seja edificado:

Comunicação CERV

Cumprindo o Ide

Alunos do STRV

Os alunos do Seminário Teológico Restaurando Vidas passaram a tarde do último sábado de outubro cumprindo o Ide do Senhor.

Essa missão faz parte da disciplina prática chamada Impacto Evangelístico que compõe a grade curricular do Seminário.

Por isso, para obter aprovação os alunos devem participar do evangelismo durante a tarde e a noite do Culto.

Esse culto é todo organizado e liderado pelos seminaristas que se dividem entre louvor, oração e pregação.

O foco do evangelismo era anunciar o amor de Jesus e convidar às pessoas para irem ao culto a noite.

Conheça nosso seminário

Momento do louvor

 

Segundo a diretora do Seminário, Kátia Brito, o propósito do Impacto é proporcionar aos alunos a experiência prática do ministério.

 

“Eles recebem durante três dias da semana vários conhecimentos importantes para a vida do servo de Deus. O impacto é o momento de praticar o que ouviram e vivenciar o que é na realidade um evangelismo”, explica.

 

O tema tratado no culto a noite foi a esperança, por isso tantos as músicas do louvor quanto a mensagem trabalharam essa temática.

Seminarista Priscila Santos

Para a seminarista Priscila Santos, que pregou no cult0, a experiência de transmitir a Palavra de Deus foi muito gratificante.

“Estava um pouco apreensiva, mas depois esse sentimento passou e deu lugar a gratidão, pois é um privilégio falar da Palavra de Deus. Espero que assim como o Espírito Santo falou ao meu coração tenha também falado aos corações dos irmãos”, contou Priscila.

Outra pessoa que sentiu gratidão ao falar da Palavra, foi a seminarista Arminda Policarpo que se alegrou com a experiência de passar a tarde cumprindo o ide.

“Senti muita alegria em falar de Jesus para as pessoas e depois de poder orar no culto. É muito bom servir ao Senhor!”, disse.

Portanto, se você gostaria de estudar conosco e participar dessa experiência incrível, haverá uma nova oportunidade no primeiro semestre de 2019.

A partir do dia 10 de dezembro as matrículas para o seminário estarão abertas para o ingresso de novos alunos.

Para obter mais informações sobre matrícula e demais atividades do Seminário, os contatos estão logo abaixo.

Mais informações sobre o Seminário ligue:
(31) 3504-1341 / 99309-6957 (fale com Kátia) ou envie um email para: seminarioteologico@restaurandovidascerv.com.br

Comunicação CERV

Faça a obra de Deus

É mais fácil discutir teologia do que fazer a obra de Deus. Essa foi a tendência dos fariseus que estavam sempre interessados nas discussões, agarrados às tradições dos anciãos, e faziam disso um fim em si mesmo, em vez de fazerem a obra de Deus ou, no mínimo, deixar que a obra fosse feita.

Essa mesma tendência era vista nos discípulos. Ao verem um homem cego de nascença, aproveitaram o ensejo para entrar num território fértil de discussão das causas dessa enfermidade. Queriam discutir opiniões. Queriam debater as causas daquela tragédia pessoal.

Jesus, porém, não alimentou esse viés hermenêutico nem nos seus opositores fariseus nem mesmo nos seus discípulos. Ao contrário, mostrou que a obra de Deus é para ser feita e não discutida. O sofrimento alheio não é para ser especulado e sim aliviado.

Mesmo depois que Jesus ressuscitou dentre os mortos, os discípulos alimentando ainda expectativas messiânicas políticas.

Perguntaram a Jesus se seria no cumprimento da promessa do Pai, com o derramamento do Espírito, que ele restauraria o reino a Israel. Nutriam o desejo de serem os homens de vanguarda nesse reino e de fazer de Jerusalém a capital desse reino.

Jesus, porém, põe o machado da verdade na raiz dessa aspiração equivocada, mostrando a eles, que não lhes competia saber tempos ou épocas, que o Pai havia reservado para sua exclusiva autoridade.

Entenda a força que seu testemunho tem nas mãos do Senhor

Antes, eles deviam receber poder, ao descer sobre eles o Espírito Santo, a fim de se fixarem naquilo que era sua responsabilidade, ou seja, ser suas testemunhas até aos confins da terra.

A igreja recebe poder para fazer a obra e não para discutir a obra. A igreja recebe poder para sair da especulação teológica para o campo da ação missionária. É óbvio que há espaço para a apologética cristã. A defesa da fé é fundamental quando a integridade das Escrituras é atacada. Mas, a igreja viver o tempo todo discutindo e rediscutindo os mesmos assuntos, deixando de lado a agenda da proclamação do evangelho é uma perda de foco.

Precisamos estar atentos para não sermos arrastados para essa agenda da especulação.

Quando Davi estava na eminência de enfrentar o gigante Golias, seu irmão Eliabe quis desviá-lo do foco, fazendo-lhe pesadas críticas. Davi ao perceber sua intenção, deixou-o de lado e concentrou-se no seu alvo, ou seja, vencer o gigantes.

Mais tarde, Neemias, impelido pelo senso de dever e amor ao seu povo, colocou-se nas mãos de Deus para restaurar a cidade de Jerusalém, há cento e quarenta e dois anos debaixo de escombros. Seus opositores tentaram de diversos modos e em diversas circunstâncias paralisar a obra, mas Neemias, com os olhos fixos no alvo, respondeu: “Estou fazendo uma grande obra e não posso descer”. Neemias, não estava disposto a parar a obra para discutir a obra.

Quando os discípulos de Jesus, no sopé do monte da Transfiguração, foram procurados por um pai aflito, rogando-lhes que curasse seu filho lunático, eles não puderam. Estavam desprovidos de poder. Em vez de orar e jejuar, de exercer fé e libertar o jovem endemoninhado pelo poder de Deus, estavam discutindo com os escribas. Desprovidos de poder, haviam perdido o foco. Em vez de fazer a obra, estavam discutindo a obra.

O grande pregador Charles Haddon Spurgeon, disse que o evangelho não é tanto para ser discutido, mas, sobretudo, para ser proclamado.

 

O evangelho é como um leão. Um leão não precisa de defesa, basta soltá-lo. Hoje, nos esmeramos mais em discutir o evangelho do que em pregar o evangelho. Hoje gastamos mais tempo com discussões, algumas empolgantes, outras até mesmo fúteis, do que proclamando o evangelho, que é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê.

Erguemos os estandartes de nossas opiniões com zelo incomum, ao mesmo tempo que calamos nossa voz, covardemente, deixando de anunciar aos perdidos o evangelho. Atravessamos mares para fazer um discípulo de nossas ideias, mas não cruzamos a rua para anunciar Cristo aos nossos vizinhos.

Oh, que Deus nos dê discernimento e nos leve ao Cristianismo puro e simples, a fim de que a ação missionária da igreja não seja sepultada debaixo de nossas tradições religiosas nem retardada pelas nossas especulações teológicas.

 

Rev. Hernandes Dias Lopes

Ousadia e esperança

A nação brasileira clama por transformação, e o povo de Deus tem a resposta a esse clamor: Jesus. Mas para levar Jesus a todos é necessário ter ousadia e esperança.

Ousadia para não se acovardar perante os desafios e lutas e esperança para perseverar e semeá-la no coração do homem.

Pra. Gorete da Jocum

Para isso é necessário que igreja seja cheia do Espírito Santo, pois é Ele que concede coragem para pregar e derrama nos corações a esperança.

Para tanto, a igreja não pode se acomodar, precisa sair do lugar de comodismo e colocar a mão no arado.

Isso significa ir até as pessoas que se encontram perdidas nos vícios e pecados e testemunhar do amor de Cristo.

Há quanto tempo você conhece Jesus? Para quantas pessoas você já contou a respeito do que Ele fez pela sua vida?

Vidas que estão ao seu redor estão clamando, a sua maneira, por esperança, por uma razão para viver.

Entretanto, o silêncio dos escolhidos de Deus (será o seu caso?) tem falado mais alto que o Evangelho.

A Palavra de Deus ela é o próprio Jesus, é vida para quem o conhece e o Corpo de Cristo é o meio pelo qual as pessoas vão conhecer o Filho de Deus.

Você tem pregado com ousadia e esperança a Palavra de Deus?

Nossa sociedade necessita que os filhos de Deus manifestem obras de justiça demonstrando o amor de Jesus!

Entretanto, muitos têm abandonado o Senhor ou permanecido, mas deixando o chamado de lado por outras razões.

Por isso, é importante que a igreja desperte e viva o chamado, o IDE, com ousadia e esperança, pois as almas estão clamando por salvação!

Nosso país é um exemplo de local onde há povos que clamam por salvação, por mudança, por esperança.

No nordeste, nas cidades ribeirinhas, nas tribos indígenas, nas escolas, nas universidades, enfim em muitos outros lugares há pessoa que precisam de Jesus.

E o que você está fazendo para que esses públicos conheçam Jesus?

O Senhor está a procura de pessoas que o amem de todo o coração e que declarem: Eis-me aqui, Senhor, envia-me

Igreja intercedendo pelo Brasil

A pessoas prontas para receber a Palavra e você está pronto para ser aquele que as pregará?

Pare, hoje, e reflita no que tem feito pelas almas e o que você pode e deve fazer!

Lembre-se que você é fruto de missões e que foi alcançado porque alguém respondeu ao chamado de pregar o Evangelho.

Ouça a mensagem Ousadia e esperança:

 

Comunicação CERV

Esperança para a Turquia

Uma pesquisa rápida no google e você ficará consternado diante de tantas notícias tristes sobre os refugiados na Turquia. Embora o quadro seja triste, há esperança para a Turquia.

Essa esperança tem se manifestado na Turquia por meio da presença de missionários do mundo.

Esses irmãos, movidos pelo Espírito Santo têm trabalhado para levar socorro físico, material, emocional e espiritual aos refugiados.

São milhares de famílias que estão deixando a Síria e indo para Turquia em busca de uma nova vida.

Entretanto, o país Turco já não consegue assistir a todos o

Pastor Jackson contando sua experiência na Turquia

s refugiados. Esses, por sua vez, tentam atravessar o mar em busca de ajuda na Grécia.

Nessa travessia, infelizmente, muitos morrem e os que conseguem completar o trajeto têm outras desafios no campo de refugiados.

E é em meio a essas situações na Turquia que o pastor Jackson Marques, da Jocum (MG) foi chamado para pregar o Evangelho.

 

Por isso, no princípio deste ano fez uma viagem até o país para conhecer melhor a situação e a realidade dos refugiados.

Infelizmente, como o pastor se deparou com famílias destruídas e crianças desamparadas, pois perderam toda a família.

Essas crianças chegam aos campos de refugiados com traumas emocionais sérios que culmina, em muitos casos, no suicídio.

Por isso, assim como o pastor Jackson, Jesus recrutou outros irmãos para levar esperança para a Turquia.

Esperança para corações feridos, desolados, sem expectativa, sem a vida de Deus.

A Turquia não é um país totalmente fechado ao Evangelho, por isso, esse é o tempo de Deus para que missionários cheguem, se estabeleçam e comecem a trabalhar.

O público alvo do trabalho do pastor Jackson e sua família serão as crianças refugiadas. O objetivo é trata-las emocionalmente e espiritualmente.

E isso se dará por meio da pessoa do Senhor Jesus e do Evangelho.

O caminho para chegar ao coração dessas crianças não será fácil, por isso é necessário preparo espiritual e a intercessão da igreja.

É a oração que vence as barreiras das trevas, quebranta corações e possibilita que a semente da Palavra frutifique.

Portanto, desde já , você está convocado (a) para ser um intercessor e colaborador dessa missão.

Ore pelas crianças refugiadas na Turquia, pelos missionários que lá trabalham e pelo pastor Jackson e sua família.

Sua oração fará toda a diferença, pois auxiliará os irmãos a ganharem almas para Jesus e trata-las com o amor do Senhor.

A seguir, ouça a mensagem ministrada pelo pastor Jackson e saiba mais sobre essa missão!

 

Ouça a mensagem Esperança para a Turquia:

 

Comunicação CERV

A força do testemunho

A força do testemunho aborda a importância dos filhos de Deus testemunharem sobre Jesus Cristo por meio de atitudes aprovadas pelas Sagradas Escrituras.

A partir da conversão o homem é convocado a seguir a Cristo e a viver o Ide do Senhor. Isso significa pregar o Evangelho a toda criatura ou a todas as pessoas.

E essa missão Jesus deixou não apenas para aqueles discípulos que caminharam com Ele, mas também para a Igreja de hoje.

Por isso, todas as pessoas que fazem parte da família de

Pastora Maria ministrando a Palavra de Deus

Deus através de Jesus devem pregar o Evangelho.

E o Evangelho é nova vida, transformação! E isso deve ser evidenciado não apenas por mudanças no discurso, mas principalmente por atitudes transformadas.

Portanto, a força do testemunho está em palavras e em ações convergindo e apontando para a pessoa do Senhor Jesus Cristo de Nazaré.

Conheça o testemunho da pastora Maria e do seu saudoso esposo Paulo Roberto

A Palavra de Deus, em Lucas, capítulo 8 dos versos 26 ao 39 conta a história do endemoninhado de Gadara. Esse homem estava preso espiritualmente e ao ter um encontro com Jesus foi liberto.

O desejo desse homem era de seguir Jesus, mas ouviu do Mestre a seguinte instrução:

Vá para a sua família e conte a eles tudo o que Deus fez por você

E o homem obedeceu ao Senhor Jesus e a Bíblia conta que ele viajou por dez cidades testemunhando sobre a obra de Cristo em sua vida.

Kézia Rezende ministrando o louvor

Isso é o que Deus espera de seus filhos e da Sua Igreja. Que todos deem bom testemunho de Cristo.

Não apenas apresentando uma conduta exemplar, mas compartilhando exatamente o que Jesus fez por suas vidas.

Entretanto, muitos que já foram alcançados tiraram a mão do arado e olharam para trás.

Permitiram que as dificuldades, problemas e sofrimentos esfriassem o coração e deixaram Jesus e a chamada de lado para viverem suas próprias vidas.

Leia o testemunho “Amor que Transforma”

Entretanto, Jesus, hoje, o convida a rever seus caminhos, voltar onde caiu e recomeçar!

Ainda que você esteja passando por lutas, perseguições e desânimo, te convido a declarar as seguintes palavra de fé: Sempre um passo para frente e nunca retroceder nem um passo para trás porque aquele que põe a mão no arado não olha para trás. Eu estou firmado na rocha que é Jesus, portanto, não vou olhar para trás! – Pra. Maria Rezende

Portanto, creia que Jesus pode fazer ou refazer de você uma verdadeira testemunha Dele nesta Terra!

Convidamos você a ouvir as ministrações de louvor e Palavra a seguir. Permita que o Espírito Santo transforme e renove seu coração em Jesus e nos seu chamado:

Especial – Louvor com Kézia Rezende
Pregação – A força do testemunho (parte 1) – Pra. Maria Rezende
Pregação – A força do testemunho (parte 2) – Pra. Maria Rezende

 

Mais informações sobre o MÊS DE missões ligue:(31) 3451-5956/ 99306-6957 ou envie um e-mail para contato@restaurandovidascerv.com.br

Comunicação CERV

30 dias em missões

30 dias em missões, assim será o mês de setembro na CERV. Todas as pregações abordarão a temática da obra missionária no Brasil e exterior.

Estarão na igreja, ministrando a Palavra de Deus, aos domingos, irmãos (as) que vivem em missões e para missões.

Comunidade em momento de adoração ao Senhor

 

Eles compartilharão experiências e realidades marcadas pelo Evangelho e também aquelas que necessitam ser alcançadas pelo amor de Jesus Cristo.

No primeiro domingo, amanhã, estará conosco a irmã Maria Rezende e nos domingos seguintes os irmãos (os) Jackson Marques, Gorete Pinheiro, Mácio Pinheiro e Paulo Silas.

Além disso, haverá apresentações especiais e no último domingo a entrega da oferta missionária de cada membro da comunidade.

Ao longo de 1 ano a igreja é incentivada a preparar uma oferta especial a ser  entregue aos missionários auxiliados pela CERV e outros irmãos.

Saiba mais sobre o evento e a CERV

“Sempre dizemos que essa oferta é o natal dos missionários, pois é um valor maior do que ofertamos mensalmente. Sabemos que esses irmãos deixaram tudo para servir ao Senhor e ganhar almas, então de todo o nosso coração preparamos essas ofertas para abençoá-los e ajudá-los em alguma necessidade ou a realizar algum desejo de seus corações.”, explica a pastora Graça Pitzer.

Para entregar a oferta, cada membro prepara um envelope especial,decorado e bem elaborado. 

Irmãos com trajes típicos

E a decoração não fica limitada apenas aos envelopes, os irmãos vestem roupas típicas de regiões do Brasil ou de outros países e a igreja é toda ornamentada.

Serão 30 dias em missões, no qual a igreja ora, oferta e aprende mais sobre a vida e a obra missionária nesta Terra.

Aprenda mais sobre missões

Como está exposto na comunidade: “Missões está no coração de Deus”.

Participe conosco dessa programação especial, você será muito bem-vindo (a)!

Mais informações: (31) 3451-5956 / 993096957 ou envie um e-mail para contato@restaurandovidascerv.com.br

 

Comunicação CERV

O Amor que transforma

A realização da décima segunda edição do projeto Impacto Sertão Livre, organizada pelo Instituto Livres, foi mesmo um plano de Deus (Pv 16.1,9). Não apenas para mim, mas para cada uma das pessoas que se permitiram ser tocadas pelo amor de Jesus. Somente Deus para conjugar tantos sonhos e tantos pedidos de oração. Somente Ele para convergir tantos esforços num projeto tão maravilhoso quanto esse, cujas repercussões nossos olhos e mentes não conseguem alcançar (Is 55.8,9).

Irmãs e companheiras de quarto

O desejo de fazer uma viagem missionária surgiu por volta do ano de 2015, ocasião em que o inclui no meu Projeto de Vida. Embora não soubesse quando ele se tornaria real e nem em quais circunstâncias, prossegui em oração ao longo dos três anos que se passaram. Louvo ao Senhor por ter me plantado na Comunidade Evangélica Restaurando Vidas, carinhosamente chamada de CERV; por ter me colocado aos cuidados de uma pastora tão santa, obediente e fiel, que desde a minha conversão tem me ensinado a amar missões; e pela oportunidade de estar sob a liderança de uma Mocidade comprometida com essa visão missionária. Afinal, sem eles, nada teria acontecido da maneira como foi – uma experiência ímpar, marcante e transformadora!

Pastora Camila e uma das crianças abençoadas para continuar o evangelismo em Massapê

Embora inicialmente não conhecesse nenhum dos mais de 200 voluntários do Impacto, e isso até me causasse algum receio, o desejo de ir era maior e dissipava toda insegurança. Já no aeroporto de Guarulhos, na fila de embarque para o voo que me levaria a Teresina, conheci uma irmã que se tornaria também uma das minhas companheiras de quarto, de devocional, de refeições e de atividades na praça. E, por falar em quarto, sou grata ao Senhor pelas sete irmãs queridas que Ele me deu. Vindas de diferentes estados do país, cada uma com um jeito único e especial de ser, e que muito abençoaram os meus dias em Massapê do Piauí, cidade onde foi realizado o projeto.

 

Conheça o projeto Impacto Sertão Livres

Equipe da saúde em ação

Eu, que pensava que serviria ao Senhor na equipe de visitas às casas, na qual havia me inscrito, fui chamada por Ele a servir na equipe da Saúde. E como foi surpreendente exercer a minha profissão de enfermeira em benefício do Reino! Dar ouvidos às necessidades das pessoas, orar com elas, ministrar aos seus corações o mais poderoso de todos os remédios – a Palavra de Deus! Ao recordar os inúmeros momentos vividos ali, fico maravilhada com o amor de Jesus, com a soberania de Deus… Os devocionais pela manhã queimavam meu coração com a Sua Palavra e me preparavam para os atendimentos do dia, para o encontro com os pacientes nos povoados. Por meio das atividades realizadas à noite, na praça central, pude conhecer outras pessoas de Massapê e ver muitas delas se rendendo ao Senhor – homens, mulheres, jovens e não poucas crianças! Algo lindo de se ver… Jesus transformando vidas, respondendo orações, enchendo os rostos de sorrisos e molhando-os com lágrimas de indizível alegria, alívio e gratidão!

Entrega da chave da cidade ao coordenador do Impacto

A cidade, antes marcada pela seca, pela falta de água e de outros recursos, agora tem em si a marca de propriedade do Senhor Jesus! É Dele a chave da cidade entregue pelo prefeito a um dos coordenadores do Impacto em nosso primeiro dia em Massapê. Jamais esquecerei os novos irmãos em Cristo ali gerados, a acolhida amorosa e gentil dos moradores dos povoados visitados e do centro da cidade! Histórias de vida singulares, algumas complexas e tristes, foram milagrosamente transformadas para a glória de Deus!

O pastor de uma das igrejas locais pôde ver a concretização daquilo que o

Igreja reformada pela equipe de construção

próprio Senhor lhe revelara anteriormente em sonho. Sua chamada e ministério pastoral foram avivados e ganharam novo vigor. A igreja de um dos povoados foi reformada pela equipe de construção e é também um dos legados deixados pelo Impacto. E as crianças? Além das brincadeiras e ensinos diários, receberam na última noite na praça um colete amarelinho (como o dos voluntários) e autoridade de Deus para continuarem a proclamar o Evangelho de Jesus em Massapê! Creio que eu e os demais amarelinhos jamais seremos os mesmos. Fomos também marcados pelo poderoso amor de Jesus! Ah, e o sertão? Hoje também é parte da nossa trajetória pessoal e cristã, é destino certo das nossas intercessões e de futuras viagens missionárias!

Muito obrigada, Senhor Jesus! Muito obrigada, Massapê do Piauí! Valeu a pena!

aprenda mais sobre missões, ligue: (31) 3451-5956 ou envie um email para: contato@restaurandovidascerv.com.br

Pra. Camila Brito

O tempo do chamado de Deus

O tempo do chamado de Deus já está determinado para cada um dos seus filhos.

Antes mesmo dos seus filhos chegarem a este mundo, o Senhor já desenhou o propósito específico de cada um. 

Não existe atraso ou adiantamento, tudo acontece na hora certa, no período certo.

O importante é estar em Deus, fazendo a obra Dele e com atenção a voz do Espírito Santo.

Isso aconteceu na vida dos apóstolos Paulo e Barnabé enquanto serviam a Deus na Igreja de Antioquia:

 

“Na igreja de Antioquia havia profetas e mestres: Barnabé, Simeão, chamado Níger, Lúcio de Cirene, Manaém, que fora criado com Herodes, o tetrarca, e Saulo.
 
Enquanto adoravam ao Senhor e jejuavam, disse o Espírito Santo:
“Separem-me Barnabé e Saulo para a obra a que os tenho chamado”.
 
Assim, depois de jejuar e orar, impuseram-lhes as mãos e os enviaram.
 
Enviados pelo Espírito Santo, desceram a Selêucia e dali navegaram para Chipre” (Atos 13.1-4).
 
Paulo e Barnabé estavam na igreja, servindo como mestres e profetas até que o Espírito Santo os chamou.
 
Esses homens tinham compromisso com a obra e no tempo de Deus foram enviados às nações para proclamar o Evangelho.
 
A Bíblia afirma que Jesus já havia declarado a Paulo  que ele pregaria o Evangelho aos gentios (At 9.15).
 
 
Porém, antes desse chamado se cumprir, Paulo precisou passar por um período de mudanças e aprendizados.
 
Talvez esse seja o seu caso, quem sabe Deus está te capacitando para cumprir com excelência o seu chamado?
 
Outra informação importante do texto de Atos é que o chamado partiu do Espírito Santo e não de homens.
 
Por isso, os filhos de Deus devem aprender a ouvir e a discernir a voz do Espírito Santo.
 
E essa orientação, vale para o chamado. Portanto, não tente dar uma força ou ajuda para o Senhor, Ele sabe a hora certa de te enviar!
 
Ainda no texto é possível notar que Paulo e Barnabé são abençoados pelos irmãos, ou seja, têm o apoio da igreja para o chamado de Deus!
 
Por isso, não faça nada sem a direção do Espírito Santo e principalmente, sem a ajuda da sua igreja.
Ninguém faz a obra do Senhor sozinho. É necessário ir, como Paulo e Barnabé, mas também é fundamental o sustento (espiritual e material) por meio dos que ficam.
Portanto, a partir desse texto e pregação,  tenha o discernimento de que há o tempo do chamado de Deus!
Ouça  A MENSAGEM ‘O tempo do Chamado de Deus’ :

 

Comunicação CERV

Ganhando almas pela dor

Ganhando almas pela dor, assim tem sido a vida de muitos missionários espalhados sobre a Terra.

 

Debaixo de perseguição, sofrimento, perdas, escassez, muitos irmãos têm pregado o Evangelho por amor a Cristo e as almas.

 

 

 

Esses irmãos deixam tudo para cumprir a vontade do Senhor Jesus: Ir por todo o mundo e pregar o Evangelho.

 

 

 

Em Atos, capítulo 16, versos 16 ao 40, nos é apresentado o testemunho de Paulo e Silas.

 

Esses dois homens eram servos do Senhor e por pregarem o Evangelho, passaram por muitas dores, vejamos a seguir:

 

“Certo dia, indo nós para o lugar de oração, encontramos uma escrava que tinha um espírito pelo qual predizia o futuro. Ela ganhava muito dinheiro para os seus senhores com adivinhações.
Essa moça seguia a Paulo e a nós, gritando: “Estes homens são servos do Deus Altíssimo e lhes anunciam o caminho da salvação”.
Ela continuou fazendo isso por muitos dias. Finalmente, Paulo ficou indignado, voltou-se e disse ao espírito: “Em nome de Jesus Cristo eu lhe ordeno que saia dela! “
No mesmo instante o espírito a deixou.
Percebendo que a sua esperança de lucro tinha se acabado, os donos da escrava agarraram Paulo e Silas e os arrastaram para a praça principal, diante das autoridades.
E, levando-os aos magistrados, disseram: “Estes homens são judeus e estão perturbando a nossa cidade, propagando costumes que a nós, romanos, não é permitido aceitar nem praticar”.
A multidão ajuntou-se contra Paulo e Silas, e os magistrados ordenaram que se lhes tirassem as roupas e fossem açoitados.
Depois de serem severamente açoitados, foram lançados na prisão. O carcereiro recebeu instrução para vigiá-los com cuidado.
Tendo recebido tais ordens, ele os lançou no cárcere interior e lhes prendeu os pés no tronco.
Por volta da meia-noite, Paulo e Silas estavam orando e cantando hinos a Deus; os outros presos os ouviam.
De repente, houve um terremoto tão violento que os alicerces da prisão foram abalados. Imediatamente todas as portas se abriram, e as correntes de todos se soltaram.
O carcereiro acordou e, vendo abertas as portas da prisão, desembainhou sua espada para se matar, porque pensava que os presos tivessem fugido.
Mas Paulo gritou: “Não faça isso! Estamos todos aqui! “
O carcereiro pediu luz, entrou correndo e, trêmulo, prostrou-se diante de Paulo e Silas.
Então levou-os para fora e perguntou: “Senhores, que devo fazer para ser salvo? “
Eles responderam: “Creia no Senhor Jesus, e serão salvos, você e os de sua casa”.
E pregaram a palavra de Deus, a ele e a todos os de sua casa.
Naquela mesma hora da noite o carcereiro lavou as feridas deles; em seguida, ele e todos os seus foram batizados.
Então os levou para a sua casa, serviu-lhes uma refeição e com todos os de sua casa alegrou-se muito por haver crido em Deus.
Quando amanheceu, os magistrados mandaram os seus soldados ao carcereiro com esta ordem: “Solte estes homens”.
O carcereiro disse a Paulo: “Os magistrados deram ordens para que você e Silas sejam libertados. Agora podem sair. Vão em paz”.
Mas Paulo disse aos soldados: “Sendo nós cidadãos romanos, eles nos açoitaram publicamente sem processo formal e nos lançaram na prisão. E agora querem livrar-se de nós secretamente? Não! Venham eles mesmos e nos libertem”.
Os soldados relataram isso aos magistrados, os quais, ouvindo que Paulo e Silas eram romanos, ficaram atemorizados.
Vieram para se desculpar diante deles e, conduzindo-os para fora da prisão, pediram-lhes que saíssem da cidade.
Depois de saírem da prisão, Paulo e Silas foram à casa de Lídia, onde se encontraram com os irmãos e os encorajaram. E então partiram”.
Paulo e Silas, nesse relato bíblico, estavam ganhando almas pela dor, dor física, que lhes deram uma família para Cristo.
Mesmo em meio a dor, Deus tinha um propósito: salvar uma família.
Porém, Ele precisava de pessoas com um coração missionário, dedicado ao IDE, com amor e por amor.
Será que seu coração está amando Deus e as almas? O que tem feito para levar Jesus a outras pessoas?
Ouça a mensagem ‘Ganhando almas pela dor’ e pense se você tem pregado o evangelho:

 

 

Comunicação CERV

Page 1 of 3

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén