Tag: esperar

O propósito maior de uma provação

O propósito maior de uma provação é que, em primeiro lugar, a pessoa enxergar a provação pela ótica de Deus.

A seguir, leia o texto de Tiago, capítulo 1, versos de 1 ao 12:

 

“Meus irmãos, considerem motivo de grande alegria o fato de passarem por diversas provações,
 
 
pois vocês sabem que a prova da sua fé produz perseverança.
 
 
E a perseverança deve ter ação completa, a fim de que vocês sejam maduros e íntegros, sem lhes faltar coisa alguma.
 
 
 Se algum de vocês tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá livremente, de boa vontade; e lhe será concedida.
 
 
 Peça-a, porém, com fé, sem duvidar, pois aquele que duvida é semelhante à onda do mar, levada e agitada pelo vento.
 
 
Não pense tal homem que receberá coisa alguma do Senhor;
é alguém que tem mente dividida e é instável em tudo o que faz.
 
 
O irmão de condição humilde deve orgulhar-se quando estiver em elevada posição.
 
 
E o rico deve orgulhar-se se passar a viver em condição humilde, porque passará como a flor do campo.
 
  
Pois o sol se levanta, traz o calor e seca a planta; cai então a sua flor, e é destruída a beleza da sua aparência. Da mesma forma o rico murchará em meio aos seus afazeres.
 
 
Feliz é o homem que persevera na provação, porque depois de aprovado receberá a coroa da vida que Deus prometeu aos que o amam”
 
 
As provações citadas por Tiago nos versículos acima se refere a situações externas que podem atingir o homem.
 

E o ser humano deve observar as provações com bons olhos, pois a finalidade de Deus é sublime.

 
 
Mas, como ver algo que causa dor, tristeza e dificuldades com alegria?
 
 
 
 
 
Entender que a finalidade é tornar o homem maduro, íntegro e completo em seu caráter e vida espiritual.
 
 
E em meio as provações é necessário pedir ao Senhor sabedoria para compreender e lidar com essas provas.
 
 
Mas, quais seriam os benefícios de ser provado?
 
 
O livro de Jó, capítulo 1, versos de ao 5, apresenta a resposta a essa questão:
 
 
 
“Havia um homem chamado Jó que vivia na terra de Uz. Ele era íntegro e correto, temia a Deus e se mantinha afastado do mal.
 
 
Tinha sete filhos e três filhas.
 
  
Era dono de sete mil ovelhas, três mil camelos, quinhentas juntas de bois e quinhentas jumentas. Também tinha muitos servos. Na verdade, era o homem mais rico de toda aquela região.
 
  
Os filhos de Jó se revezavam em preparar banquetes em suas casas e convidavam suas três irmãs para celebrar com eles.
 

Quando terminavam esses dias de festas, Jó mandava chamar seus filhos, a fim de purificá-los. Levantava-se de manhã bem cedo e oferecia um holocausto em favor de cada um deles, pois pensava:

 

“Pode ser que meus filhos tenham pecado e amaldiçoado a Deus em seu coração”. Essa era a prática habitual de Jó”

 

Jó era um homem, reto, íntegro, temente a Deus e se desviava do mal.

 

 
Era um pai, sacerdote, que paga preço pelos seus filhos. Enfim, tinha uma conduta exemplar.
 
 
A Bíblia afirma que, numa reunião realizada no céu, Satanás se apresentou e Deus perguntou se ele tinha visto seu servo Jó.
 
 
E o Senhor o elogia perante o Inimigo. Deus não elogia as posses, riquezas e prosperidade de Jó, mas sim sua conduta e caráter.
 
 
Satanás afirma que Jó só possui esse caráter exemplar por que o Senhor o abençoava, mas que se tirasse tudo ele amaldiçoaria a Deus.
 
 
Porém, o plano do Inimigo foi frustrado, pois mesmo o Senhor autorizando que ele tocasse em tudo que pertencia a Jó, menos em sua vida, o patriarca não amaldiçoou a Deus.
 
 
  
“Em tudo isso, Jó não pecou nem culpou a Deus” (Jó 1.22)
 
 
 
Apesar das provas Jó permaneceu fiel a Deus e escolheu não pecar.
 
 
Satanás, com a autorização de Deus, trouxe uma nova provação para Jó, e tocou em sua saúde.
 
 
E sobre todo o corpo do patriarca apareceram várias feridas que cheiravam mal, ao ponto de transformar a aparência dele.
 
 
A esposa dele foi reprovada, pois afirmou que ele deveria amaldiçoar a Deus e morrer.
 
 
Entretanto, ainda assim, Jó não deu ouvidos a sua esposa e afirmou:
 
 
 
“Você fala como uma mulher insensata. Aceitaremos da mão de Deus apenas as coisas boas e nunca o mal? Em tudo isso, Jó não pecou com seus lábios” (Jó 2. 10).
 
 
Quando se chega ao final do livro de Jó é possível compreender o propósito maior de uma provação:
 
 
“Então Jó respondeu ao Senhor:
 
  
Sei que podes fazer todas as coisas, e ninguém pode frustrar teus planos.
 
  
Perguntaste: ‘Quem é esse que, com tanta ignorância, questiona minha sabedoria?’ Sou eu; falei de coisas de que eu não entendia, coisas maravilhosas demais que eu não conhecia.
 
 
 Disseste: ‘Ouça, e eu falarei! Eu lhe farei algumas perguntas, e você responderá’.
 

Antes, eu só te conhecia de ouvir falar; agora, eu te vi com meus próprios olhos” (Jó 42.1-5).

O propósito maior era de que Jó tivesse maior intimidade e relacionamento com o Senhor.

Pessoas que contemplaram Deus na Bíblia, como por exemplo, Moisés, nunca mais foi o mesmo. Tornou-se libertador do povo de Deus.

O propósito maior de uma provação, no caso de Jó era aproximá-lo do Senhor.

Deus também tem esse propósito para a sua vida, de te aproximar Dele para que você contemple a glória do Senhor.

Ouça a mensagem ‘O propósito maior de uma provação’ e seja edificado:

 

 

Comunicação CERV

Oração não respondida

Oração não respondida é uma mensagem que mostra a história de vários homens de Deus, que não tiveram respostas as suas orações, conforme pediram.

A Palavra de Deus em At 1:14 afirma:

“Todos esses perseveravam unânimes em oração”

 Uma marca da igreja de Jesus é a oração. Então acerca da oração é importante compreender que:

1) A Igreja nasceu em meio a um ambiente e prática da oração;

2) A oração deve ser uma marca na nossa vida cristã, quando alguém está mal um dos primeiros sinais é parar de orar;

3) A oração é tão importante quanto a leitura da Bíblia

Antes de aprendermos a partir das orações não respondida vejamos alguns exemplos de orações respondidas.

1) Moisés, um homem de conhecimento enciclopédico, intercedeu e o povo de Deus não pereceu no deserto;

2) Neemias, um homem que ao ver a miséria e destruição do seu povo, chorou, jejuou e orou durante alguns dias, e Deus abriu todas as portas para a reconstrução de Jerusalém;

3) Daniel, um homem que ocupou altos cargos na sociedade, mas que sempre lembrou que o seu lugar era ajoelhado, prostrado, rosto em terra, orando ao Senhor. Saiu com vida da cova dos leões.

Aprenda mais sobre este tema com nossas mensagens

E quando as orações não são respondidas?

Experimentei isso com o meu filho, Gabriel José. Orei até o fim para que Deus realizasse um milagre, porém, não aconteceu.

Aos 2 meses e 18 dias de vida, meu filho morreu. E o que mais ouvi das pessoas foram frases do tipo:

“é a vontade de Deus”, “é plano de Deus”, “é propósito de Deus”.

Confesso que relutei com isso, tentei ficar com raiva de Deus por um momento, mas não consegui.

E foi ao ler 1 Sm 2:6 que tive a compreensão que, de fato, o controle das nossas vidas está nas mãos de Deus.

Não temos outro a quem recorrer nos momentos que estamos em perigo ou que o barco parece naufragar, nós, crentes, só temos uma única opção recorrer: Jesus.

Culto após culto são contadas e recontadas histórias que reforçam a nossa fé em Deus, em como Ele vem ao nosso encontro (aliás “De onde me virá o socorro?”), em como o Seu braço forte agiu no passado e age hoje.

Que Jesus Cristo, é sim, aquele que curou doentes e ressuscitou mortos, é o mesmo ontem, hoje e para sempre.

Ele responde orações!

Lembre-se do sol que parou, do fogo que desceu do céu, do filho da viúva que foi ressuscitado.

Então num momento como esse, de dor, nos resta buscar no próprio Deus resposta. Não cobrando explicações disso ou daquilo, mas como devemos prosseguir.

Vejamos agora exemplos de orações não respondidas e de como prosseguir diante da negativa de Deus:

  1. Moisés: Dt 3:23-29

  2. Paulo: 2Co 12:7-9

  1. Jesus: Mt 26:36-39, 44-46

Há um propósito de Deus para tudo, ainda que seja desconhecido a nós.

Entenda mais sobre quando Deus não responde as orações

Ainda que esse propósito esteja escondido na “profundidade das riquezas, da sabedoria e do conhecimento de Deus”.

Talvez o meu e/ou seu propósito seja esse:

“Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai das misericórdias e o Deus de toda a consolação;
Que nos consola em toda a nossa tribulação, para que também possamos consolar os que estiverem em alguma tribulação, com a consolação com que nós mesmos somos consolados por Deus.

Porque, como as aflições de Cristo são abundantes em nós, assim também é abundante a nossa consolação por meio de Cristo” (2 Co 1.3-5)Talvez nosso propósito seja o de consolar pessoas que passaram pelas mesmas experiências que as nossas.

 

De levar a elas o consolo como qual fomos consolados!
O meu desejo é que os meus ombros e os seus estejam fortes o suficiente para suportar a cabeça de outros e lhes dar consolo.
Que Jesus o abençoe e console o seu coração!
Ouça a mensagem ‘Oração não respondida’ e permita que o Espírito Santo fale ao seu coração:

 

Matheus Gouvêa

Perseverança para 2018

Perseverança para 2018 nos propõe uma reflexão bíblica de como podemos permanecer crendo no Senhor e nas suas promessas para o novo ano!

Talvez você esteja frustrado por achar que Deus está demorando em responder à sua oração, mas saiba que Ele está interessado no desenvolvimento da fé e da perseverança de seu caráter.

Veja a passagem de Romanos 15.4:

Pois tudo o que foi escrito no passado foi escrito para nos ensinar, de forma que, por meio da perseverança e do bom ânimo procedentes das Escrituras, mantenhamos a nossa esperança

Nossa esperança em Jesus não pode estar limitada ao aqui e agora, pois, se o nosso foco de esperança se limita apenas ao que vemos aqui, ou naquilo que podemos colocar em nosso bolso, como diz a Palavra, somos os mais infelizes de todos os homens.

Este ano foi um ano difícil para o Brasil, um tempo de crise, desemprego, as notícias não são boas; por isso precisamos focar na esperança de que tudo será diferente e melhor no novo ano.

Saiba como buscar um ano realmente novo

A Bíblia é o livro da esperança, é a fonte da esperança. Já o nosso maior inimigo é a ignorância, tanto que a Escritura registra:

O meu povo está sendo destruído porque lhe falta o conhecimento (Oseias 4.6).

E a falta desse conhecimento pode ser também o da esperança. A Bíblia é a Palavra do Senhor, e a Palavra do Senhor se resume em esperança.

Entenda o valor inestimável das Sagradas Escrituras

Fé e esperança têm que ter o mesmo peso, porque é a esperança que alimenta a fé.

Do momento da promessa ao tempo do cumprimento da promessa precisamos ter perseverança e encher o coração de esperança.

A perseverança está diretamente ligada à força que somos capazes de alcançar quando temos raízes consolidadas na Palavra.

Quando somos cristãos que realmente disseminam as boas novas do Evangelho, com testemunho singelo, regado de amor, não abalados facilmente, mas produzindo frutos para a eternidade.

Dessa forma alcançaremos, juntos, de joelhos no chão, um 2018 cheio de esperança e fé.

“Sede fortes, e revigore-se o vosso coração, vós todos que esperais no Senhor” (Salmo 31.24).

Pr. Márcio Valadão

Saiba mais sobre ‘Perseverança para 2018’ participe do nosso primeiro culto de 2018. A celebração acontecerá na terça, às 19:30, na CERV (fica à Rua Érico Veríssimo, 1167- Santa Mônica). Mais informações ligue: (31) 3451-5956 ou envie um e-mail para: contato@restaurandovidascerv.com.br

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén