Tag: louvar

Aquieta minha alma

Aquieta minha alma é uma mensagem que trata sobre as adversidades que afligem a alma dos filhos de Deus.

É uma mensagem de esperança para a sua vida, não importa o problema ou a situação na qual você se encontra. Há esperança para você!

Estamos no princípio de 2018 e há pessoas que por estarem vivendo problemas sem resolução, já desistiram de prosseguir, desistiram dos seus sonhos.

Entretanto, apesar de tudo, Deus quer trazer esperança ao coração dos seus filhos (as), ao seu coração.

Em Salmos capítulo 42, versos de 1 ao 11, está escrito:

“Como a corça anseia pelas correntes de água, assim minha alma anseia por ti, ó Deus.

 Tenho sede de Deus, do Deus vivo; quando poderei estar na presença dele?

Dia e noite, as lágrimas têm sido meu alimento, enquanto zombam de mim o tempo todo, dizendo: “Onde está o seu Deus?”

Meu coração se enche de tristeza, pois me lembro de como eu andava com a multidão de adoradores, à frente do cortejo que subia até a casa de Deus, cantando de alegria e dando graças, em meio aos sons de uma grande festa.

Por que você está tão abatida, ó minha alma? Por que está tão triste? Espere em Deus! Ainda voltarei a louvá-lo, meu Salvador e

meu Deus! Agora estou profundamente abatido, mas me lembro de ti, desde o distante monte Hermom, onde nasce o Jordão, desde a terra do monte Mizar.

Ouço o tumulto do mar revolto, enquanto suas ondas e correntezas passam sobre mim.

Durante o dia, porém, o Senhor me derrama seu amor, e à noite entoo seus cânticos e faço orações ao Deus que me dá vida.

Clamo: “Ó Deus, minha rocha, por que te esqueceste de mim? Por que tenho de andar entristecido, oprimido por meus inimigos?”

Os insultos deles me quebram os ossos; zombam de mim o tempo todo, dizendo: “Onde está o seu Deus?”

Por que você está tão abatida, ó minha alma? Por que está tão triste? Espere em Deus! Ainda voltarei a louvá-lo, meu Salvador e meu Deus!”

Ouça este louvor e deixe Deus ministrar ao seu coração

Este Salmo é um exemplo do que pode acontecer com qualquer filho (a) de Deus.

A Bíblia afirma que no mundo todos encontrariam aflições, e muitas a respeito das quais não se encontra explicação ou resposta.

Muitas vezes o que resta são as lágrimas, é chorar diante de Deus e pedir socorro a Ele.

É interessante observar que este Salmo não relata sobre uma pessoa que estava sofrendo consequências de escolhas erradas.

Mas sim sobre uma pessoa que estava passando por uma adversidade ou situação difícil, que pode vir sobre os filhos (as) de Deus.

E é justamente nestes momentos que surgem pessoas para questionar: Onde está o seu Deus? Onde está o Deus que você diz que serve, ama e confia?

Pode ser que hoje a situação esteja difícil e que o quê te sustenta são as lágrimas de dia e de noite, mas espere em Deus, pois você ainda o louvará!

Será que você verdadeiramente está esperando em Deus?

Por que algumas pessoas ,em vez de esperar no Senhor, buscam nos homens resposta e auxilio.

Entretanto, isto é errado, pois o único capaz de auxiliar o homem plenamente é Deus!

E normalmente, nestes períodos de lutas, o Inimigo (Satanás ) usa pessoas para levantar questionamentos sobre a fé do filho (a) de Deus:

“Onde está O seu Deus? Eu que não sirvo a este Deus e não vou a igreja como você vai estou muito bem: trabalho, estudo e tenho as coisas que desejo. E você? está aí nesta situação!”

E muitos filhos (as) dão ouvidos a estas palavras e começam a pensar: “Será que realmente meu Deus vai me ajudar? Será que Ele realmente fará algo? Será?!”

E em meio a estes questionamentos continuam a surgir as dificuldades, uma atrás da outra, e a vida parece não ter sentido algum.

Então a pessoa chora, por não ver sentido e respostas para tudo o que está vivendo.

Até quando você pode suportar? Você ainda consegue crer em Deus e ter esperança Nele?

É neste momento que há separação entre os que são corajosos e permanecem e aqueles que desistem e retrocedem.

Será que você pode declarar: Eu sei em quem eu tenho crido?

Qual será a sua escolha: desistir ou permanecer? Desistir ou ter esperança?

No livro de Salmos, capítulo 73, versos 1 e 2, Asafe declara:

“Certamente Deus é bom para Israel, para os que têm coração puro. Quanto a mim, quase tropecei; meus pés escorregaram e quase caí.”

Neste trecho, Asafe afirma que foi por pouco que ele trocou os caminhos do Senhor por outros caminhos. E logo a seguir explica o por quê deste sentimento:

“Pois tive inveja dos orgulhosos quando os vi prosperar apesar de sua perversidade.

Levam uma vida sem sofrimento e têm o corpo saudável e forte.

Não enfrentam dificuldades, nem estão cheios de problemas, como os demais

Ostentam o orgulho como um colar de pedras preciosas e vestem-se de crueldade.

Seus olhos cobiçam sempre mais, e o coração vive cheio de más intenções.

Zombam e falam somente maldades; em seu orgulho, ameaçam usar de violência.

Falam como se fossem donos dos céus, e suas palavras arrogantes percorrem a terra.

Por isso, o povo se volta para eles e bebe todas as suas palavras.

“O que Deus sabe?”, perguntam. “Acaso o Altíssimo tem conhecimento disso?

Vejam como os perversos desfrutam uma vida tranquila, enquanto suas riquezas se multiplicam.”

Asafe neste texto está observando sua vida e comparando-a com a dos ímpios.

Ele era um homem de Deus, levita, viria  na casa do Senhor.

Ao observar suas lutas e problemas e, ao mesmo tempo observar os homens ímpios,  percebe que eles não possuem os mesmos problemas e dificuldades que ele, pelo contrário estão bem, sem problema algum.

E por um instante ele começa a invejar estas pessoas e a querer ter a mesma vida que eles.

“Foi à toa que mantive o coração puro? Foi em vão que agi de modo íntegro? O dia todo só enfrento problemas; cada manhã sou castigado” (Sl 73.13 e 14)

Este questionamento chegou ao seu coração. Asafe servia e dedicava a sua vida a Deus e passava por problemas, já, aqueles que não estavam preocupados em agradar ao Senhor, possuíam tudo o que o levita desejava.

Porém estes questionamentos encontram respostas assim que ele entra na Casa do Senhor:

 “Então, entrei em teu santuário, ó Deus, e por fim entendi o destino deles” (Sl 73.17)

E então percebe que o fim dos ímpios é a destruição por escolherem permanecer longe do Senhor.

E então pôde concluir seu pensamento declarando:

“Quanto a mim, como é bom estar perto de Deus! Fiz do Senhor Soberano meu refúgio e anunciarei a todos tuas maravilhas” (Sl 73.28).

Você pode estar enfrentando os piores momentos da sua vida e sua alma pode estar abatida, mas se você tem esperança em Deus você pode declarar:

“Eu ainda o louvarei”
Ouça a mensagem “Aquieta minha alma” e permita que o Senhor encha seu coração de esperança:

 

Comunicação CERV

Quando, onde e como fazer meu devocional?

Muitas pessoas me perguntam como elas podem conduzir o seu tempo devocional. Apesar das sugestões que apresentarei aqui, preciso ressaltar que isto é algo bem pessoal. Acima de tudo, há o fato de que devemos ser sensíveis ao Espírito Santo. Há, no entanto, algumas coisas que precisam estar presentes neste momento. Assim sendo, eu gostaria de oferecer algumas sugestões para estas práticas indispensáveis do momento devocional.

Aprenda mais sobre o devocional diário

QUANDO FAZER

O momento ideal são as primeiras horas do dia, embora isto não anule o valor de um devocional feito à noite, por exemplo. Contudo, a oferta ao Senhor dos nossos primeiros momentos do dia santifica o restante do mesmo. Além disso, vemos que o maná era colhido antes que o sol se levantasse, o que também pode ser considerado como algo sugestivo (ou até mesmo simbólico). Eu prefiro, no entanto, indicar esta prática como um conselho, e não como uma ordem absoluta.

Entenda como o devocional é importante para a vida espiritual

ONDE FAZER

Há um lugar específico para termos o nosso tempo de devoção diária?

Semelhantemente à escolha do momento do dia, o lugar do devocional não está vinculado a única ordem ou instrução bíblica. Além de sabermos que devemos ter o nosso período devocional diário (e matinal) com Deus e de conhecermos algumas das práticas indispensáveis a este momento, creio que devemos compreender também a importância da quietude e da privacidade que devem estar presentes neste momento.

Conheça outros estudos do pastor Luciano Subirá

Creio que há algo poderoso na oração coletiva, e devemos aprender a orar com outros irmãos e com a igreja toda reunida. Contudo, a força do período devocional com Deus reside no princípio de estarmos a sós com Deus. Isto não somente nos ajuda a cultivarmos uma intimidade com o Senhor, mas também é um mandamento de Cristo:

“Tu, porém, quando orares, entra no teu quarto e, fechada a porta, orarás a teu Pai, que está em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará.” Mateus 6:6

Jesus falou sobre orarmos a sós. A expressão “em secreto” subentende alguém fazendo o seu devocional sozinho e também em seu quarto. Tanto uma frase como a outra indicam a importância da privacidade. Este é um fator importante nesta prática.

Jesus procurava lugares desertos para orar (Mc 1.35).

Isto não significa que o nosso devocional deva ser feito somente em nossos quartos. Tenho discípulos que já optaram por fazer no escritório do trabalho uma hora antes que as suas atividades se iniciem. Muitas vezes faço a minha leitura bíblica dentro de um avião, mas o fato é quanto maior for a privacidade, melhor será a qualidade do nosso tempo devocional.

Estar a sós com Deus é uma necessidade de cada um de nós. Nestes momentos não só pedimos, mas também O adoramos e nos rendemos a Ele com total liberdade de “rasgarmos” os nossos corações.

Assim como os casais têm os seus momentos de privacidade, longe da vista de todos os demais, creio que assim também devemos cultivar momentos de comunhão com o Noivo igualmente caracterizados pela privacidade.

Se é impossível para você ficar “trancado” pelo menos procure afastar-se (o tanto quanto possível) das demais pessoas para poder ter este momento a sós com o Senhor.

D. L. Moody, um dos mais renomados evangelistas dos séculos passados, defensor deste tipo de pensamento (como todo homem que Deus já pôde usar de modo especial), declarou o seguinte:

“Um dos mais claros sinais dos tempos é que muitos cristãos, em nossas associações de moços e igrejas, estão guardando diariamente a ‘hora tranquila’. Nesta era de correria e incessantes atividades, precisamos de algum chamado especial para nos retirarmos e nos colocarmos a sós com Deus por um tempo, todos os dias. Qualquer homem ou mulher que assim proceder, não conseguirá passar mais que vinte e quatro horas longe de Deus.”

Moody chamava o momento devocional de “a hora tranquila”. Mesmo que a nossa vida se resuma em muita correria, deve haver um momento em que conseguimos desacelerar para estarmos a sós com Deus.

O QUE FAZER

O que fazer quando nos separamos para este período devocional?

Algumas coisas são importantíssimas e inegociáveis para esta prática; outras podem mudar conforme cada pessoa ou ocasião. Eu quero falar agora daquelas que eu considero essenciais, a saber:

1. meditação bíblica;
2. oração;
3. adoração.

“É necessário que estejamos dispostos a pagar qualquer preço; não importa o quanto custa, qualquer preço vale Seu sorriso e Sua presença” (Smith Wigglesworth)

Pr. Luciano Subirá

Aprenda mais sobre ‘Quando, Onde e Como Fazer Meu Devocional?’, participe da EBD, aos domingos, às 9 horas, na CERV. Mais informações ligue: (31) 3451-5956 ou envie um e-mail para: contato@restaurandovidascerv.com.br

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén