Tag: exemplo

Guarde tesouros no coração do seu filho

Guarde tesouros no coração do seu filho é uma mensagem que trata sobre a importância dos pais semearem na vida das suas crianças a Palavra de Deus.

A partir dessa Palavra reflita sobre quais tem sido suas escolhas como pais e se realmente tem investido tempo de qualidade com seus filhos.

Lembre-se que no mundo há várias influências malignas através de músicas, danças, filmes, livros e internet e é você que deve cuidar para que não alcancem seu filho.

Preencha diariamente o coração do seu filho com a Palavra de Deus, com oração, com histórias e filmes bíblicos.

Esse é o maior tesouro que você pode guardar no coração do seu pequeno.

Se você já faz isso, permaneça, mas se não, começo hoje, pois verá ainda na infância do seu filho os resultados desse precioso tesouro que guardou no coração dele.

 

Ouça a mensagem Guarde Tesouros no coração do seu filho e seja edificado:

 

Comunicação CERV

Ousadia e esperança

A nação brasileira clama por transformação, e o povo de Deus tem a resposta a esse clamor: Jesus. Mas para levar Jesus a todos é necessário ter ousadia e esperança.

Ousadia para não se acovardar perante os desafios e lutas e esperança para perseverar e semeá-la no coração do homem.

Pra. Gorete da Jocum

Para isso é necessário que igreja seja cheia do Espírito Santo, pois é Ele que concede coragem para pregar e derrama nos corações a esperança.

Para tanto, a igreja não pode se acomodar, precisa sair do lugar de comodismo e colocar a mão no arado.

Isso significa ir até as pessoas que se encontram perdidas nos vícios e pecados e testemunhar do amor de Cristo.

Há quanto tempo você conhece Jesus? Para quantas pessoas você já contou a respeito do que Ele fez pela sua vida?

Vidas que estão ao seu redor estão clamando, a sua maneira, por esperança, por uma razão para viver.

Entretanto, o silêncio dos escolhidos de Deus (será o seu caso?) tem falado mais alto que o Evangelho.

A Palavra de Deus ela é o próprio Jesus, é vida para quem o conhece e o Corpo de Cristo é o meio pelo qual as pessoas vão conhecer o Filho de Deus.

Você tem pregado com ousadia e esperança a Palavra de Deus?

Nossa sociedade necessita que os filhos de Deus manifestem obras de justiça demonstrando o amor de Jesus!

Entretanto, muitos têm abandonado o Senhor ou permanecido, mas deixando o chamado de lado por outras razões.

Por isso, é importante que a igreja desperte e viva o chamado, o IDE, com ousadia e esperança, pois as almas estão clamando por salvação!

Nosso país é um exemplo de local onde há povos que clamam por salvação, por mudança, por esperança.

No nordeste, nas cidades ribeirinhas, nas tribos indígenas, nas escolas, nas universidades, enfim em muitos outros lugares há pessoa que precisam de Jesus.

E o que você está fazendo para que esses públicos conheçam Jesus?

O Senhor está a procura de pessoas que o amem de todo o coração e que declarem: Eis-me aqui, Senhor, envia-me

Igreja intercedendo pelo Brasil

A pessoas prontas para receber a Palavra e você está pronto para ser aquele que as pregará?

Pare, hoje, e reflita no que tem feito pelas almas e o que você pode e deve fazer!

Lembre-se que você é fruto de missões e que foi alcançado porque alguém respondeu ao chamado de pregar o Evangelho.

Ouça a mensagem Ousadia e esperança:

 

Comunicação CERV

Obediência seletiva

Obediência seletiva é a forma como muitos crentes têm escolhido viver diante dos mandamentos de Deus. Obedecem em partes ou apenas no que concorda com suas intenções pessoais.
 A Bíblia apresenta vários exemplos sobre esse tipo de obediência, dentre eles está a história de Jeú:
“Então o profeta Eliseu chamou um dos filhos dos profetas, e lhe disse: Cinge os teus lombos; e toma este vaso de azeite na tua mão, e vai a Ramote de Gileade;
E, chegando lá, vê onde está Jeú, filho de Jeosafá, filho de Ninsi; entra, e faze que ele se levante do meio de seus irmãos, e leva-o à câmara interior.
E toma o vaso de azeite, e derrama-o sobre a sua cabeça, e dize: Assim diz o Senhor: Ungi-te rei sobre Israel. Então abre a porta, foge, e não te detenhas.
Foi, pois, o moço, o jovem profeta, a Ramote de Gileade.
E, entrando ele, eis que os capitães do exército estavam assentados ali; e disse: Capitão, tenho uma palavra que te dizer. E disse Jeú: A qual de todos nós? E disse: A ti, capitão!
Então se levantou, entrou na casa, e derramou o azeite sobre a sua cabeça, e disse: Assim diz o Senhor Deus de Israel: Ungi-te rei sobre o povo do Senhor, sobre Israel.” (2Rs 9.1-6)
Além desses versículos, o restante do capítulo 9 e todo o capítulo 10 apresentam em detalhes a história de Jeú
Ele foi escolhido para realizar a justiça de Deus trazendo purificação para o Reino de Israel.
É possível notar, num primeiro momento, o quão zeloso Jeú foi, pois não descansou enquanto não concluiu sua missão.
A seguir, vejamos o quatro atos de Jeú:
1 – Matou os reis de Israel e de Judá (2 Rs 9.14-29);
 
2-  Mata Jezabel (2Rs 9.30-37);
 
3- Mata toda a descendência de Acabe (2Rs 10.1-17);
 
4- Acaba com a adoração a Baal (2Rs 10.18-28).
 
 

Ele foi incisivo, direto em tudo que realizou, entretanto, no final do capítulo 10, faz uma escolha que revela as profundezas do seu coração:

 

“Porém não se apartou Jeú de seguir os pecados de Jeroboão, filho de Nebate, com que fez pecar a Israel, a saber: dos bezerros de ouro, que estavam em Betel e em Dã.”  (2Rs 10.29).

 

Porém, essa palavra significa:

obediência seletiva

 

Aprenda a ser totalmente obediente

 

Porque? Porque Jeú demonstrou compromisso com Deus em seus atos, porém, ao seguir os atos de Jeroboão demonstrou que seu coração não estava de todo no Senhor.

 

 

Assim como Jeú, quantos crentes, hoje, são seletivos para obedecer as ordenanças do Senhor.

 

Entretanto, os filhos verdadeiros não selecionam qual parte da Bíblia devem crer e obedecer, a única opção existente é: obedeça a todo o livro da Lei.

 
“Mas Jeú não teve cuidado de andar com todo o seu coração na lei do Senhor Deus de Israel, nem se apartou dos pecados de Jeroboão, com que fez pecar a Israel.” (2Rs 10.31)
A partir desse versículo é possível inferir que Jeú escolheu imitar um rei que não amava Deus de todo o coração.
Mesmo tendo Davi como exemplo de um rei que andou com Deus e o serviu de todo o coração Jeú optou pelo mal exemplo.
Por isso, diante dessas duas opções é necessário escolher bons exemplos e modelos que inspirem a ter uma vida de santidade e obediência.
 
Diante disso é importante que você reflita:
Qual o interesse que está por atrás das atitudes do seu coração?
 
Quem é você?
 
Qual exemplo você tem seguido?
 
 
Não adianta fugir, se esconder ou ocultar nada do Senhor, pois Ele sonda e conhece seu coração!
“SENHOR, tu me sondaste, e me conheces.
Tu sabes o meu assentar e o meu levantar; de longe entendes o meu pensamento.
Cercas o meu andar, e o meu deitar; e conheces todos os meus caminhos.
Não havendo ainda palavra alguma na minha língua, eis que logo, ó Senhor, tudo conheces.
Tu me cercaste por detrás e por diante, e puseste sobre mim a tua mão.
Tal ciência é para mim maravilhosíssima; tão alta que não a posso atingir.
 Para onde me irei do teu espírito, ou para onde fugirei da tua face?”
 
Eu te louvarei, porque de um modo assombroso, e tão maravilhoso fui feito; maravilhosas são as tuas obras, e a minha alma o sabe muito bem.” (Sl 139.1-7;14)

 

 

Deus te criou, Deus te conhece, e você bem sabe disso, então diante de ti está a escolha de abandonar a obediência seletiva e ser totalmente obediente ou permanecer no engano e na hipocrisia, desobedecendo a Deus.

 
 Ouça a mensagem Obediência seletiva e reflita sobre a sua obediência a Deus:

 

Comunicação CERV

O que podemos aprender com a palmeira

“O justo florescerá como a palmeira…” (Sl 92.12).

A Bíblia está cheia de metáforas. São figuras e imagens que nos apresentam lições morais e espirituais. Aqui, no texto em tela, o justo é comparado com a palmeira. É claro que, no caso de Israel, o escritor está falando da tamareira, pois é a árvore mais conhecida na região e uma das primeiras fontes de renda na agricultura.

Vejamos que lições podemos aprender com a palmeira:

Em primeiro lugar, o justo cresce verticalmente. A tamareira cresce para cima, para o alto, para o céu. Assim é o justo. Sua vida é reta e cresce verticalmente. Isso fala de sua retidão e integridade. O justo não tem em seu caráter sinuosidades. Sua vida é reta. Sua conduta é ilibada. Seu testemunho é irrepreensível. Seu crescimento é para o alto!

Em segundo lugar, o justo tem uma vida útil. Tudo na tamareira é útil. Suas raízes, seu caule, suas folhas e seus frutos. Assim é o justo. Sua vida é uma bênção para a família e para a sociedade. Sua presença no mundo é abençoadora. Suas palavras são terapêuticas e suas obras são marcadas pela bondade. Seus frutos são doces e nutritivos.

Em terceiro lugar, o justo tem uma vida bela aos olhos de Deus e dos homens. A palmeira ou a tamareira enfeita o ambiente hostil onde cresce. No meio do deserto ela desfralda suas folhas robustas. No meio da seca severa, ela mantém seu verdor. Sua folhagem não murcha nem perde a sua beleza. Assim é o justo. Ele é belo aos olhos de Deus e seu testemunho é reconhecido na terra.

Em quarto lugar, o justo mantém-se firme mesmo em tempos de duras provas. A tamareira cresce no deserto, floresce em lugares áridos, frutifica em ambientes hostis. Suas raízes são castigadas pelo tropel de camelos e feras. Seu caule e suas folhas são surradas por rajadas dos ventos quentes do deserto. Seus frutos suculentos são amadurecidos sob o calor implacável, imposto pelo sol causticante. Assim é o justo, mesmo sendo duramente provado, permanece firme, pois está plantado em Deus, é sustentado por Deus e frutifica para a glória de Deus.

Em quinto lugar, o justo produz frutos que exaltam a Deus e abençoam o próximo. As tâmaras são apreciadas no mundo inteiro. É um fruto doce, nutritivo e nobre. É o mais importante produto da agricultura de Israel. É um importante fator da economia da região árida do deserto da Judeia. O justo produz, também, frutos dignos de arrependimento. O fruto do Espírito pode ser encontrado em sua vida. Não tem apenas folhas, mas frutos, muitos frutos que glorificam a Deus e abençoam o próximo.

Em sexto lugar, o justo aponta para a verdadeira fonte da vida. Onde o viajor cansado, pelos desertos áridos, vislumbra uma tamareira, sabe que ali existe um oásis, lugar de abrigo e refrigério. A tamareira é um ponto de referência no meio do deserto inóspito. Assim é o justo. Ele é plantado junto à fonte e sua vida aponta para Deus, o verdadeiro manancial da vida. Aqueles que andam errantes pelos desertos da vida, olham para ele, e podem encontrar a fonte da vida, um lugar de abrigo sob as asas do Onipotente Deus.

Em sétimo lugar, o justo é vitorioso em sua jornada. A folha da palmeira ou da tamareira é um símbolo de vitória. Quando erguida e acionada, com uma bandeira no mastro, ela proclama a vitória daqueles que a ostentam. Assim é a vida do justo. Ele é mais do que vencedor em Cristo. Sua vitória não decorre de sua beleza intrínseca nem de sua força pessoal. Sua vitória vem de Deus. Apesar de sua fraqueza, triunfa. Apesar de habitar numa tenda rota, será revestido com um corpo de glória! O justo florescerá como a palmeira!

Rev. Hernandes Dias Lopes

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén