Tag: Jesus Cristo

Cristo ressuscitou, aleluia!

Cristo ressuscitou, aleluia! Essa é uma novidade de esperança!

Se Cristo não tivesse ressuscitado o que seria da humanidade? Teriam todos perecido em seus pecados.

Entretanto, desde a época que Cristo morreu e ressuscitou, até hoje, há pessoas que questionam a veracidade desse fato.

No período que o apóstolo Paulo viveu teve que enfrentar esse tipo de questionamento na igreja de Corínto.

Havia membros da igreja duvidando da morte e ressurreição de Jesus, então o apóstolo escreve a seguinte explicação, em sua primeira carta a igreja:

 

“Mas, pela graça de Deus, sou o que sou, e sua graça para comigo não foi em vão; antes, trabalhei mais do que todos eles; contudo, não eu, mas a graça de Deus comigo.
 
Portanto, quer tenha sido eu, quer tenham sido eles, é isto que pregamos, e é isto que vocês creram.
 
Ora, se está sendo pregado que Cristo ressuscitou dentre os mortos, como alguns de vocês estão dizendo que não existe ressurreição dos mortos?
 
Se não há ressurreição dos mortos, então nem mesmo Cristo ressuscitou;
e, se Cristo não ressuscitou, é inútil a nossa pregação, como também é inútil a fé que vocês têm.
 
Mais que isso, seremos considerados falsas testemunhas de Deus, pois contra ele testemunhamos que ressuscitou a Cristo dentre os mortos.
 
Mas se de fato os mortos não ressuscitam, ele também não ressuscitou a Cristo.
 
Pois, se os mortos não ressuscitam, nem mesmo Cristo ressuscitou.
E, se Cristo não ressuscitou, inútil é a fé que vocês têm, e ainda estão em seus pecados”  (1 Co 15.10-17).
Se Cristo não tivesse ressuscitado, como Paulo escreveu a humanidade teria morrido em seus pecados, sem perdão de Deus.
 
 
A humanidade estaria numa condição deplorável e sem possibilidade alguma de serem filhos e pertencentes a família de Deus.
 
 
Se não houvesse a ressurreição toda a pregação do Evangelho, desde Cristo até a atualidade, foi e é inútil.
 
 
Todas as pessoas que têm ouvido e crido na pregação a respeito da pessoa de Jesus, podem testificar da transformação pela qual passaram.
 
 
De onde viria essa transformação? Homem algum, por mais sábio e capacitado que seja, não consegue transformar a si mesmo ou ao próximo.
 
 
Somente uma obra sobrenatural é capaz de mudar o coração do ser humano.
 
 
Por isso, aqueles que recebem Jesus em seu coração podem declarar com alegria:
 
Cristo ressuscitou, aleluia!
Pois, foi por meio dessa morte e ressurreição, que as pessoas receberam perdão, uma nova vida e a esperança de uma vida eterna.
Por isso, não apenas no dia oficial que é celebrada a ressurreição de Cristo, todos os dias, os filhos de Deus, devem celebrar, com alegria a ressurreição de Jesus.
Por que Ele vive, você pode crer num hoje, num amanhã e num futuro de esperança e vida!
Ouça a mensagem ‘Cristo ressuscitou, aleluia’ e tenha sua esperança renovada:

 

Comunicação CERV

O dia da crucificação de Jesus Cristo

“Era a hora terceira quando o crucificaram. E, por cima, estava, em epígrafe, a sua acusação: O REI DOS JUDEUS” (Mc 15.26,27)

Às 9 horas da manhã aconteceu a crucificação de Jesus e ao meio dia Ele morreu.  Antes deste fato, vários eventos marcaram o último dia de Cristo, até culminar no acontecimento que mudaria para sempre a nossa história. Vejamos quais foram esse eventos:

Jesus ora no Getsêmani – “E, adiantando-se um pouco, prostrou-se em terra; e orava para que, se possível, lhe fosse poupada aquela hora. E dizia: Aba, Pai, tudo te é possível; passa de mim este cálice; contudo, não seja o que eu quero, e sim o que tu queres” (Mc 14.35,36);

Pedro, Thiago e João dormem – “E, voltando para os discípulos, achou-os dormindo; e disse a Pedro: Então, nem uma hora pudestes vós vigiar comigo? (Mt 26. 40);

Judas trai Jesus – “Falava Ele ainda, e eis que chegou uma multidão; e um dos doze, o chamado Judas, que vinha à frente deles, aproximou-se de Jesus para o beijar. Jesus, porém, lhe disse: Judas, com um beijo trais o Filho do Homem?” (Lc 22.47,48);

Pedro nega Jesus – “Então, voltando-se o Senhor, fixou os olhos em Pedro, e Pedro se lembrou da palavra do Senhor, como lhe dissera: Hoje, três vezes me negarás, antes de cantar o galo. Então Pedro, saindo dali, chorou amargamente” (Lc 22.61,62)

Pilatos reluta – “Disse Pilatos aos principais sacerdotes e às multidões: Não vejo neste homem crime algum” (Lc 23-4);

O sinédrio incita a multidão contra Jesus – “Mas estes incitaram a multidão no sentido de que lhes soltasse, de preferência, Barrabás” (Mc 15.11);

A multidão escarnece – “Que mal fez ele? Perguntou Pilatos. Porém cada vez clamavam mais: Seja crucificado!( …) E o povo todo respondeu: Caia sobre nós o seu sangue e sobre nossos filhos” (Mt 27- 23 e 25);

Os soldados romanos ferem Jesus e o coroam com uma coroa de espinhos – “Então os soldados o levaram para dentro do palácio, que é o pretório, e reuniram todo o destacamento. Vestiram-no de púrpura e, tecendo uma cora de espinhos, lha puseram na cabeça. Davam-lhe  na cabeça com um caniço, cuspiam nele e pondo-se de joelhos, o adoravam” (Mc 15.16,17 e 19);

Jesus caminha até o calvário – “Tomaram eles, pois, a Jesus; e ele próprio, carregando a sua cruz, saiu para o lugar chamado calvário, Gólgota, em hebraico” (Jo 19.17);

As pessoas escarnecem de Jesus – “Os que iam passando, blasfemavam dele, meneado a cabeça e dizendo: Ah! Tu que destróis o santuário e, em três dias, o reedificas! Salva-te a ti mesmo, descendo da cruz!” (Mc 15.29, 30);

Jesus é crucificado – “Quando chegaram ao lugar chamado Calvário, ali o crucificaram, bem como aos malfeitores, um à direita, outro à esquerda” (Lc 23 33);

Jesus morre – “Então, Jesus clamou em alta voz: Pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito! E, dito isto expirou” (Lc 23.46)

Jesus morreu, para muitos foi o fim de um problema, para outros o fim de um sonho, entretanto, a maioria não havia compreendido as Palavras do mestre. Ele disse que morreria, mas ao terceiro dia ressuscitaria (Mt 16.21).

Hoje é sexta, mas domingo está chegando e com ele a vitória sobre a morte: A ressurreição do Salvador!

Nesta sexta agradeça ao Senhor pois, por sua morte, foi nos dada a vida eterna. Na cruz recebemos a maior prova do amor de Deus para conosco! E por meio desse grande amor vivemos!

A seguir, assista ao vídeo que traz um trecho do sermão: “Domingo está chegando”, do pastor Shadrach Meshach Lockridge:

Domingo, 16 de abril, às 6 horas da manhã, celebraremos o Culto da Ressurreição! Participe conosco desta celebração!

Nossa igreja fica à Rua Érico Veríssimo, 1167 – Santa Mônica. Mais informações ligue: (31) 3451-5956 ou envie um e-mail para: contato@restaurandovidascerv.com.br

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén