Tag: Ide (Page 1 of 2)

Faça a obra de Deus

É mais fácil discutir teologia do que fazer a obra de Deus. Essa foi a tendência dos fariseus que estavam sempre interessados nas discussões, agarrados às tradições dos anciãos, e faziam disso um fim em si mesmo, em vez de fazerem a obra de Deus ou, no mínimo, deixar que a obra fosse feita.

Essa mesma tendência era vista nos discípulos. Ao verem um homem cego de nascença, aproveitaram o ensejo para entrar num território fértil de discussão das causas dessa enfermidade. Queriam discutir opiniões. Queriam debater as causas daquela tragédia pessoal.

Jesus, porém, não alimentou esse viés hermenêutico nem nos seus opositores fariseus nem mesmo nos seus discípulos. Ao contrário, mostrou que a obra de Deus é para ser feita e não discutida. O sofrimento alheio não é para ser especulado e sim aliviado.

Mesmo depois que Jesus ressuscitou dentre os mortos, os discípulos alimentando ainda expectativas messiânicas políticas.

Perguntaram a Jesus se seria no cumprimento da promessa do Pai, com o derramamento do Espírito, que ele restauraria o reino a Israel. Nutriam o desejo de serem os homens de vanguarda nesse reino e de fazer de Jerusalém a capital desse reino.

Jesus, porém, põe o machado da verdade na raiz dessa aspiração equivocada, mostrando a eles, que não lhes competia saber tempos ou épocas, que o Pai havia reservado para sua exclusiva autoridade.

Entenda a força que seu testemunho tem nas mãos do Senhor

Antes, eles deviam receber poder, ao descer sobre eles o Espírito Santo, a fim de se fixarem naquilo que era sua responsabilidade, ou seja, ser suas testemunhas até aos confins da terra.

A igreja recebe poder para fazer a obra e não para discutir a obra. A igreja recebe poder para sair da especulação teológica para o campo da ação missionária. É óbvio que há espaço para a apologética cristã. A defesa da fé é fundamental quando a integridade das Escrituras é atacada. Mas, a igreja viver o tempo todo discutindo e rediscutindo os mesmos assuntos, deixando de lado a agenda da proclamação do evangelho é uma perda de foco.

Precisamos estar atentos para não sermos arrastados para essa agenda da especulação.

Quando Davi estava na eminência de enfrentar o gigante Golias, seu irmão Eliabe quis desviá-lo do foco, fazendo-lhe pesadas críticas. Davi ao perceber sua intenção, deixou-o de lado e concentrou-se no seu alvo, ou seja, vencer o gigantes.

Mais tarde, Neemias, impelido pelo senso de dever e amor ao seu povo, colocou-se nas mãos de Deus para restaurar a cidade de Jerusalém, há cento e quarenta e dois anos debaixo de escombros. Seus opositores tentaram de diversos modos e em diversas circunstâncias paralisar a obra, mas Neemias, com os olhos fixos no alvo, respondeu: “Estou fazendo uma grande obra e não posso descer”. Neemias, não estava disposto a parar a obra para discutir a obra.

Quando os discípulos de Jesus, no sopé do monte da Transfiguração, foram procurados por um pai aflito, rogando-lhes que curasse seu filho lunático, eles não puderam. Estavam desprovidos de poder. Em vez de orar e jejuar, de exercer fé e libertar o jovem endemoninhado pelo poder de Deus, estavam discutindo com os escribas. Desprovidos de poder, haviam perdido o foco. Em vez de fazer a obra, estavam discutindo a obra.

O grande pregador Charles Haddon Spurgeon, disse que o evangelho não é tanto para ser discutido, mas, sobretudo, para ser proclamado.

 

O evangelho é como um leão. Um leão não precisa de defesa, basta soltá-lo. Hoje, nos esmeramos mais em discutir o evangelho do que em pregar o evangelho. Hoje gastamos mais tempo com discussões, algumas empolgantes, outras até mesmo fúteis, do que proclamando o evangelho, que é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê.

Erguemos os estandartes de nossas opiniões com zelo incomum, ao mesmo tempo que calamos nossa voz, covardemente, deixando de anunciar aos perdidos o evangelho. Atravessamos mares para fazer um discípulo de nossas ideias, mas não cruzamos a rua para anunciar Cristo aos nossos vizinhos.

Oh, que Deus nos dê discernimento e nos leve ao Cristianismo puro e simples, a fim de que a ação missionária da igreja não seja sepultada debaixo de nossas tradições religiosas nem retardada pelas nossas especulações teológicas.

 

Rev. Hernandes Dias Lopes

Esperança para a Turquia

Uma pesquisa rápida no google e você ficará consternado diante de tantas notícias tristes sobre os refugiados na Turquia. Embora o quadro seja triste, há esperança para a Turquia.

Essa esperança tem se manifestado na Turquia por meio da presença de missionários do mundo.

Esses irmãos, movidos pelo Espírito Santo têm trabalhado para levar socorro físico, material, emocional e espiritual aos refugiados.

São milhares de famílias que estão deixando a Síria e indo para Turquia em busca de uma nova vida.

Entretanto, o país Turco já não consegue assistir a todos o

Pastor Jackson contando sua experiência na Turquia

s refugiados. Esses, por sua vez, tentam atravessar o mar em busca de ajuda na Grécia.

Nessa travessia, infelizmente, muitos morrem e os que conseguem completar o trajeto têm outras desafios no campo de refugiados.

E é em meio a essas situações na Turquia que o pastor Jackson Marques, da Jocum (MG) foi chamado para pregar o Evangelho.

 

Por isso, no princípio deste ano fez uma viagem até o país para conhecer melhor a situação e a realidade dos refugiados.

Infelizmente, como o pastor se deparou com famílias destruídas e crianças desamparadas, pois perderam toda a família.

Essas crianças chegam aos campos de refugiados com traumas emocionais sérios que culmina, em muitos casos, no suicídio.

Por isso, assim como o pastor Jackson, Jesus recrutou outros irmãos para levar esperança para a Turquia.

Esperança para corações feridos, desolados, sem expectativa, sem a vida de Deus.

A Turquia não é um país totalmente fechado ao Evangelho, por isso, esse é o tempo de Deus para que missionários cheguem, se estabeleçam e comecem a trabalhar.

O público alvo do trabalho do pastor Jackson e sua família serão as crianças refugiadas. O objetivo é trata-las emocionalmente e espiritualmente.

E isso se dará por meio da pessoa do Senhor Jesus e do Evangelho.

O caminho para chegar ao coração dessas crianças não será fácil, por isso é necessário preparo espiritual e a intercessão da igreja.

É a oração que vence as barreiras das trevas, quebranta corações e possibilita que a semente da Palavra frutifique.

Portanto, desde já , você está convocado (a) para ser um intercessor e colaborador dessa missão.

Ore pelas crianças refugiadas na Turquia, pelos missionários que lá trabalham e pelo pastor Jackson e sua família.

Sua oração fará toda a diferença, pois auxiliará os irmãos a ganharem almas para Jesus e trata-las com o amor do Senhor.

A seguir, ouça a mensagem ministrada pelo pastor Jackson e saiba mais sobre essa missão!

 

Ouça a mensagem Esperança para a Turquia:

 

Comunicação CERV

A força do testemunho

A força do testemunho aborda a importância dos filhos de Deus testemunharem sobre Jesus Cristo por meio de atitudes aprovadas pelas Sagradas Escrituras.

A partir da conversão o homem é convocado a seguir a Cristo e a viver o Ide do Senhor. Isso significa pregar o Evangelho a toda criatura ou a todas as pessoas.

E essa missão Jesus deixou não apenas para aqueles discípulos que caminharam com Ele, mas também para a Igreja de hoje.

Por isso, todas as pessoas que fazem parte da família de

Pastora Maria ministrando a Palavra de Deus

Deus através de Jesus devem pregar o Evangelho.

E o Evangelho é nova vida, transformação! E isso deve ser evidenciado não apenas por mudanças no discurso, mas principalmente por atitudes transformadas.

Portanto, a força do testemunho está em palavras e em ações convergindo e apontando para a pessoa do Senhor Jesus Cristo de Nazaré.

Conheça o testemunho da pastora Maria e do seu saudoso esposo Paulo Roberto

A Palavra de Deus, em Lucas, capítulo 8 dos versos 26 ao 39 conta a história do endemoninhado de Gadara. Esse homem estava preso espiritualmente e ao ter um encontro com Jesus foi liberto.

O desejo desse homem era de seguir Jesus, mas ouviu do Mestre a seguinte instrução:

Vá para a sua família e conte a eles tudo o que Deus fez por você

E o homem obedeceu ao Senhor Jesus e a Bíblia conta que ele viajou por dez cidades testemunhando sobre a obra de Cristo em sua vida.

Kézia Rezende ministrando o louvor

Isso é o que Deus espera de seus filhos e da Sua Igreja. Que todos deem bom testemunho de Cristo.

Não apenas apresentando uma conduta exemplar, mas compartilhando exatamente o que Jesus fez por suas vidas.

Entretanto, muitos que já foram alcançados tiraram a mão do arado e olharam para trás.

Permitiram que as dificuldades, problemas e sofrimentos esfriassem o coração e deixaram Jesus e a chamada de lado para viverem suas próprias vidas.

Leia o testemunho “Amor que Transforma”

Entretanto, Jesus, hoje, o convida a rever seus caminhos, voltar onde caiu e recomeçar!

Ainda que você esteja passando por lutas, perseguições e desânimo, te convido a declarar as seguintes palavra de fé: Sempre um passo para frente e nunca retroceder nem um passo para trás porque aquele que põe a mão no arado não olha para trás. Eu estou firmado na rocha que é Jesus, portanto, não vou olhar para trás! – Pra. Maria Rezende

Portanto, creia que Jesus pode fazer ou refazer de você uma verdadeira testemunha Dele nesta Terra!

Convidamos você a ouvir as ministrações de louvor e Palavra a seguir. Permita que o Espírito Santo transforme e renove seu coração em Jesus e nos seu chamado:

Especial – Louvor com Kézia Rezende
Pregação – A força do testemunho (parte 1) – Pra. Maria Rezende
Pregação – A força do testemunho (parte 2) – Pra. Maria Rezende

 

Mais informações sobre o MÊS DE missões ligue:(31) 3451-5956/ 99306-6957 ou envie um e-mail para contato@restaurandovidascerv.com.br

Comunicação CERV

30 dias em missões

30 dias em missões, assim será o mês de setembro na CERV. Todas as pregações abordarão a temática da obra missionária no Brasil e exterior.

Estarão na igreja, ministrando a Palavra de Deus, aos domingos, irmãos (as) que vivem em missões e para missões.

Comunidade em momento de adoração ao Senhor

 

Eles compartilharão experiências e realidades marcadas pelo Evangelho e também aquelas que necessitam ser alcançadas pelo amor de Jesus Cristo.

No primeiro domingo, amanhã, estará conosco a irmã Maria Rezende e nos domingos seguintes os irmãos (os) Jackson Marques, Gorete Pinheiro, Mácio Pinheiro e Paulo Silas.

Além disso, haverá apresentações especiais e no último domingo a entrega da oferta missionária de cada membro da comunidade.

Ao longo de 1 ano a igreja é incentivada a preparar uma oferta especial a ser  entregue aos missionários auxiliados pela CERV e outros irmãos.

Saiba mais sobre o evento e a CERV

“Sempre dizemos que essa oferta é o natal dos missionários, pois é um valor maior do que ofertamos mensalmente. Sabemos que esses irmãos deixaram tudo para servir ao Senhor e ganhar almas, então de todo o nosso coração preparamos essas ofertas para abençoá-los e ajudá-los em alguma necessidade ou a realizar algum desejo de seus corações.”, explica a pastora Graça Pitzer.

Para entregar a oferta, cada membro prepara um envelope especial,decorado e bem elaborado. 

Irmãos com trajes típicos

E a decoração não fica limitada apenas aos envelopes, os irmãos vestem roupas típicas de regiões do Brasil ou de outros países e a igreja é toda ornamentada.

Serão 30 dias em missões, no qual a igreja ora, oferta e aprende mais sobre a vida e a obra missionária nesta Terra.

Aprenda mais sobre missões

Como está exposto na comunidade: “Missões está no coração de Deus”.

Participe conosco dessa programação especial, você será muito bem-vindo (a)!

Mais informações: (31) 3451-5956 / 993096957 ou envie um e-mail para contato@restaurandovidascerv.com.br

 

Comunicação CERV

Como evangelizar uma pessoa?

Como evangelizar uma pessoa? Qual seria a melhor maneira de compartilhar sobre Cristo e seu Evangelho?

Muitos evangélicos levantam esses questionamentos quando são convidados a participar de evangelismo ou ações evangelísticas da igreja.

 

Por isso, para sanar suas dúvidas a respeito de como evangelizar uma pessoa, buscamos na Palavra de Deus a resposta.

 

 

Contudo, é importante entender algo fundamental:

valor desta missão

 

Jesus disse: “Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura. Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado.” (Mc 16.15,16).

Afinal, para quem Jesus disse isso? Para os discípulos de ontem, para os discípulos de hoje (você) e para os discípulos de amanhã.

A ordem de IR é para todas as pessoas que foram salvas por meio de Jesus e fazem parte do Seu Corpo, a igreja.

Portanto, evangelizar é uma missão deixada por Cristo a todos os filhos de Deus e não fazê-la é negligenciar, desobedecer a uma ordem divina.

E para quem devo pregar? Para todas as pessoas, não importa classe, raça, credo ou língua. Todos devem conhecer o Evangelho do Senhor.

Agora que você já compreende o valor desta missão, vamos a pergunta que originou este texto:

Como evangelizar uma pessoa?

Enumeramos quatro pontos, baseados na bíblia, para o leitor compreender como evangelizar uma pessoa:

1) Apresentando a ela a pessoa do Senhor Jesus
As pessoas precisam entender quem é Jesus, de onde veio e qual o propósito da sua vinda.
A Bíblia afirma que:
Deus amou o mundo de tal maneira que deu seu filho Unigênito para que todo aquele que Nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna.
Pois Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para condenar o mundo, mas para que este fosse salvo por meio dele” (Jo 3.16 e 17).
Deus demonstrou seu amor ao ser humano, criado por Ele, ao enviar Jesus para morrer na cruz.
Jesus obedeceu ao chamado Deus, deixando sua glória como Deus e se tornando homem para salvar os homens.
Mas salvar os homens de quê? Aqui entra o segundo passo:
2) Mostrando que todos estão no pecado e precisam de Jesus

“Pois todos pecaram e estão destituídos da glória de Deus.” (Romanos 3.23).

Todos os seres humanos escolheram pecar, todos têm sua responsabilidade pessoal e individual em relação ao pecado.

O pecado é a transgressão da Lei de Deus é viver segundo a sua própria vontade ignorando o Senhor e os seus mandamentos.

Pecado é tudo que não agrada a Deus, pode-se enumerar alguns, lembrando que não existe pecado maior ou menor, tudo é pecado aos olhos do Senhor.

Pecado é mentir, adulterar, pensar o que é mau, desejo de vingança, ódio, raiva, mágoa, vícios, dentre outros.

E são esses pecados que separam o ser humano de Deus, que o impedem de ter plena comunhão com o criador.

Entenda sobre o tempo de evangelizar

Mas como sair da condição de pecador para não pecador? A resposta vem no tópico a seguir:

3) Sendo aceito por Cristo por meio do seu sacrifício salvífico

“Sendo justificados gratuitamente por sua graça, por meio da redenção que há em Cristo Jesus” (Romanos 3.24).

O ser humano recebe perdão em Cristo ao crer que seu sacrifício na cruz foi realizado em seu favor, para livrá-lo do pecado e da condenação a morte.

Esse sacrifício, é gratuito, ninguém precisa pagar, pois Jesus já pagou tudo em sua morte.

A salvação é graça, favor de Deus a todos, ainda que ninguém mereça!

Esse é o verdadeiro amor de Deus!

Mas como ter acesso a essa graça? Como ser aceito por Cristo?

4) Arrependendo-se e confessando JESUS COMO SENHOR
“Se você confessar com a sua boca que Jesus é Senhor e crer em seu coração que Deus o ressuscitou dentre os mortos, será salvo.
Pois com o coração se crê para justiça, e com a boca se confessa para salvação.
Como diz a Escritura: “Todo o que nele confia jamais será envergonhado.” (Rm 10.9-11).
A Bíblia também afirma que sem arrependimento não há perdão de pecados.
Por isso, a pessoa  deve reconhecer seus pecados e pedir que Jesus a perdoe e limpe seu coração de todo o mal.
Além disso é importante declarar com palavras e fé que Jesus é o Filho de Deus.
Que Jesus é o Filho de Deus que tira, perdoa os pecados e concede nova vida!
E, por meio de Jesus, a pessoa deixa de ser criatura e passa a ser filha de Deus, reconciliada com o Pai por meio do Filho.

É importante lembrar que evangelizar não é obra humana

 

O filhos de Deus são usados por Ele como o meio de alcançar vidas, mas a glória não é do homem e o poder não é do homem, mas sempre do Senhor!
Por isso é importante lembrar o que Jesus disse aos seus discípulos em Atos:
“Não saiam de Jerusalém, mas esperem pela promessa de meu Pai, da qual lhes falei.
Pois João batizou com água, mas dentro de poucos dias vocês serão batizados com o Espírito Santo” (At 1.4,5).
É importante ser cheio do Espírito Santo, pois foi após os discípulos serem revestidos de poder é que puderam ser testemunhas e pregar o Evangelho.
E é o Espírito Santo que convence o homem!
“Quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, da justiça e do juízo” (Jo 16.8).
Além disso, a oração não pode faltar!
Ore, ore e ore.
Antes, durante e depois do evangelismo, pois a oração alcança lugares que nossas palavras não alcançam.
Portanto, você que chegou até aqui querendo saber como evangelizar uma pessoa, leia e releia os tópicos aqui abordados.
Medite nos versículos e principalmente tenha uma vida cheia do Espírito Santo, uma vida de oração.
 SAIBA mais sobre Como evangelizar uma pessoa. Fale conosco:

contato@restaurandovidascerv.com.br ou (31) 345-5956/ 35041341/99309-6957

Comunicação CERV

O tempo do chamado de Deus

O tempo do chamado de Deus já está determinado para cada um dos seus filhos.

Antes mesmo dos seus filhos chegarem a este mundo, o Senhor já desenhou o propósito específico de cada um. 

Não existe atraso ou adiantamento, tudo acontece na hora certa, no período certo.

O importante é estar em Deus, fazendo a obra Dele e com atenção a voz do Espírito Santo.

Isso aconteceu na vida dos apóstolos Paulo e Barnabé enquanto serviam a Deus na Igreja de Antioquia:

 

“Na igreja de Antioquia havia profetas e mestres: Barnabé, Simeão, chamado Níger, Lúcio de Cirene, Manaém, que fora criado com Herodes, o tetrarca, e Saulo.
 
Enquanto adoravam ao Senhor e jejuavam, disse o Espírito Santo:
“Separem-me Barnabé e Saulo para a obra a que os tenho chamado”.
 
Assim, depois de jejuar e orar, impuseram-lhes as mãos e os enviaram.
 
Enviados pelo Espírito Santo, desceram a Selêucia e dali navegaram para Chipre” (Atos 13.1-4).
 
Paulo e Barnabé estavam na igreja, servindo como mestres e profetas até que o Espírito Santo os chamou.
 
Esses homens tinham compromisso com a obra e no tempo de Deus foram enviados às nações para proclamar o Evangelho.
 
A Bíblia afirma que Jesus já havia declarado a Paulo  que ele pregaria o Evangelho aos gentios (At 9.15).
 
 
Porém, antes desse chamado se cumprir, Paulo precisou passar por um período de mudanças e aprendizados.
 
Talvez esse seja o seu caso, quem sabe Deus está te capacitando para cumprir com excelência o seu chamado?
 
Outra informação importante do texto de Atos é que o chamado partiu do Espírito Santo e não de homens.
 
Por isso, os filhos de Deus devem aprender a ouvir e a discernir a voz do Espírito Santo.
 
E essa orientação, vale para o chamado. Portanto, não tente dar uma força ou ajuda para o Senhor, Ele sabe a hora certa de te enviar!
 
Ainda no texto é possível notar que Paulo e Barnabé são abençoados pelos irmãos, ou seja, têm o apoio da igreja para o chamado de Deus!
 
Por isso, não faça nada sem a direção do Espírito Santo e principalmente, sem a ajuda da sua igreja.
Ninguém faz a obra do Senhor sozinho. É necessário ir, como Paulo e Barnabé, mas também é fundamental o sustento (espiritual e material) por meio dos que ficam.
Portanto, a partir desse texto e pregação,  tenha o discernimento de que há o tempo do chamado de Deus!
Ouça  A MENSAGEM ‘O tempo do Chamado de Deus’ :

 

Comunicação CERV

As joias de Deus

As joias de Deus são citadas por Jesus em Mateus 25.40:

 

“O Rei responderá: Em verdade vos digo que quantas vezes o fizestes a um destes meus irmãos mais pequeninos, a mim fizestes”

 

Essas joias são os “pequeninos” ou “menores” que precisam conhecer a verdade divina: A Palavra de Deus.

 

E quem seriam esses pequeninos?

 

 
Os pobres, os doentes, os prisioneiros, os marginalizados, os idosos, os adultos, os jovens e as crianças.
 
São pessoas que necessitam conhecer a pessoa de Jesus Cristo de Nazaré!
 
E como elas terão conhecimento da verdade?
 

Por meio da sua vida.

 
 
Porém, para ser um pregador do Evangelho é necessário ser transformado pelo poder de Deus.
 

E isso só acontece a partir do momento que a pessoa se posiciona diante das verdades bíblicas a ela reveladas.

 
A Bíblia afirma que:
 

“Desde os dias de João Batista até agora, o Reino dos céus é tomado à força, e os que usam de força se apoderam dele (Mt 11.12).

 
 

Reino de Deus é alcançado por esforço e  para isso é fundamental ouvir e  obedecer a voz do Espírito Santo.

 

As verdades divinas precisam substituir as mentiras das trevas, do Diabo.

 

Escolher uma vida de hipocrisia fará com que a pessoa perca a própria salvação e não cumpra o propósito da sua vida que é pregar o Evangelho.

 

Por isso, Jesus deve ser o principal amor da vida daquele que se diz filho de Deus.

 

E para que esse amor aumente a pessoa precisa conhecê-lo por meio da Bíblia. Ser um praticante da Palavra e ser cheio do Espírito Santo.

 
 
 
 
Vivendo dessa forma será possível alcançar as joias de Deus, tão preciosas para o Senhor.
 

Há alguma dessas joias perto de você?

 

Como você pode alcançar essas pessoas para o Senhor Jesus?

 

Ore e peça ao Espírito Santo que coloque em seu coração o amor e o desejo de viver para Jesus e alcançar as joias de Deus.

 
Ouça a mensagem ‘As joias de Deus’ e seja edificado pela Palavra do Senhor:

 

Comunicação CERV

A vontade de Deus, o leão de Madagascar e a phronesis de Cristo

SOBRE AS VONTADES

É muito comum que, sem pedirmos a ninguém, que sejamos forçados a vestir uma armadura ainda que ela não seja feita sob a nossa medida. Colocamos o capacete e este fica bambo quase caindo, o peitoral está bem largo e, de tão pesado, dói nossos ombros! Sem contar nas nossas pernas que parecem engessadas, dificultando nosso movimento de caminhar que deveria ser tão natural.

“E Saul vestiu a Davi de suas vestes, e pôs-lhe sobre a cabeça um capacete de bronze; e o vestiu de uma couraça. E Davi cingiu a espada sobre as suas vestes, e começou a andar; porém nunca o havia experimentado; então disse Davi a Saul: Não posso andar com isto, pois nunca o experimentei. E Davi tirou aquilo de sobre si” (1 Sm 17.38 e 39).

Infelizmente isso que aconteceu com Davi, acontece nos dias de hoje, mais do que possamos imaginar. As pessoas querem que sejamos o que eles querem.  Isso pode acontecer entre amigos que querem imprimir seus pensamentos e ações em nós ou em nosso relacionamento familiar quando os pais  querem escolher a nossa profissão.

Às vezes tentam nos moldar através das críticas, criticando a música que ouvimos, a comida que comemos, a roupa que vestimos, e se não comermos, ouvirmos e vestirmos, o que os outros querem, não estará bom. E tem gente que vai passar a vida inteira assim, sendo guiada pela opinião dos outros.

Mas tem aqueles que conhecem a “liberdade” e de repente resolvem ser o que eles querem ser. Já não ouvem conselhos, não aceitam opiniões. Tomam as rédeas da sua própria vida, ditam as regras, e ao contrário de antes, não vivem mais para satisfazer a vontade dos outros, mas a sua. Afinal, já  estão cansados de serem bombardeados desde pequenos com a pergunta: “O que você quer ser quando crescer?”

E esse dilema entre viver como a pessoa deseja ou viver como os outros desejam esta bem presente na sociedade que vivemos (e isso inclui a Igreja). As pessoas vivem uma crise de identidade, nunca se encontram torando-se insaciáveis. Não sabem o que são! Se não sabem, como serão felizes? Como terão propósito de vida?

Como então solucionar esse problema? Há uma terceira vontade que não vem dos homens. Aliás, é muito provável que vá contra a vontade humana, que é a vontade de Deus. Isso significa não ser o que os outros querem que você seja e muito menos o que você quer de si mesmo, mas o que Deus quer que você seja.

Jesus é o maior exemplo de como se tornar aquilo que Deus deseja. Além de ter deixado a sua própria vontade Ele também chamou os discípulos para viverem a vontade de Deus:

“E Jesus, andando junto ao mar da Galiléia, viu a dois irmãos, Simão, chamado Pedro, e André, seu irmão, os quais lançavam as redes ao mar, porque eram pescadores; E disse-lhes: Vinde após mim, e eu vos farei pescadores de homens” (Mt 4.18, 19).

“Vinde após mim”, “sigam-me”, foi o que o Senhor disse (quem sabe não é o mesmo que o Senhor está dizendo a você). Pedro e André estavam diante da vontade de Deus para a vida deles: “farei de vocês pescadores de homens”

SOBRE QUEM NOS TORNAMOS

A phronesis de Cristo

“De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus,

Que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus, Mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens;

E, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz.

Por isso, também Deus o exaltou soberanamente, e lhe deu um nome que é sobre todo o nome;

Para que ao nome de Jesus se dobre todo o joelho dos que estão nos céus, e na terra, e debaixo da terra,

E toda a língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor, para glória de Deus Pai” (Fp 2.5-11).

Jesus, para fazer a vontade de Deus, teve que se tornar homem e essa é uma convocação que o apóstolo Paulo faz no versículo cinco, que é a de imitar o homem Jesus de Nazaré.

Então somos chamados a ter o mesmo sentimento/atitude de Cristo Jesus, mas definitivamente sentimento e atitude não são sinônimos, são palavras com significados diferentes. Isso acontece devido a palavra grega phronesis não ter uma correspondente em português.

O que seria a phronesis? É o ato bom, consciente de que esse ato é bom e é desejado, eu quero realizar esse ato e tenho consciência disso. É o casamento da ação com a vontade e a consciência, de que nada é melhor do realizar um ato.

Se fosse só um sentimento poderia ficar no campo do desejo e nunca ser realizado (tem gente que sente pena, sente compaixão, sente admiração por Cristo). Se fosse só uma atitude poderia ser realizado forçosamente, não querendo fazê-lo.

Precisamos desejar ser o que Deus quer que sejamos!

Entenda quem você é em Jesus Cristo

 O  leão de Madagascar ou o homem miserável

“Porque bem sabemos que a lei é espiritual; mas eu sou carnal, vendido sob o pecado.

Porque o que faço não o aprovo; pois o que quero isso não faço, mas o que aborreço isso faço.

E, se faço o que não quero, consinto com a lei, que é boa.
De maneira que agora já não sou eu que faço isto, mas o pecado que habita em mim.

Porque eu sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita bem algum; e com efeito o querer está em mim, mas não consigo realizar o bem.

Porque não faço o bem que quero, mas o mal que não quero esse faço.

Ora, se eu faço o que não quero, já o não faço eu, mas o pecado que habita em mim. 

Acho então esta lei em mim, que, quando quero fazer o bem, o mal está comigo. Porque, segundo o homem interior, tenho prazer na lei de Deus;

Mas vejo nos meus membros outra lei, que batalha contra a lei do meu entendimento, e me prende debaixo da lei do pecado que está nos meus membros.

Miserável homem que eu sou! quem me livrará do corpo desta morte?
Dou graças a Deus por Jesus Cristo nosso Senhor.

Assim que eu mesmo com o entendimento sirvo à lei de Deus, mas com a carne à lei do pecado” (Rm 7.14-25)

Para compreender o que Paulo escreve aos Romanos gostaria de trazer o exemplo do personagem Alex, o  leão do filme Madagascar. Ele era um animal de zoológico, que não tinha as mesmas ações de um animal selvagem, era um leão “domesticado”.

Ao chegar em Madagascar, em meio a selva, seu habitat natural, todos os seus desejos são despertos. Há uma cena que mostra todos os seus desejos selvagens vindo a tona, quando seu amigo, a zebra chamada Martin, repete no seu ouvido várias vezes: quem é o gatão? A consequência desse estimulo foi Alex fazer o que não queria: atacar seus melhores amigos.

O homem miserável é o contrário de phronesis. É você querer fazer o bem, mas faz o mal. Você não consegue realizar o bem que interiormente você deseja. Não há unidade entre o seu desejo de realizar o bem e as suas ações.

Nós nunca experimentaremos a phronesis se não houver conversão. Precisamos colocar nossa cabeça aos pés de Cristo sujeitando nossa mente, consciência a Ele.

Qual foi a phronesis de Cristo?

Voltando ao texto de Filipenses observamos quatro formas:

Forma de Deus, forma de servo, forma de homem e forma de Senhor.

            Deus ——————————— homem

            Senhor —————————— servo

Cristo que é Deus se esvaziou de si mesmo se tornando homem para ser servo do Senhor (Is 52.13 – 53.12). Só homens podem ser servos de Deus, mas nem todos os homens são servos de Deus

RESPONDENDO A JESUS

É impossível separar Jesus da morte na Cruz do Calvário.

É impossível retirar a renuncia da própria vontade no jardim do Getsêmani da biografia de Cristo.

Esse Jesus que sofreu e morreu por nós, que no passado disse aos discípulos: “Sigam-me” ainda nos dias de hoje te chama a ser pescador de homens, ou seja, servo do Senhor com consciência (visão nova de vida), desejando (novos valores de vida) e agindo (novas ações na vida).

“Sigam-me” é um chamado a uma vida de ação em meio a uma geração estagnada, parada e cansada mesmo sem fazer nada. O Evangelho é ação: “vinde após mim” e “ide”.

Saiba como viver a vontade de Deus

O “Sigam-me” de Jesus é um chamado a um relacionamento com Ele, é ter uma vida com Ele. Significa: ser cristão não é somente ser bom, mas é ter um relacionamento com Cristo, é ser reconciliado com Deus. É estar em Cristo, nova criatura.

Quer conhecer Jesus? Entre para dentro da Bíblia até ela entrar em você, ore mais!

“Sigam-me” e eu vos “farei”. Cristo nos chama para nos transformar. Assumir um compromisso com a santidade e ser transformado pelo Espírito Santo.

“Sigam-me” e eu vos “farei” é um discurso de continuidade, perseverança. Não parem, não desistam, porque Eu farei! Jesus nos chama a firmeza do nosso chamado.

E é para isso que você tem Jesus!

 Matheus Gouvêa

Aprenda sobre ‘A vontade de Deus, o leão de Madagascar e a phronesis de Cristo’ ligue: (31) 3451-5956

É chegado o Reino de Deus

É chegado o Reino de Deus! Assim iniciou Jesus o seu ministério, após 40 dias e 40 noites em jejum no deserto.

O mestre conclamava as pessoas a se arrependerem por que o Reino de Deus estava próximo.

E essa proximidade se dava por meio da evangelização que Jesus e seus discípulos faziam.

Jesus anunciou: “É chegado o Reino de Deus” e deixou essa mesma missão aos discípulos e a igreja de hoje:

“Jesus, aproximando-se, falou-lhes, dizendo: Toda autoridade me foi dada no céu e na terra. Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo; ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado. E eis que estou convosco todos os dias até a consumação do século” (Mt 28.18, 19 e 20).

“Toda autoridade me foi dada no céu e na terra” 

A Palavra afirma que Jesus é o nome que está acima de todo nome (Fp 2.9-11). Ele é superior aos líderes, reis e príncipes da terra.

Ele é o príncipe da paz (Is 9.6) e na autoridade do seu nome pessoas são curadas e libertas de todo mal.

E o mesmo Jesus que realizou obras maravilhosas descritas nos Evangelhos é o mesmo que salva, liberta e cura nos dias de hoje, pois Ele não muda.

Por isso, no nome de Jesus, os discípulos de hoje, podem salvar, libertar e curar as pessoas.

“Ide, portanto, e fazei discípulos de todas as nações”

O ide é para todos os discípulos de Jesus. E em meio aos seguidores de Cristo há dois tipos de pessoas:

1) A multidão – Ao analisar os Evangelhos veremos que as multidões seguiam Jesus e Ele as curou, libertou e alimentou.

Hoje, há multidões que seguem a Cristo, mas com o único objetivo de receberem uma bênção ou milagre.

Esse tipo de pessoa não quer ser um verdadeiro discípulo de Jesus, pois para ser discípulo é necessário fazer discípulos e isso não é fácil.

Durante os três anos e meio que esteve na terra Jesus escolheu 12 homens para caminharem com Ele. E desses um o negou e outro o traiu.

Portanto, fazer discípulos não é uma tarefa fácil, pois é necessário dedicar tempo e muita oração.

Jesus não disse: Ide e fazei multidões, mas sim Ide e fazei discípulos.

É necessário fazer discípulos nos bairros, cidades, estados e países onde se encontram os verdadeiros discípulos de Jesus.

E só quem tem um coração missionário compreende a importância de ser e fazer discípulos.

2) Os discípulos – Jesus escolheu homens para caminhar ombro a ombro com Ele. E não apenas a caminhar, mas aprender e ensinar.

Em outras palavras: fazer discípulos.

Jesus não teve apenas os 12. Após seu discurso descrito no Evangelho de João, muitos o deixaram ficando apenas os doze.

O mestre vendo a cena perguntou aos demais: vocês também não vão me deixar? Ao que é respondido por Pedro: “Para onde iremos,  Senhor, se só tu tens palavras de vida eterna?”.

O verdadeiro seguidor de Jesus se torna um discípulo e faz discípulos, mesmo com as lutas e perseguições não abandona o mestre, pois sabe que sua vida só tem sentido em Jesus.

Saiba como ter um coração missionário

“Batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo”

O resultado do discipulado é o batismo. A pessoa ao se converter e compreender o que significa essa conversão tem o desejo de testemunhar isso publicamente se batizando.

O batismo nas águas é um ato no qual a pessoa declara que já não vive para satisfazer a si mesmo e ao mundo, mas que é uma nova pessoa em Cristo e vive para agradá-lo.

“Ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado”

O que Jesus tem ensinado e deseja que seus discípulos ensinem está escrito em Mateus 22. 37, 38 e 39:

“Respondeu-lhe Jesus: Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todo o teu entendimento. Esse é o grande e primeiro mandamento. O segundo, semelhante a este é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo”.

Quem ama, dá a sua vida pelo próximo. E foi isso que Jesus fez, deu sua vida por toda a humanidade, por amor.

Cada seguidor de Jesus pode fazer isso, dedicando sua vida a pregar o Evangelho por amor ao próximo. Seja onde trabalha, estuda, mora ou em outras cidades, estados e nações.

Como deve ser uma igreja comprometida com missões

“Eis que estou convosco todos os dias até a consumação do século”

Se Jesus é por nós quem será contra nós? Ainda que passemos pelo vale da sombra da morte não temeremos mal algum porque Ele está presente.

Não existe situação na qual o Senhor não se faça presente. Se permanecermos com Ele, Ele permanecerá conosco.

Mesmo que haja a perseguição, as lutas e os problemas, Jesus é com seus amigos e servos para ajudá-los a viver e pregar o Evangelho.

Ouça a mensagem “É chegado o Reino de Deus” e permita que o Espírito Santo mostre se você tem levado esse Reino a todas as pessoas:

Comunicação CERV

Saiba mais sobre o trabalho missionário realizado pela CERV:
(31) 3451-5956 ou envie um e-mail para: contato@restaurandovidascerv.com.br

Termina o mês de missões

Nosso setembro missionário acaba, mas o Ide do Senhor Jesus continua

Termina o mês de missões com 30 dias de muitas bênçãos por meio das pregações e preletores convidados.

Nossa comunidade teve o privilégio de orar, investir financeiramente e ouvir testemunhos missionários edificantes.

Entenda como deve ser uma igreja comprometida com missões

Todos foram desafiados a ter um viver diário com Cristo para testemunhar Dele as pessoas.

Foi transmitida a importância de evangelizar a família e parentes e a sermos sal e luz no local onde Deus nos plantou.

Aprenda mais sobre missões na família

No último domingo de pregações especiais, toda a igreja celebrou a oportunidade de entregar uma oferta especial para os missionários.

Esse valor será direcionado aos missionários auxiliados pela CERV e a outros que o Senhor Jesus direcionar.

Termina o mês de missões, mas a chamada para toda a igreja pregar o Evangelho continua.

Missões está no coração de Deus, missões está no coração da CERV!
Saiba mais sobre missões, participe dos Cultos de missões, todo o primeiro domingo do mês, às 19 horas na CERV.
Mais informações ligue (31) 3451-5956 ou envie um e-mail para: contato@restaurandovidascerv.com.br

 

Page 1 of 2

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén