Tag: investimento

Faça a obra de Deus

É mais fácil discutir teologia do que fazer a obra de Deus. Essa foi a tendência dos fariseus que estavam sempre interessados nas discussões, agarrados às tradições dos anciãos, e faziam disso um fim em si mesmo, em vez de fazerem a obra de Deus ou, no mínimo, deixar que a obra fosse feita.

Essa mesma tendência era vista nos discípulos. Ao verem um homem cego de nascença, aproveitaram o ensejo para entrar num território fértil de discussão das causas dessa enfermidade. Queriam discutir opiniões. Queriam debater as causas daquela tragédia pessoal.

Jesus, porém, não alimentou esse viés hermenêutico nem nos seus opositores fariseus nem mesmo nos seus discípulos. Ao contrário, mostrou que a obra de Deus é para ser feita e não discutida. O sofrimento alheio não é para ser especulado e sim aliviado.

Mesmo depois que Jesus ressuscitou dentre os mortos, os discípulos alimentando ainda expectativas messiânicas políticas.

Perguntaram a Jesus se seria no cumprimento da promessa do Pai, com o derramamento do Espírito, que ele restauraria o reino a Israel. Nutriam o desejo de serem os homens de vanguarda nesse reino e de fazer de Jerusalém a capital desse reino.

Jesus, porém, põe o machado da verdade na raiz dessa aspiração equivocada, mostrando a eles, que não lhes competia saber tempos ou épocas, que o Pai havia reservado para sua exclusiva autoridade.

Entenda a força que seu testemunho tem nas mãos do Senhor

Antes, eles deviam receber poder, ao descer sobre eles o Espírito Santo, a fim de se fixarem naquilo que era sua responsabilidade, ou seja, ser suas testemunhas até aos confins da terra.

A igreja recebe poder para fazer a obra e não para discutir a obra. A igreja recebe poder para sair da especulação teológica para o campo da ação missionária. É óbvio que há espaço para a apologética cristã. A defesa da fé é fundamental quando a integridade das Escrituras é atacada. Mas, a igreja viver o tempo todo discutindo e rediscutindo os mesmos assuntos, deixando de lado a agenda da proclamação do evangelho é uma perda de foco.

Precisamos estar atentos para não sermos arrastados para essa agenda da especulação.

Quando Davi estava na eminência de enfrentar o gigante Golias, seu irmão Eliabe quis desviá-lo do foco, fazendo-lhe pesadas críticas. Davi ao perceber sua intenção, deixou-o de lado e concentrou-se no seu alvo, ou seja, vencer o gigantes.

Mais tarde, Neemias, impelido pelo senso de dever e amor ao seu povo, colocou-se nas mãos de Deus para restaurar a cidade de Jerusalém, há cento e quarenta e dois anos debaixo de escombros. Seus opositores tentaram de diversos modos e em diversas circunstâncias paralisar a obra, mas Neemias, com os olhos fixos no alvo, respondeu: “Estou fazendo uma grande obra e não posso descer”. Neemias, não estava disposto a parar a obra para discutir a obra.

Quando os discípulos de Jesus, no sopé do monte da Transfiguração, foram procurados por um pai aflito, rogando-lhes que curasse seu filho lunático, eles não puderam. Estavam desprovidos de poder. Em vez de orar e jejuar, de exercer fé e libertar o jovem endemoninhado pelo poder de Deus, estavam discutindo com os escribas. Desprovidos de poder, haviam perdido o foco. Em vez de fazer a obra, estavam discutindo a obra.

O grande pregador Charles Haddon Spurgeon, disse que o evangelho não é tanto para ser discutido, mas, sobretudo, para ser proclamado.

 

O evangelho é como um leão. Um leão não precisa de defesa, basta soltá-lo. Hoje, nos esmeramos mais em discutir o evangelho do que em pregar o evangelho. Hoje gastamos mais tempo com discussões, algumas empolgantes, outras até mesmo fúteis, do que proclamando o evangelho, que é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê.

Erguemos os estandartes de nossas opiniões com zelo incomum, ao mesmo tempo que calamos nossa voz, covardemente, deixando de anunciar aos perdidos o evangelho. Atravessamos mares para fazer um discípulo de nossas ideias, mas não cruzamos a rua para anunciar Cristo aos nossos vizinhos.

Oh, que Deus nos dê discernimento e nos leve ao Cristianismo puro e simples, a fim de que a ação missionária da igreja não seja sepultada debaixo de nossas tradições religiosas nem retardada pelas nossas especulações teológicas.

 

Rev. Hernandes Dias Lopes

Conheça a Deus

Conheça a Deus! Essa frase resume o que o Senhor falou ao seu povo por meio do profeta Oséias:

Então, conheçamos e prossigamos em conhecer ao Senhor […] Os 6.3a

 

No contexto do versículo acima, o povo escolhido do Senhor estava entregue ao pecado e se comportava como se não conhecesse a Deus.

A verdade é que uma vez que tinha conhecido ao Senhor o abandonou para fazer suas próprias vontades.

Essa atitude demonstrava que não amava a Deus, mas a si próprio, ao ego, a carne.

Trazendo essa história para o contexto atual, não será de se admirar notarmos que as igrejas estão repletas de pessoas que dizem conhecer a Deus, mas não o amam.

Estão se relacionando com o Pai, não por amor, mas por aquilo que Ele pode dar (as bênçãos).

Facilmente trocam a intimidade com o Senhor, por intimidade com as redes sociais e outras pessoas que nem conhecem a Deus.

Deus convoca seus filhos para não se contentarem com um relacionamento superficial com Ele.

 

Acesse este estudo e aprenda mais sobre este assunto

 

E isso começa quando se prioriza a oração, o jejum e o estudo das Sagradas Escrituras para que essa relação seja profunda e sincera.

Estar dentro de uma congregação evangélica não salva e muito menos é sinal de que a pessoa ama a Deus.

Isso nada mais é que uma aparência de piedade, hipocrisia que não levará a pessoa a eternidade com Deus, mas sim com Satanás.

 

Conheça a Deus!

 

Esse é o clamor do Espírito Santo no dia que se chama hoje! Conheça a Deus e isso aumentará o seu amor por Ele.

Em vez de investir seu tempo em conversas vãs no WhatsApp ou visualizando fotos dos outros, porque não orar e ler a Bíblia?

Ainda que seja no smartphone, ouça a Bíblia, mensagens da igreja e louvores que te aproximarão do Senhor.

Não contamine sua mente com músicas e palavras que te aproximam do sistema que domina este mundo.

 

Saiba como conhecer mais a Deus

 

Hoje, o Espírito Santo de Deus convida a você a tomar a seguinte atitude:

Vinde, e tornemos ao SENHOR, porque ele despedaçou, e nos sarará; feriu, e nos atará a ferida. Os 6.1

Se você está longe do Senhor, se o seu coração está nas coisas deste mundo, volte-se hoje mesmo para Deus!

Faça uma oração se arrependendo e retorne para a casa de Deus. Creia, Ele te ama e não deseja que você continue como está!

Ouça a mensagem Conheça a Deus e reflita onde está o seu coração:

 

Comunicação CERV

É chegado o Reino de Deus

É chegado o Reino de Deus! Assim iniciou Jesus o seu ministério, após 40 dias e 40 noites em jejum no deserto.

O mestre conclamava as pessoas a se arrependerem por que o Reino de Deus estava próximo.

E essa proximidade se dava por meio da evangelização que Jesus e seus discípulos faziam.

Jesus anunciou: “É chegado o Reino de Deus” e deixou essa mesma missão aos discípulos e a igreja de hoje:

“Jesus, aproximando-se, falou-lhes, dizendo: Toda autoridade me foi dada no céu e na terra. Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo; ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado. E eis que estou convosco todos os dias até a consumação do século” (Mt 28.18, 19 e 20).

“Toda autoridade me foi dada no céu e na terra” 

A Palavra afirma que Jesus é o nome que está acima de todo nome (Fp 2.9-11). Ele é superior aos líderes, reis e príncipes da terra.

Ele é o príncipe da paz (Is 9.6) e na autoridade do seu nome pessoas são curadas e libertas de todo mal.

E o mesmo Jesus que realizou obras maravilhosas descritas nos Evangelhos é o mesmo que salva, liberta e cura nos dias de hoje, pois Ele não muda.

Por isso, no nome de Jesus, os discípulos de hoje, podem salvar, libertar e curar as pessoas.

“Ide, portanto, e fazei discípulos de todas as nações”

O ide é para todos os discípulos de Jesus. E em meio aos seguidores de Cristo há dois tipos de pessoas:

1) A multidão – Ao analisar os Evangelhos veremos que as multidões seguiam Jesus e Ele as curou, libertou e alimentou.

Hoje, há multidões que seguem a Cristo, mas com o único objetivo de receberem uma bênção ou milagre.

Esse tipo de pessoa não quer ser um verdadeiro discípulo de Jesus, pois para ser discípulo é necessário fazer discípulos e isso não é fácil.

Durante os três anos e meio que esteve na terra Jesus escolheu 12 homens para caminharem com Ele. E desses um o negou e outro o traiu.

Portanto, fazer discípulos não é uma tarefa fácil, pois é necessário dedicar tempo e muita oração.

Jesus não disse: Ide e fazei multidões, mas sim Ide e fazei discípulos.

É necessário fazer discípulos nos bairros, cidades, estados e países onde se encontram os verdadeiros discípulos de Jesus.

E só quem tem um coração missionário compreende a importância de ser e fazer discípulos.

2) Os discípulos – Jesus escolheu homens para caminhar ombro a ombro com Ele. E não apenas a caminhar, mas aprender e ensinar.

Em outras palavras: fazer discípulos.

Jesus não teve apenas os 12. Após seu discurso descrito no Evangelho de João, muitos o deixaram ficando apenas os doze.

O mestre vendo a cena perguntou aos demais: vocês também não vão me deixar? Ao que é respondido por Pedro: “Para onde iremos,  Senhor, se só tu tens palavras de vida eterna?”.

O verdadeiro seguidor de Jesus se torna um discípulo e faz discípulos, mesmo com as lutas e perseguições não abandona o mestre, pois sabe que sua vida só tem sentido em Jesus.

Saiba como ter um coração missionário

“Batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo”

O resultado do discipulado é o batismo. A pessoa ao se converter e compreender o que significa essa conversão tem o desejo de testemunhar isso publicamente se batizando.

O batismo nas águas é um ato no qual a pessoa declara que já não vive para satisfazer a si mesmo e ao mundo, mas que é uma nova pessoa em Cristo e vive para agradá-lo.

“Ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado”

O que Jesus tem ensinado e deseja que seus discípulos ensinem está escrito em Mateus 22. 37, 38 e 39:

“Respondeu-lhe Jesus: Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todo o teu entendimento. Esse é o grande e primeiro mandamento. O segundo, semelhante a este é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo”.

Quem ama, dá a sua vida pelo próximo. E foi isso que Jesus fez, deu sua vida por toda a humanidade, por amor.

Cada seguidor de Jesus pode fazer isso, dedicando sua vida a pregar o Evangelho por amor ao próximo. Seja onde trabalha, estuda, mora ou em outras cidades, estados e nações.

Como deve ser uma igreja comprometida com missões

“Eis que estou convosco todos os dias até a consumação do século”

Se Jesus é por nós quem será contra nós? Ainda que passemos pelo vale da sombra da morte não temeremos mal algum porque Ele está presente.

Não existe situação na qual o Senhor não se faça presente. Se permanecermos com Ele, Ele permanecerá conosco.

Mesmo que haja a perseguição, as lutas e os problemas, Jesus é com seus amigos e servos para ajudá-los a viver e pregar o Evangelho.

Ouça a mensagem “É chegado o Reino de Deus” e permita que o Espírito Santo mostre se você tem levado esse Reino a todas as pessoas:

Comunicação CERV

Saiba mais sobre o trabalho missionário realizado pela CERV:
(31) 3451-5956 ou envie um e-mail para: contato@restaurandovidascerv.com.br

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén