Tag: gratidao

Oração não respondida

Oração não respondida é uma mensagem que mostra a história de vários homens de Deus, que não tiveram respostas as suas orações, conforme pediram.

A Palavra de Deus em At 1:14 afirma:

“Todos esses perseveravam unânimes em oração”

 Uma marca da igreja de Jesus é a oração. Então acerca da oração é importante compreender que:

1) A Igreja nasceu em meio a um ambiente e prática da oração;

2) A oração deve ser uma marca na nossa vida cristã, quando alguém está mal um dos primeiros sinais é parar de orar;

3) A oração é tão importante quanto a leitura da Bíblia

Antes de aprendermos a partir das orações não respondida vejamos alguns exemplos de orações respondidas.

1) Moisés, um homem de conhecimento enciclopédico, intercedeu e o povo de Deus não pereceu no deserto;

2) Neemias, um homem que ao ver a miséria e destruição do seu povo, chorou, jejuou e orou durante alguns dias, e Deus abriu todas as portas para a reconstrução de Jerusalém;

3) Daniel, um homem que ocupou altos cargos na sociedade, mas que sempre lembrou que o seu lugar era ajoelhado, prostrado, rosto em terra, orando ao Senhor. Saiu com vida da cova dos leões.

Aprenda mais sobre este tema com nossas mensagens

E quando as orações não são respondidas?

Experimentei isso com o meu filho, Gabriel José. Orei até o fim para que Deus realizasse um milagre, porém, não aconteceu.

Aos 2 meses e 18 dias de vida, meu filho morreu. E o que mais ouvi das pessoas foram frases do tipo:

“é a vontade de Deus”, “é plano de Deus”, “é propósito de Deus”.

Confesso que relutei com isso, tentei ficar com raiva de Deus por um momento, mas não consegui.

E foi ao ler 1 Sm 2:6 que tive a compreensão que, de fato, o controle das nossas vidas está nas mãos de Deus.

Não temos outro a quem recorrer nos momentos que estamos em perigo ou que o barco parece naufragar, nós, crentes, só temos uma única opção recorrer: Jesus.

Culto após culto são contadas e recontadas histórias que reforçam a nossa fé em Deus, em como Ele vem ao nosso encontro (aliás “De onde me virá o socorro?”), em como o Seu braço forte agiu no passado e age hoje.

Que Jesus Cristo, é sim, aquele que curou doentes e ressuscitou mortos, é o mesmo ontem, hoje e para sempre.

Ele responde orações!

Lembre-se do sol que parou, do fogo que desceu do céu, do filho da viúva que foi ressuscitado.

Então num momento como esse, de dor, nos resta buscar no próprio Deus resposta. Não cobrando explicações disso ou daquilo, mas como devemos prosseguir.

Vejamos agora exemplos de orações não respondidas e de como prosseguir diante da negativa de Deus:

  1. Moisés: Dt 3:23-29

  2. Paulo: 2Co 12:7-9

  1. Jesus: Mt 26:36-39, 44-46

Há um propósito de Deus para tudo, ainda que seja desconhecido a nós.

Entenda mais sobre quando Deus não responde as orações

Ainda que esse propósito esteja escondido na “profundidade das riquezas, da sabedoria e do conhecimento de Deus”.

Talvez o meu e/ou seu propósito seja esse:

“Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai das misericórdias e o Deus de toda a consolação;
Que nos consola em toda a nossa tribulação, para que também possamos consolar os que estiverem em alguma tribulação, com a consolação com que nós mesmos somos consolados por Deus.

Porque, como as aflições de Cristo são abundantes em nós, assim também é abundante a nossa consolação por meio de Cristo” (2 Co 1.3-5)Talvez nosso propósito seja o de consolar pessoas que passaram pelas mesmas experiências que as nossas.

 

De levar a elas o consolo como qual fomos consolados!
O meu desejo é que os meus ombros e os seus estejam fortes o suficiente para suportar a cabeça de outros e lhes dar consolo.
Que Jesus o abençoe e console o seu coração!
Ouça a mensagem ‘Oração não respondida’ e permita que o Espírito Santo fale ao seu coração:

 

Matheus Gouvêa

Parabéns, tia Quita

A manhã deste domingo foi de festa na Comunidade Evangélica Restaurando Vidas, pois celebrou-se os 80 anos da obreira Quita

Comunidade reunida para celebração dos 80 anos da tia Quita

A manhã de hoje foi especial na CERV! Após a Escola Bíblica Dominical, todos se reuniram no templo para celebrar o aniversário da obreira Quita, carinhosamente chamada por todos de “Tia Quita”.

Crianças, adolescentes, jovens, mulheres e homens, cada grupo prestou uma homenagem especial.

Além desses grupos a missionária Nágila Araújo fez um especial cantando o louvor “Quem me vê cantando”.

E, finalizando as homenagens, a pastora Graça Pitzer fez a leitura do texto “Preciosas mãos”, em nome da Comunidade, dela e da sua família.

Emocionada, tia Quita agradeceu aos irmãos todas as palavras e presentes recebidos:

“Se antes eu já orava por vocês agora tenho que orar o dobro! Muito obrigada, eu não mereço tudo isso, Jesus é que merece”, disse tia Quita.

A manhã encerrou-se com uma oração especial pela aniversariante!

Parabéns, tia Quita! Toda a CERV agradece ao Senhor pela sua vida!

A seguir, leia o texto escrito especialmente para a amada irmã tia Quita:

Preciosas mãos

A homenageada da manhã: Tia Quita

Seria possível contar nos dedos das mãos o tempo que ela caminha entre nós?

Duas mãos não conseguiriam, mas podem nos contar muito sobre seus 80 anos de vida.

Elas contam um pouco da sua história, que também é parte da nossa.

Afinal, há 13 anos suas mãos servem conosco.

Seja cozinhando as mais variadas receitas ou na arte de preparar o sabão que traz brilho aos utensílios de nossas cozinhas.

Elas trabalham em benefício do Reino e desta igreja.

Diariamente suas mãos nos afagam de um jeito especial.

Estendidas nos tocam com amor, pois constantemente intercedem por nós perante o Salvador.

Ora servem de instrumento para um telefonema.

Seja no aniversário, para se alegrar conosco; seja para partilhar uma bênção ou, por zelo, porque soube que uma luta nos sobreveio.

Não para dizer palavras vãs e sim declarar: “Eu oro por você todos os dias, meu filho ou minha filha.”

De braços abertos recebe quem a visita e, porque não dizer, também com a mesa posta.

Afinal, ela pensa em tudo e ninguém pode sair da sua casa sem provar do que prepara com tanto amor.

E por falar em preparar… Ah se os missionários soubessem o tempo que suas mãos trabalham.

Elas não se cansam porque sabem que em setembro enviarão refrigério para aqueles que vivem a pregar o Evangelho.

Deus conhece bem estas mãos e a dona delas que há 35 anos caminha com Ele.

Sabe dos sonhos, de cada oração, de cada riso e de cada lágrima.

Está tudo registrado em suas mãos e nos odres das suas orações.

Ele sabe a hora certa de respondê-la. E quantas orações respondidas, hein Tia Quita?

Precisaríamos de 80 anos ou mais para contar os benefícios que Ele te faz.

Mas Ele também abençoou esta Comunidade ao colocá-la aqui para servir conosco até a eternidade.

E eu? O que mais eu poderia dizer? Afinal, são 35 anos que a conheço.

Ovelha fiel, tia e amiga. Quão grata sou pelo terno amor que tem pela minha família.

Sempre nos cobrindo com suas orações e, desde a infância dos meninos, os amando como verdadeiros sobrinhos.

Em muitas lutas e vitórias esteve presente.

Seu exemplo de dedicação ao Reino alegra o meu coração, pois aprendeu a importância de amar Missões.

Hoje, como Comunidade e também como sua pastora, quero honrá-la com a nossa gratidão.

Tê-la conosco é uma bênção! Ouvir seus testemunhos e ver seu esforço para participar dos cultos, da Escola Dominical e de tantas outras programações, é um vívido exemplo de amor ao Senhor.

Obrigada por ser nossa irmã e nossa querida tia Quita!

Que Deus a conceda muitos anos de vida e saúde para servir e caminhar conosco ombro a ombro, sempre na visão que o Espírito Santo tem dado à CERV!

Parabéns, tia Quita!

Amamos muito a senhora!

Veja as fotos desta manhã especial

Comunicação CERV

Conheça a nossa Comunidade, estamos localizados à Rua Érico Veríssimo, 1167 – Santa Mônica- BH/MG.
Mais informações ligue: (31) 3451-5956 ou envie um e-mail para contato@restaurandovidascerv.com.br

Celebrando o ano novo com alegria

No último final de semana, toda a igreja se reuniu para adorar o Senhor e celebrar a chegada de 2017

No último final de semana de dezembro foi realizado na CERV o Culto de Gratidão pelo ano novo. Cerca de 80 pessoas, dentre irmãos (as) e convidados (as) estiveram presentes.

A noite foi de louvor e adoração a Deus, pelo ano de 2016, um ano de muitas provações e dificuldades, mas também de perseverança e vitórias

A noite foi de louvor e adoração a Deus, pelo ano de 2016, um ano de muitas provações e dificuldades, mas também de perseverança e vitórias.  Vários irmãos (as) foram ao altar compartilhar um testemunho ou adorar o Senhor com uma apresentação especial de louvor.

Também foi realizada neste dia a consagração da Obreira Camila Brito a pastora da CERV. A jovem agora integra o quadro de pastores da nossa igreja.

Após esse período, chegou o momento mais  glorioso da noite: a Santa Ceia do Senhor. Por meio deste ato renovamos nossa aliança com Cristo até que Ele venha buscar a Igreja.

A passagem de 2016 para 2017 foi realizada, com o Projeto de Vida 2017 em mãos, e orações ao Deus Todo Poderoso! A presença do Senhor encheu o templo e muitos irmãos (as) foram tocados pela Sua glória.

A noite foi encerrada com uma saborosa ceia, que proporcionou momentos maravilhosos de comunhão entre os irmãos (as). Estreitando ainda mais os laços de amor que unem cada membro da família CERV.

Confira as fotos da celebração do Culto de Ano Novo

Batismo nas águas

Nesta sexta-feira, 30 de janeiro, excepcionalmente, não haverá o Culto das Causas Impossíveis.  Isso porque toda a igreja estará presente no Batismo dos nossos irmãos: Elder, Igor, Matheus Krauss, Richard, Robson Júnior e Yuvane.

Será uma noite de alegria, pois marcará a celebração de um ato de fé muito importante na vida dos nossos irmãos.

Por isso, esteja presente à Rua Farmacêutico Raul Machado, 552, às 19:30, para prestigiar a escolha que marcará para sempre a vida dos nossos irmãos.

Aprenda mais sobre a importância do Batismo nas águas

Mais informações, ligue: (31) 3451-5956 ou envie um e-mail para: contato@restaurandovidascerv.com.br 

Dívida de gratidão

gratidaoEm 1993 eu vivi uma experiência marcante em Itajaí, no Estado de Santa Catarina. Estava na praia com um grupo de irmãos, depois de pregar num encontro de igrejas, e ouvi alguém gritando por ajuda.

O pedido de socorro vinha de um lugar de onde havíamos acabado de sair, por conselho de um morador local que nos acompanhava. Ele nos orientou que, com a maré do jeito que estava (com a praia estando inclusive sinalizada com bandeiras vermelhas indicando o perigo), em pouco tempo teríamos dificuldades para sairmos de lá.

Portanto, prontamente o ouvimos e fomos a um local mais raso e mais seguro. Ao ouvir os gritos do rapaz que estava em apuros, nadei em sua direção, para ajudá-lo a sair da água, enquanto os outros irmãos foram chamar os salva-vidas. Com muito esforço eu consegui trazê-lo até a metade do caminho.

Foi o suficiente para que os bombeiros tivessem o tempo de entrarem na água e tirarem a ele e a mim, pois eu também já me encontrava completamente exausto!

Lembro-me que, ao sair do mar e conseguir chegar até a praia, eu tive que me deitar para recobrar o fôlego e as forças. Enquanto eu ainda estava deitado na areia, os amigos daquele rapaz que eu ajudei a salvar o trouxeram carregado (ele também não tinha forças para andar) e o colocaram na minha frente, dizendo: “Agradece à pessoa que te salvou!”

Eles ficaram tão tocados com o fato de termos salvado o seu amigo que não aceitavam a ideia de que ele não havia agradecido ainda, mesmo que ele, assim como eu, mal conseguisse colocar-se em pé!

O que aconteceu nesta ocasião é o tipo de coisa que eu denomino “dívida de gratidão”. Assim sendo, aproveitei para pedir-lhe algo em sinal de gratidão a Deus (que foi de fato quem poupou a vida dele): que ele fosse a uma igreja evangélica e entregasse o seu coração ao Senhor Jesus Cristo!

Aprenda sobre como ter uma vida de gratidão

Recordar o que fizeram por nós dispõe o nosso coração a desejar retribuir e fazer algo em troca.

A maioria de nós carrega no coração uauxiliom sentimento especial por pessoas que nos ajudaram em momentos de necessidade ou que serviram de apoio e suporte em horas difíceis.

Recordar o que fizeram por nós dispõe o nosso coração a desejar retribuir e fazer algo em troca.

Quando falamos de amor ao Senhor na dimensão que Ele quer é natural o desejo de crescermos e amadurecermos neste amor.

Assim que eu comecei a entender a importância desta manifestação mais intensa de amor, eu também comecei a procurar meios de fazer com que o meu amor aumentasse.

Jesus nos falou sobre o que leva as pessoas a amarem mais

Jesus nos falou sobre o que leva as pessoas a amarem mais, ou menos, e fez uma relação disso com a compreensão do Seu perdão estendido a cada um de nós.

Assim sendo, eu afirmo que a compreensão da dimensão do que o Senhor fez por nós nos leva a uma manifestação maior de amor para com Ele.

Por outro lado, uma compreensão limitada do que Ele fez por nós nos prende a uma manifestação igualmente limitada de amor e gratidão.

Foi neste contexto que Deus fez com que eu compreendesse o texto de Lucas 7.35-50, como também o poderoso princípio nele embutido: a dívida de gratidão!

CONTRASTES

oração de joelhosTemos nesta história duas personagens bem distintas. De um lado, representando a dedicação à religião, temos um fariseu, um membro da mais rígida casta religiosa dos judeus. Do outro lado, como expressão da distância de Deus aos olhos dos homens, temos uma mulher chamada de “pecadora”, provavelmente uma prostituta.

  A grande diferença entre ambos era definida pelo pecado que se via (ou não) em suas vidas.

Os contrastes não param aí. Simão era o dono da casa, o anfitrião da festa, e tinha todo direito de estar lá. A mulher, no entanto, causou indignação nos presentes por causa do que era, e certamente apareceu por lá sem ter sido convidada.

Simão agiu da forma mais polida e discreta possível, mas aquela mulher pecadora foi um escândalo diante das pessoas presentes. Aos olhos daquelas pessoas, a grande diferença entre ambos era definida pelo pecado que se via (ou não) em suas vidas.

Resumindo-se, as diferenças eram definidas pela aparência. Aos olhos de Jesus, os contrastes continuavam, mas, pela Sua explicação, percebemos que os papéis de “herói” e “vilão” se invertiam.

O Senhor disse que esperava ter recebido um ósculo de Simão, mas ele não fez isto. Esta prática era um sinal de respeito, e Simão o negligenciou. Não sabemos a razão, mas ele não fez o que Jesus esperava. Contudo, a mulher desconhecida não cessava de beijar os Seus pés.

Simão não se via como um pecador necessitado da graça e do perdão de Deus, mas a mulher sim!

Simão não lavou os pés de Jesus e nem mandou que um dos seus servos o fizesse, mas a pecadora os regou com lágrimas e os enxugou com os seus cabelos. Simão não ungiu a Jesus com óleo, mas a mulher usou um perfume caríssimo para executar tal tarefa. Simão não se via como um pecador necessitado da graça e do perdão de Deus, mas a mulher sim!

Aos olhos de Jesus, a grande diferença entre ambos era definida pelo amor e gratidão que se via (no caso da mulher) ou não (no caso do fariseu) em suas vidas.

E a diferença vista por Jesus – que não se baseava na aparência – anulava completamente a diferença percebida pelos homens, uma vez que as acusações de pecado que poderiam fazer contra aquela mulher foram completamente removidas pelo perdão de Deus que foi estendido a ela.

Continue a leitura deste estudo!

Pr. Luciano Subirá

Vida de gratidão

gratidao-ao-senhorA gratidão no contexto da Palavra de Deus consiste no reconhecimento de dádivas recebidas (Sl 103.1-12), ofertadas pela graça de Deus (Tg 1.17), bem como por parte dos homens. Quando exercemos o ato de “dar”, nos aproximamos mais de Deus. Pois Ele é “amor” (1Jo 4.8) e uma das linguagens do amor é “dar”. Isto é, “oferecer algo que o outro precisa e que nós possuímos” (Mt 5.42). A gratidão está do lado de quem recebe a dádiva (Lc 17.17). Ela deve ser espontânea e um fruto imediato de um coração rendido a Deus (1Ts 5.18). A Bíblia nos ensina tanto a dar como a agradecer por tudo o que recebemos (Rt 2.10; 2Sm 9.1; 2Rs 4.13).

A gratidão abre o nosso entendimento para o fato de que temos recebido muito mais bênçãos do que possam ser os nossos problemas ou dificuldades.

Ela é uma arma de vitória que apaga insinuações malignas de rejeição, baixa autoestima e rebeldia. A gratidão anula os pensamentos de depressão. Ela é um exercício de libertação e nos leva a “voar nas asas do Espírito”, concedendo-nos um coração adorador.

  • O Senhor nos convoca a agradecê-Lo por todos os benefícios que nos tem feito e, quando fazemos isto, percebemos que estes são incontáveis e essenciais. Comece a contar as bênçãos em sua vida e você verá que é impossível enumerá-las todas, enquanto os nossos problemas podem ser contados em nossos dedos.
  •  A gratidão nos leva a estar acima das tempestades e das dificuldades da vida. Veja os Salmos de Davi (34 e 18) que foram escritos e entoados em momentos dificílimos de sua carreira. Você tem agradecido ao Senhor pelas respostas de oração? Pelos livramentos nos momentos difíceis?
  • A ingratidão fere o coração de Deus: Jesus sentiu falta dos nove leprosos que foram curados, sendo que somente o samaritano retornara para agradecer pela cura (Lc 17.17-18).
  • A gratidão é mandamento para o nosso próprio bem. O cumprimento da vontade de Deus, em suas leis e ordenanças, nos traz vida e paz, e gera o perfeito louvor: Hb 13.15, Is 12.1, Sl 100.4.

Manifeste a sua gratidão ao Senhor e às pessoas, deixe a glória de Deus brilhar em sua vida!

Texto adaptado da Pra. Ângela Valadão

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén