Tag: estudo

O que posso aprender com a igreja de Éfeso

O que posso aprender com a igreja de Éfeso? Você já se fez está pergunta?

Se não, a partir desta mensagem você será convidado a examinar a história desta igreja e aprender com seus erros e acertos.

A igreja de Éfeso, no ano de 53 d.C, foi fundada pelo apóstolo Paulo em sua terceira viagem missionária.

Vejamos o que acontece assim que Paulo chega a cidade:

“Enquanto Apolo estava em Corinto, Paulo viajou pelas regiões do interior até chegar a Éfeso, no litoral, onde encontrou alguns discípulos.

 Ele lhes perguntou: “Vocês receberam o Espírito Santo quando creram?”. “Não”, responderam eles. “Nem sequer ouvimos que existe o Espírito Santo.”

“Então que batismo vocês receberam?”, perguntou ele. “O batismo de João”, responderam.

Paulo disse: “João batizava com o batismo de arrependimento, dizendo ao povo que cresse naquele que viria depois, isto é, em Jesus”.

Assim que ouviram isso, foram batizados em nome do Senhor Jesus.

Paulo lhes impôs as mãos e o Espírito Santo veio sobre eles, e falaram em línguas e profetizaram.

Eram ao todo uns doze homens.

Em seguida, Paulo foi à sinagoga e ali pregou corajosamente durante três meses, argumentando de modo convincente sobre o reino de Deus.” (Atos 19.1 -8)

Para compreender  de forma ampla a história desta igreja é fundamental saber a sua história e contexto da época.

Éfeso era a principal igreja da Ásia menor, região pertencente ao Império Romano.

Era a capital, e seu território fazia parte de várias rotas comerciais, por isso, muito rica e avançada.

Para se ter uma ideia da sua importância, para entrar na cidade o visitante deveria pagar.

A riqueza de Éfeso era visível em um tour pela sua avenida principal. Suas construções eram belíssimas e de grande porte.

Ao final desta avenida o visitante encontrava um teatro no qual cabia 25 mil pessoas.

Entretanto, a atração principal da cidade era o templo dedicado a deusa Diana, pois a economia local girava em torno desta deusa.

Paulo pregou e ensinou em Éfeso por 2 anos e 3 meses e o número de conversões genuínas foi grande:

“Muitos dos que creram confessaram suas obras pecaminosa.

Vários deles, que haviam praticado feitiçaria, trouxeram seus livros de encantamentos e os queimaram publicamente. O valor dos livros totalizou cinquenta mil moedas de prata.

Assim, a mensagem a respei­to do Senhor se espalhou amplamente e teve efeito poderoso.” (At 19.18,19 e 20)

Tamanha era a convicção de pecados que os novos convertidos confessavam publicamente suas mazelas e atos pecaminosos.

Pessoas abriam mão das magias, feitiçarias e levavam seus livros de magia em praça pública para serem queimados.

Estas atitudes começaram a mexer na economia da cidade, ao ponto da população ter o desejo de expulsar o apóstolo Paulo de lá.

E no capítulo seguinte, em Atos 20-25,-32, é possível ver a despedida de Paulo, mas antes deixa um alerta para a igreja, a respeito das falsas doutrinas e dos falsos mestres:

“Agora sei que nenhum de vocês, a quem anunciei o reino, me verá outra vez.

Por isso, declaro hoje que, se alguém se perder, não será por minha culpa,

pois não deixei de anunciar tudo que Deus quer que vocês saibam.

“Portanto, cuidem de si mesmos e do rebanho sobre o qual o Espírito Santo os colocou como bispos, a fim de pastorearem sua igreja, comprada com seu próprio sangue.

Sei que depois de minha partida surgirão em seu meio falsos mestres, lobos ferozes que não pouparão o rebanho.

Até mesmo entre vocês se levantarão homens que distorcerão a verdade a fim de conquistar seguidores.

Portanto, vigiem! Lembrem-se dos três anos que estive com vocês, de como dia e noite nunca deixei de aconselhar com lágrimas cada um de vocês.

“E, agora, eu os entrego a Deus e à mensagem de sua graça que pode edificá-los e dar-lhes uma herança junto com todos que ele separou para si.”

No ano de 62 d.C, Paulo está em sua prisão domiciliar, em Roma, e escreve uma carta para a igreja de Éfeso.

É uma carta que não apresentava correções severas, acusações ou apontamento de práticas de pecado.

A todo momento o apóstolo os exortava que se mantivessem no que foram ensinados.

E também a viverem em novidade de vida, em Cristo Jesus. Outros assuntos que estavam escritos eram sobre a comunidade da fé e os novos padrões de relacionamento.

Após a morte de Paulo, Timóteo assume o pastorado da igreja até que é direcionado a outras missões.

Passados alguns líderes, no ano de 81 d.C, o apóstolo João, o discípulo amado de Cristo, é quem assumia a liderança da igreja.

Neste período, João é exilado na Ilha de Patmos e lá  tem a experiência sobrenatural descrita no livro de Apocalipse.

No inicio do livro, dentre as cartas escritas a igrejas, há uma direcionada a igreja de Éfeso. Quarenta anos depois da fundação da igreja, no ano de 95 d.C, esta carta chega a liderança da igreja.

Agora atente-se com o que aconteceu com esta igreja, com o passar dos anos, e faça um paralelo com a sua vida, desde quando foi salvo até a presente data.

Vamos ver o que Jesus fala sobre esta igreja:

 “Escreva esta carta ao anjo da igreja em Éfeso. Esta é a mensagem daquele que segura na mão direita as sete estrelas, daquele que anda entre os sete candelabros de ouro:

“Sei de tudo que você faz. Vi seu trabalho árduo e sua perseverança, e sei que não tolera os perversos. Examinou as pretensões dos que se dizem apóstolos, mas não são, e descobriu que são mentirosos.

Sofreu por meu nome com paciência, sem desistir

“Contudo, tenho contra você uma queixa: você abandonou o amor que tinha no princípio.

Veja até onde você caiu! Arrependa-se e volte a praticar as obras que no início praticava. Do contrário, virei até você e tirarei seu candelabro de seu lugar entre as igrejas

Mas há isto a seu favor: você odeia as obras dos nicolaítas, como eu também odeio.

“Quem tem ouvidos para ouvir, ouça o que o Espírito diz às igrejas. Ao vitorioso, darei o fruto da árvore da vida que está no paraíso de Deus.” (At 2.1-7).

A partir da leitura desta carta, pense: hoje, depois de (coloque os anos que você já se converteu), o que Jesus tem para falar a seu respeito?

Como foi possível ler, o alerta que Paulo deu a igreja permaneceu sendo cumprindo: a reprovação de falsas doutrinas e ensinos.

Éfeso era uma igreja que servia, trabalhava em favor do Reino de Deus, uma igreja que tinha discernimento.

Portanto, tudo que ouviam do seu líder, a respeito destes assuntos, praticavam.

E você? Tem ouvido seu líder? Tem dado a devida importância as instruções dele?

Ainda na fala de Jesus, sobre esta igreja, após exaltar seus bons atributos o Senhor alerta, que havia um problema: eles abandonaram o primeiro amor.

E é neste ponto que é necessário refletir: Qual é a motivação que está no seu coração?

Será que você não está automatizado suas ações para Deus?

Parafraseando o que Jesus disse para a igreja de Éfeso: você guarda a Palavra e trabalha, mas o que o motiva a fazer isto?

O que o motiva se você já abandounou o primeiro amor? (se for este o seu caso)

Se não é o amor que o motiva a servir a Deus e a adorá-Lo, o que te motiva, então?

A igreja de Éfeso tinha uma habilidade grande olhar para os outros e detectar o erro, entretanto, não olhava para si.

E, hoje, no meio da igreja, há pessoas que se comportam da mesma maneira.

Examine a si mesmo, abra seus ouvidos para o quê o Espírito Santo ministra nesta Palavra.

Como você está? Quais têm sido as suas motivações?

Assim como Jesus disse a Éfeso: “Lembra-te de onde caíste”. Ele também diz para você.

Faça uma autoavaliação. Será que houve algum tempo na sua vida que você orou, estudou a Palavra, jejuou e participou dos cultos e programações da igreja mais do que hoje?

E o Senhor diz mais: “Arrependa-se!”

Então, tenha coragem de, após se examinar, de se arrepender do seus erros e pecados.

E por último Jesus diz: prática!

Não basta apenas identificar os erros e se arrepender deles, é necessário ter uma nova postura, voltar ao primeiro amor.

A partir desta leitura, portanto, convidamos a você a ouvir esta mensagem e avaliar o que pode aprender com a igreja de Éfeso!

Ouça a mensagem ‘O que posso aprender com a igreja de Éfeso’ e permita o Espírito Santo falar ao seu coração sobre como está o seu amor por Jesus Cristo:

 

Comunicação CERV

Quando, onde e como fazer meu devocional?

Muitas pessoas me perguntam como elas podem conduzir o seu tempo devocional. Apesar das sugestões que apresentarei aqui, preciso ressaltar que isto é algo bem pessoal. Acima de tudo, há o fato de que devemos ser sensíveis ao Espírito Santo. Há, no entanto, algumas coisas que precisam estar presentes neste momento. Assim sendo, eu gostaria de oferecer algumas sugestões para estas práticas indispensáveis do momento devocional.

Aprenda mais sobre o devocional diário

QUANDO FAZER

O momento ideal são as primeiras horas do dia, embora isto não anule o valor de um devocional feito à noite, por exemplo. Contudo, a oferta ao Senhor dos nossos primeiros momentos do dia santifica o restante do mesmo. Além disso, vemos que o maná era colhido antes que o sol se levantasse, o que também pode ser considerado como algo sugestivo (ou até mesmo simbólico). Eu prefiro, no entanto, indicar esta prática como um conselho, e não como uma ordem absoluta.

Entenda como o devocional é importante para a vida espiritual

ONDE FAZER

Há um lugar específico para termos o nosso tempo de devoção diária?

Semelhantemente à escolha do momento do dia, o lugar do devocional não está vinculado a única ordem ou instrução bíblica. Além de sabermos que devemos ter o nosso período devocional diário (e matinal) com Deus e de conhecermos algumas das práticas indispensáveis a este momento, creio que devemos compreender também a importância da quietude e da privacidade que devem estar presentes neste momento.

Conheça outros estudos do pastor Luciano Subirá

Creio que há algo poderoso na oração coletiva, e devemos aprender a orar com outros irmãos e com a igreja toda reunida. Contudo, a força do período devocional com Deus reside no princípio de estarmos a sós com Deus. Isto não somente nos ajuda a cultivarmos uma intimidade com o Senhor, mas também é um mandamento de Cristo:

“Tu, porém, quando orares, entra no teu quarto e, fechada a porta, orarás a teu Pai, que está em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará.” Mateus 6:6

Jesus falou sobre orarmos a sós. A expressão “em secreto” subentende alguém fazendo o seu devocional sozinho e também em seu quarto. Tanto uma frase como a outra indicam a importância da privacidade. Este é um fator importante nesta prática.

Jesus procurava lugares desertos para orar (Mc 1.35).

Isto não significa que o nosso devocional deva ser feito somente em nossos quartos. Tenho discípulos que já optaram por fazer no escritório do trabalho uma hora antes que as suas atividades se iniciem. Muitas vezes faço a minha leitura bíblica dentro de um avião, mas o fato é quanto maior for a privacidade, melhor será a qualidade do nosso tempo devocional.

Estar a sós com Deus é uma necessidade de cada um de nós. Nestes momentos não só pedimos, mas também O adoramos e nos rendemos a Ele com total liberdade de “rasgarmos” os nossos corações.

Assim como os casais têm os seus momentos de privacidade, longe da vista de todos os demais, creio que assim também devemos cultivar momentos de comunhão com o Noivo igualmente caracterizados pela privacidade.

Se é impossível para você ficar “trancado” pelo menos procure afastar-se (o tanto quanto possível) das demais pessoas para poder ter este momento a sós com o Senhor.

D. L. Moody, um dos mais renomados evangelistas dos séculos passados, defensor deste tipo de pensamento (como todo homem que Deus já pôde usar de modo especial), declarou o seguinte:

“Um dos mais claros sinais dos tempos é que muitos cristãos, em nossas associações de moços e igrejas, estão guardando diariamente a ‘hora tranquila’. Nesta era de correria e incessantes atividades, precisamos de algum chamado especial para nos retirarmos e nos colocarmos a sós com Deus por um tempo, todos os dias. Qualquer homem ou mulher que assim proceder, não conseguirá passar mais que vinte e quatro horas longe de Deus.”

Moody chamava o momento devocional de “a hora tranquila”. Mesmo que a nossa vida se resuma em muita correria, deve haver um momento em que conseguimos desacelerar para estarmos a sós com Deus.

O QUE FAZER

O que fazer quando nos separamos para este período devocional?

Algumas coisas são importantíssimas e inegociáveis para esta prática; outras podem mudar conforme cada pessoa ou ocasião. Eu quero falar agora daquelas que eu considero essenciais, a saber:

1. meditação bíblica;
2. oração;
3. adoração.

“É necessário que estejamos dispostos a pagar qualquer preço; não importa o quanto custa, qualquer preço vale Seu sorriso e Sua presença” (Smith Wigglesworth)

Pr. Luciano Subirá

Aprenda mais sobre ‘Quando, Onde e Como Fazer Meu Devocional?’, participe da EBD, aos domingos, às 9 horas, na CERV. Mais informações ligue: (31) 3451-5956 ou envie um e-mail para: contato@restaurandovidascerv.com.br

Invista no seu chamado

Estude no Seminário Teológico Restaurando Vidas

Invista no seu chamado fazendo o curso teológico da nossa igreja. São dois anos de curso que o capacitará para servir a Deus com excelência!

O curso é livre e dividido em quatro períodos com disciplinas teóricas e práticas.

Conheça o nosso curso

O período de matrículas encerra-se no próximo domingo, 13 de agosto,  e são realizadas presencialmente.

Invista no seu chamado e faça já a sua matrícula!
Mais informações ligue: (31) 3451-5956 / 99309-6957 (fale com Kátia) ou envie um e-mail para seminarioteologico@restaurandovidascerv.com.br

 

Salve a sua família

Salve a sua família é uma mensagem para incentiva-lo a zelar pela vida espiritual da sua família.

A partir do exemplo da prostituta Raabe, que encontra-se no livro de Josué. Aprenderemos a importância de nos esforçarmos para ver a salvação da nossa família.

Por meio da fita escarlate (tipifica o sangue de Jesus que nos dá a salvação) amarrada em sua janela, Raabe e sua casa foram salvos da destruição de Jericó.

Em primeiro lugar ela creu que o Deus de Israel era o único Deus, capaz de salvar e transformar.

Em segundo lugar ela clamou pela salvação de sua família e agiu para que isso acontecesse.

Diante da conduta dessa mulher podemos refletir: Como tenho desenvolvido a minha salvação?  E o que tenho feito para que toda a minha casa conheça e viva para o Senhor?

Saiba como fazer de Jesus o centro da sua família

Raabe, uma prostituta, conheceu a Deus e isso lhe concedeu duas importantes menções na Bíblia.

Ela apareceu na Genealogia de Jesus Cristo, como tetra avó de Davi. E na galeria dos heróis da fé é citada como exemplo de fé e perseverança.

Qual a sua proximidade com Jesus? Como está o seu relacionamento com o Ele que é a verdade e a Palavra?

Você tem se dedicado ao jejum, oração e estudo da Palavra? São essas disciplinas espirituais que lhe garantirá uma vida fixada e firmada na rocha, inabalável!

E a sua fé e perseverança em relação a sua família? O quanto você ora por seu cônjuge, filhos, pais e irmãos?

Deus pode realizar a obra de salvação, mas será que a incredulidade não dominou o seu coração a ponto de faze-lo desistir da sua família?

É necessário reexaminar o coração e verificar como estamos perante o conhecimento que temos de Deus e da Sua Palavra.

Refletir a respeito da nossa conduta em casa e para com Deus. Será que não temos side negligentes e temos sustentado uma aparência de espirituais para os outros?

Jesus reprovou a vida daqueles que se julgavam espirituais por orarem em voz alta e cumprirem cabalmente a lei, mas terem um coração impuro.

A sinceridade com nós mesmos e com Deus é fundamental para um relacionamento com Ele e com a nossa família.

Salve a sua família:
  • Orando
  • Jejuando
  • Estudando a Palavra
  • Dando bom testemunho dentro da sua casa
  • Participando dos cultos e eventos da igreja
  • Sendo sincero
  • E desafiando-se a cada dia ser um bom filho de Deus

 

Ouça a mensagem Salve a sua família e saiba como ser um instrumento de salvação e bênção no seu lar:
Conheça o nosso ministério, faça-nos uma visita! A CERV fica à Rua Érico Veríssimo, 1167- Santa Mônica. Mais informações ligue: (31) 3451-5956 ou envie um e-mail para: contato@restaurandovidascerv.com.br

O reavivamento produzido pela Palavra de Deus

A Reforma do século XVI foi uma volta às Escrituras. Essa volta à palavra de Deus produziu mudanças profundas na vida da igreja e trouxe um poderoso reavivamento. O Salmo 119, sendo o maior capítulo da Bíblia, trata da excelência da palavra de Deus e de seus benditos efeitos em nossa vida. Destacaremos, aqui, a relação entre a palavra de Deus e o reavivamento.
Em primeiro lugar, reavivamento e restauração (Sl 119.25). “A minha alma está apegada ao pó; vivifica-me segundo a tua palavra”. Davi está prostrado até ao pó. Sua alma está humilhada ao extremo. Nessa prostração total, clama pela vivificação que vem por meio da palavra. É a palavra de Deus que restaura a alma!

Em segundo lugar, reavivamento e proteção (Sl 119.37). “Desvia os meus olhos, para que não vejam a vaidade, e vivifica-me no teu caminho”. Nossos olhos podem nos atrair para armadilhas perigosas. Podem ser um laço para os nossos pés. Por isso, o salmista roga a Deus proteção da queda e ao mesmo tempo vivificação no caminho de Deus, o caminho da santidade.

​Em terceiro lugar, reavivamento e aspiração (Sl 119.40). “Eis que tenho suspirado pelos teus preceitos; vivifica-me por tua justiça”. Quanto mais suspiramos pela palavra de Deus, mais somos cheios dela e mais vivificados seremos pela justiça divina. Quanto mais cheios da presença de Deus, mais desejamos Deus em nossa vida.

Em quarto lugar, reavivamento e consolo (Sl 119.50). “O que me consola na minha angústia é isto: que a tua palavra me vivifica”. A vida com Deus é uma jornada por onde a angústia sempre nos espreita. Porém, nas noites mais escuras da alma, a palavra de Deus nos vivifica, nos consola e nos enche de verdor e frutos benditos.

​Em quinto lugar, reavivamento e obediência (Sl 119.88). “Vivifica-me, segundo a tua misericórdia, e guardarei os teus testemunhos oriundos de tua boca”. Quando descemos aos vales escuros da vida ou tropeçamos em virtude de nossa fraqueza, precisamos da misericórdia de Deus e quando ele nos vivifica, então, renovamos o nosso compromisso de obediência à sua palavra.

Em sexto lugar, reavivamento e aflição (Sl 119.107). “Estou aflitíssimo; vivifica-me, Senhor, segundo a tua palavra”. A aflição é o cálice que bebemos enquanto caminhamos na estrada juncada de espinhos, entre o berço e a sepultura. Porém, nas horas que sorvemos esse cálice amargo, Deus nos vivifica segundo a sua palavra, apruma nossos joelhos trôpegos, fortalece as nossas mãos descaídas e nos restaura o vigor.

Em sétimo lugar, reavivamento e oração (Sl 119.149). “Ouve, Senhor, a minha voz, segundo a tua bondade; vivifica-me, segundo os teus juízos”. Oração e palavra são os dois grandes instrumentos que nos levam à vivificação espiritual. Quando Deus ouve nosso clamor, então, sua palavra nos restaura. Pela oração falamos com Deus; pela palavra Deus fala conosco!

​Em oitavo lugar, reavivamento e libertação (Sl 119.154). “Defende a minha causa e liberta-me; vivifica-me, segundo a tua palavra”. Quando somos apanhados na rede da perseguição externa ou da aflição interna, precisamos de livramento e quando este chega, Deus nos vivifica pela sua palavra. Oh, bendito livramento! Deus não nos deixa expostos ao opróbrio dos nossos inimigos.

Em nono lugar, reavivamento e misericórdia (Sl 119.156). “Muitas, Senhor, são as tuas misericórdias; vivifica-me segundo os teus juízos”. Por causa das muitas misericórdias de Deus não somos consumidos. Por elas, Deus não nos dá o juízo que merecemos. Por isso, ele nos ergue de nossa fraqueza e nos vivifica segundo os seus juízos.

Em décimo lugar, reavivamento e amor à palavra (Sl 119.159). “Considera em como amo os teus preceitos; vivifica-me, ó Senhor, segundo a tua bondade”. O amor à palavra de Deus descortina diante de nós o caminho da bondade divina e nesse caminho está a gloriosa realidade do reavivamento e da vivificação espiritual.

É tempo de buscarmos ao Senhor e a sua palavra até que ele venha sobre nós, trazendo em suas asas, poderoso reavivamento espiritual!

Rev. Hernandes Dias Lopes

 

Última semana de inscrições do seminário

Inscrições encerram-se no domingo, 5 de fevereiro

Se você deseja estudar teologia em 2017, estude no Seminário Teológico Restaurando Vidas (STRV).

O seminário tem duração de dois anos e capacita seus alunos a serem servos de excelência para o Reino.

Os seminaristas têm a oportunidade de estudar disciplinas que o permitam conhecer profundamente a Palavra de Deus e o Senhor.

Além disso, as disciplinas práticas permitem que eles vivenciem situações que fazem parte do cotidiano da igreja.

Não perca esta oportunidade! Estude conosco!

Para obter informações sobre local de inscrições, taxa de matrícula e mensalidade ligue: (31) 99309-6957 (fale com Kátia) ou envie um e-mail para contato@restaurandovidascerv.com.br

Dinâmica do mês e vigília

Amanhã, às 19 horas teremos na Mocidade a Dinâmica do mês e às 21 horas a vigília da CERV

O sábado, 28 de janeiro, reserva duas programações para edificação e crescimento da nossa igreja:

A dinâmica do livro do mês e a vigília.

A dinâmica inicia-se  às 19 horas, e será sobre o livro de 2 Coríntios, livro do mês de janeiro.

Já a Vigília começará às 21 horas, e será um período de busca da presença de Deus, em oração e adoração.

Ambas programações são para toda a igreja. Se você deseja crescer espiritualmente e ter a sua vida transformada participe dessas atividades.

Mais informações, ligue: (31) 3451-5956 ou envie um e-mail para: contato@restaurandovidascerv.com.br 

Encerramento da campanha “Tudo ou Nada”

Prepare-se para nossa última reunião da campanha, pois será de grandes vitórias, em nome de Jesus!

Em noveoracaombro, todos os membros da CERV se consagram para a Campanha “Tudo ou Nada”.

Durante todos os dias os irmãos oraram por 1 hora, jejuaram e estudaram a 1ªCarta de Paulo aos Coríntios. E aos sábados a igreja se reuniu para ouvir a Palavra de Deus, adorar ao Senhor e guerrear em oração, clamando pelas bênçãos do Senhor.

E, hoje, ás 19 horas,  na CERV, será o último encontro de sábado. Receberemos a última oração e unção e queimaremos nossos pedidos. Prepare o seu coração e creia que já deu tudo certo, em nome de Jesus!

Importante: os encontros se encerram hoje, mas a campanha prossegue até o dia 30 de novembro. Permaneça firme e tome posse da sua bênção!

O curso

O curso de Teologia, do Seminário Teológico Restaurando Vidas (STRV), tem como missão “Formar servos de excelência para o Reino”.

Essa formação se dá por meio de aulas teóricas e práticas, nas quais os seminaristas têm a oportunidade de desenvolver e/ou aprimorar seus talentos.

Aulas teóricas

estudando-a-bibliaNosso material didático é composto por apostilas, livros e outras ferramentas de apoio, tais como materiais em áudio e vídeo.

Também é ministrada, em três períodos, a disciplina livre “Leitura Cristã”. Na qual os alunos tem a oportunidade de realizar uma resenha ou um resumo de um dos livros disponíveis em nosso acervo literário.

E, finalmente, a Monografia, que trata-se de um trabalho acadêmico teológico realizado ao final do curso, cujo objetivo é o aprofundamento de um tema único e bem delimitado, posteriormente apresentado à uma banca examinadora, composta pelo corpo docente do Seminário.

Disciplinas:

Apologética; Arqueologia Bíblica; Bibliologia; Direito Eclesiástico; Doutrina Bíblica; Escatologia Bíblica; Evangelhos; Fundamentos de Administração Eclesiástica; Igreja Neotestamentária; Liderança; Hamartiologia; Hermenêutica; História da Igreja; Homilética; Missiologia; Pneumatologia; Português; Psicologia Pastoral; Panorama do Antigo Testamento; e Panorama do Novo Testamento.

Aulas práticas

caminhando

Ministério do aluno: possibilita, na prática, a vivência do dia a dia da igreja.

  • Ministério servos: concentra atividades relativas à organização e ao cuidado da igreja;
  • Ministério de oração: trata-se da intercessão semanal por pedidos de oração previamente entregues ao aluno;
  • Ministério de louvor: abrange a abertura dos cultos do Seminário, a seleção das músicas, o louvor e a ministração durante os cânticos;
  • Ministério de pregação: a partir de uma temática previamente definida, o aluno será responsável pela pregação da Palavra de Deus nos cultos do Seminário.

Outra atividade prática realizada pelos seminaristas é o Impacto Evangelístico. 

Com frequência semestral, sob a organização e liderança da diretoria do Seminário, os alunos auxiliam na realização de um evangelismo urbano e de um culto para acolher as pessoas evangelizadas.

Saiba como ingressar no Seminário Teológico Restaurando Vidas

 

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén