Tag: confiança

Aquieta minha alma

Aquieta minha alma é uma mensagem que trata sobre as adversidades que afligem a alma dos filhos de Deus.

É uma mensagem de esperança para a sua vida, não importa o problema ou a situação na qual você se encontra. Há esperança para você!

Estamos no princípio de 2018 e há pessoas que por estarem vivendo problemas sem resolução, já desistiram de prosseguir, desistiram dos seus sonhos.

Entretanto, apesar de tudo, Deus quer trazer esperança ao coração dos seus filhos (as), ao seu coração.

Em Salmos capítulo 42, versos de 1 ao 11, está escrito:

“Como a corça anseia pelas correntes de água, assim minha alma anseia por ti, ó Deus.

 Tenho sede de Deus, do Deus vivo; quando poderei estar na presença dele?

Dia e noite, as lágrimas têm sido meu alimento, enquanto zombam de mim o tempo todo, dizendo: “Onde está o seu Deus?”

Meu coração se enche de tristeza, pois me lembro de como eu andava com a multidão de adoradores, à frente do cortejo que subia até a casa de Deus, cantando de alegria e dando graças, em meio aos sons de uma grande festa.

Por que você está tão abatida, ó minha alma? Por que está tão triste? Espere em Deus! Ainda voltarei a louvá-lo, meu Salvador e

meu Deus! Agora estou profundamente abatido, mas me lembro de ti, desde o distante monte Hermom, onde nasce o Jordão, desde a terra do monte Mizar.

Ouço o tumulto do mar revolto, enquanto suas ondas e correntezas passam sobre mim.

Durante o dia, porém, o Senhor me derrama seu amor, e à noite entoo seus cânticos e faço orações ao Deus que me dá vida.

Clamo: “Ó Deus, minha rocha, por que te esqueceste de mim? Por que tenho de andar entristecido, oprimido por meus inimigos?”

Os insultos deles me quebram os ossos; zombam de mim o tempo todo, dizendo: “Onde está o seu Deus?”

Por que você está tão abatida, ó minha alma? Por que está tão triste? Espere em Deus! Ainda voltarei a louvá-lo, meu Salvador e meu Deus!”

Ouça este louvor e deixe Deus ministrar ao seu coração

Este Salmo é um exemplo do que pode acontecer com qualquer filho (a) de Deus.

A Bíblia afirma que no mundo todos encontrariam aflições, e muitas a respeito das quais não se encontra explicação ou resposta.

Muitas vezes o que resta são as lágrimas, é chorar diante de Deus e pedir socorro a Ele.

É interessante observar que este Salmo não relata sobre uma pessoa que estava sofrendo consequências de escolhas erradas.

Mas sim sobre uma pessoa que estava passando por uma adversidade ou situação difícil, que pode vir sobre os filhos (as) de Deus.

E é justamente nestes momentos que surgem pessoas para questionar: Onde está o seu Deus? Onde está o Deus que você diz que serve, ama e confia?

Pode ser que hoje a situação esteja difícil e que o quê te sustenta são as lágrimas de dia e de noite, mas espere em Deus, pois você ainda o louvará!

Será que você verdadeiramente está esperando em Deus?

Por que algumas pessoas ,em vez de esperar no Senhor, buscam nos homens resposta e auxilio.

Entretanto, isto é errado, pois o único capaz de auxiliar o homem plenamente é Deus!

E normalmente, nestes períodos de lutas, o Inimigo (Satanás ) usa pessoas para levantar questionamentos sobre a fé do filho (a) de Deus:

“Onde está O seu Deus? Eu que não sirvo a este Deus e não vou a igreja como você vai estou muito bem: trabalho, estudo e tenho as coisas que desejo. E você? está aí nesta situação!”

E muitos filhos (as) dão ouvidos a estas palavras e começam a pensar: “Será que realmente meu Deus vai me ajudar? Será que Ele realmente fará algo? Será?!”

E em meio a estes questionamentos continuam a surgir as dificuldades, uma atrás da outra, e a vida parece não ter sentido algum.

Então a pessoa chora, por não ver sentido e respostas para tudo o que está vivendo.

Até quando você pode suportar? Você ainda consegue crer em Deus e ter esperança Nele?

É neste momento que há separação entre os que são corajosos e permanecem e aqueles que desistem e retrocedem.

Será que você pode declarar: Eu sei em quem eu tenho crido?

Qual será a sua escolha: desistir ou permanecer? Desistir ou ter esperança?

No livro de Salmos, capítulo 73, versos 1 e 2, Asafe declara:

“Certamente Deus é bom para Israel, para os que têm coração puro. Quanto a mim, quase tropecei; meus pés escorregaram e quase caí.”

Neste trecho, Asafe afirma que foi por pouco que ele trocou os caminhos do Senhor por outros caminhos. E logo a seguir explica o por quê deste sentimento:

“Pois tive inveja dos orgulhosos quando os vi prosperar apesar de sua perversidade.

Levam uma vida sem sofrimento e têm o corpo saudável e forte.

Não enfrentam dificuldades, nem estão cheios de problemas, como os demais

Ostentam o orgulho como um colar de pedras preciosas e vestem-se de crueldade.

Seus olhos cobiçam sempre mais, e o coração vive cheio de más intenções.

Zombam e falam somente maldades; em seu orgulho, ameaçam usar de violência.

Falam como se fossem donos dos céus, e suas palavras arrogantes percorrem a terra.

Por isso, o povo se volta para eles e bebe todas as suas palavras.

“O que Deus sabe?”, perguntam. “Acaso o Altíssimo tem conhecimento disso?

Vejam como os perversos desfrutam uma vida tranquila, enquanto suas riquezas se multiplicam.”

Asafe neste texto está observando sua vida e comparando-a com a dos ímpios.

Ele era um homem de Deus, levita, viria  na casa do Senhor.

Ao observar suas lutas e problemas e, ao mesmo tempo observar os homens ímpios,  percebe que eles não possuem os mesmos problemas e dificuldades que ele, pelo contrário estão bem, sem problema algum.

E por um instante ele começa a invejar estas pessoas e a querer ter a mesma vida que eles.

“Foi à toa que mantive o coração puro? Foi em vão que agi de modo íntegro? O dia todo só enfrento problemas; cada manhã sou castigado” (Sl 73.13 e 14)

Este questionamento chegou ao seu coração. Asafe servia e dedicava a sua vida a Deus e passava por problemas, já, aqueles que não estavam preocupados em agradar ao Senhor, possuíam tudo o que o levita desejava.

Porém estes questionamentos encontram respostas assim que ele entra na Casa do Senhor:

 “Então, entrei em teu santuário, ó Deus, e por fim entendi o destino deles” (Sl 73.17)

E então percebe que o fim dos ímpios é a destruição por escolherem permanecer longe do Senhor.

E então pôde concluir seu pensamento declarando:

“Quanto a mim, como é bom estar perto de Deus! Fiz do Senhor Soberano meu refúgio e anunciarei a todos tuas maravilhas” (Sl 73.28).

Você pode estar enfrentando os piores momentos da sua vida e sua alma pode estar abatida, mas se você tem esperança em Deus você pode declarar:

“Eu ainda o louvarei”
Ouça a mensagem “Aquieta minha alma” e permita que o Senhor encha seu coração de esperança:

 

Comunicação CERV

Não temas

Não temas, essa foi a Palavra que Jesus declarou aos discípulos em Mateus 14, verso 27: “Jesus, porém, imediatamente lhes falou, dizendo: Tende ânimo; sou Eu; não temas”. Jesus está sempre pronto a Se revelar de modo diferente para cada um de nós. Ele Se aproxima de mim de modo diferente de como Se aproxima de você.

Jesus pode acalmar a tempestade com um sopro ou deixar a tempestade por um tempo, mas a certeza que podemos ter é que Ele não nos deixa naufragar. A crise não desenvolve o nosso caráter, ela revela o nosso caráter. Na hora em que olhamos para um lado e para o outro e parece que não há saída é ali que demonstramos a nossa fé, a nossa convicção, o nosso conhecimento.

A primeira expressão de Jesus foi: “Não temas”. Ele estava dizendo: “Eu sou livre para chegar a vocês da maneira que Eu quiser”. Ele chega para cada um de nós de uma maneira diferente, mas sempre chega. Glória a Deus! O Senhor não diz simplesmente ‘não temas’ e vai embora, mas: “Não temas, Eu vou ajudar você; Eu sei que você não consegue sozinho, mas Eu sou contigo”. Jesus Cristo poderia ter chegado voando naquele barco, mas Ele foi a pé, andando. Jesus jamais é atingido pelas tempestades, e a vontade Dele é que você e eu cheguemos ao outro lado.

O meio é onde as pessoas param. Em nossa cultura é tão comum as pessoas desistirem de seus planos, e quase sempre elas desistem quando estão na metade do caminho para chegar ao lugar da vitória. Você certamente tem seus alvos e, quando desiste deles, desiste exatamente no meio, muito próximo de conquistá-los, porque acredita que não conseguirá e para; mas precisa entender que o pior lugar para parar é no meio. Você precisa liberar a fé para prosseguir; não é do agrado do Pai que você pare no meio. Jesus quer você do outro lado. Prossiga, não desista!

Leia este e mais textos do Pr. Márcio Valadão

A Palavra diz que Aquele que começou a boa obra em vós haverá de completá-la. Você e eu chegaremos ao outro lado. Fé e desânimo não andam juntos; por isso que o meio não é o lugar para ficar. Deus estará conosco por onde quer que andemos, quem coloca o limite somos nós. Se escolhermos parar no meio, ficaremos estagnados, fracassaremos. Jesus não mudou, Ele é o mesmo ontem, é o mesmo hoje e será o mesmo para sempre. Talvez você tenha parado no meio, está intacto, imóvel. Quem sabe já tenha passado por experiências piores das que está vivendo, mas tudo o que o Senhor quer é que compreenda que já caminhou até ao meio e precisa continuar, chegar ao outro lado, tendo o coração confiante, precisa preservar sua identidade em Cristo Jesus.

A nossa fé não é uma religião, mas o nosso relacionamento com Deus. Cristo vive em mim e em você. Na hora da tempestade na sua vida, você deve permitir que Jesus viva intensamente por meio de você. Não fique parado no meio. Jesus é o nosso socorro presente. Nas tempestades em nossa caminhada Ele sempre repetirá as mesmas palavras: não temas.

Pr. Márcio Valadão

Deseja aprender mais sobre o assunto “Não temas”? Participe dos nossos cultos e da Escola Bíblica Dominical. Mais informações ligue: (31) 3451-5956 ou envie um e-mail para: contato@restaurandovidascerv.com.br

O que podemos aprender com a palmeira

“O justo florescerá como a palmeira…” (Sl 92.12).

A Bíblia está cheia de metáforas. São figuras e imagens que nos apresentam lições morais e espirituais. Aqui, no texto em tela, o justo é comparado com a palmeira. É claro que, no caso de Israel, o escritor está falando da tamareira, pois é a árvore mais conhecida na região e uma das primeiras fontes de renda na agricultura.

Vejamos que lições podemos aprender com a palmeira:

Em primeiro lugar, o justo cresce verticalmente. A tamareira cresce para cima, para o alto, para o céu. Assim é o justo. Sua vida é reta e cresce verticalmente. Isso fala de sua retidão e integridade. O justo não tem em seu caráter sinuosidades. Sua vida é reta. Sua conduta é ilibada. Seu testemunho é irrepreensível. Seu crescimento é para o alto!

Em segundo lugar, o justo tem uma vida útil. Tudo na tamareira é útil. Suas raízes, seu caule, suas folhas e seus frutos. Assim é o justo. Sua vida é uma bênção para a família e para a sociedade. Sua presença no mundo é abençoadora. Suas palavras são terapêuticas e suas obras são marcadas pela bondade. Seus frutos são doces e nutritivos.

Em terceiro lugar, o justo tem uma vida bela aos olhos de Deus e dos homens. A palmeira ou a tamareira enfeita o ambiente hostil onde cresce. No meio do deserto ela desfralda suas folhas robustas. No meio da seca severa, ela mantém seu verdor. Sua folhagem não murcha nem perde a sua beleza. Assim é o justo. Ele é belo aos olhos de Deus e seu testemunho é reconhecido na terra.

Em quarto lugar, o justo mantém-se firme mesmo em tempos de duras provas. A tamareira cresce no deserto, floresce em lugares áridos, frutifica em ambientes hostis. Suas raízes são castigadas pelo tropel de camelos e feras. Seu caule e suas folhas são surradas por rajadas dos ventos quentes do deserto. Seus frutos suculentos são amadurecidos sob o calor implacável, imposto pelo sol causticante. Assim é o justo, mesmo sendo duramente provado, permanece firme, pois está plantado em Deus, é sustentado por Deus e frutifica para a glória de Deus.

Em quinto lugar, o justo produz frutos que exaltam a Deus e abençoam o próximo. As tâmaras são apreciadas no mundo inteiro. É um fruto doce, nutritivo e nobre. É o mais importante produto da agricultura de Israel. É um importante fator da economia da região árida do deserto da Judeia. O justo produz, também, frutos dignos de arrependimento. O fruto do Espírito pode ser encontrado em sua vida. Não tem apenas folhas, mas frutos, muitos frutos que glorificam a Deus e abençoam o próximo.

Em sexto lugar, o justo aponta para a verdadeira fonte da vida. Onde o viajor cansado, pelos desertos áridos, vislumbra uma tamareira, sabe que ali existe um oásis, lugar de abrigo e refrigério. A tamareira é um ponto de referência no meio do deserto inóspito. Assim é o justo. Ele é plantado junto à fonte e sua vida aponta para Deus, o verdadeiro manancial da vida. Aqueles que andam errantes pelos desertos da vida, olham para ele, e podem encontrar a fonte da vida, um lugar de abrigo sob as asas do Onipotente Deus.

Em sétimo lugar, o justo é vitorioso em sua jornada. A folha da palmeira ou da tamareira é um símbolo de vitória. Quando erguida e acionada, com uma bandeira no mastro, ela proclama a vitória daqueles que a ostentam. Assim é a vida do justo. Ele é mais do que vencedor em Cristo. Sua vitória não decorre de sua beleza intrínseca nem de sua força pessoal. Sua vitória vem de Deus. Apesar de sua fraqueza, triunfa. Apesar de habitar numa tenda rota, será revestido com um corpo de glória! O justo florescerá como a palmeira!

Rev. Hernandes Dias Lopes

Debaixo do cajado de Jesus

“O Senhor é o meu pastor; nada me faltará” (Sl 23.1)

O Salmo 23 é um reservatório inesgotável de consolo para o povo de Deus. Dessa fonte jorra copiosamente refrigério para os cansados, força para os fracos  e alegria para os tristes.

Jesus é o pastor divino. Ele é o bom, o grande e o supremo pastor. Ele ama suas ovelhas e cuida delas. Ele deu sua vida por elas e as guiará à casa do Pai, à bem aventurança eterna.

O Salmo 23 enseja-nos três lições assaz oportunas:

Em primeiro lugar, porque o Senhor é o nosso pastor, há pleno suprimento para as nossas necessidades (Sl 23.1-3).

Embora, como ovelhas somos frágeis, inseguros e inclinados a nos desviarmos do aprisco das ovelhas, em Jesus Cristo, o bom, o grande e o supremo pastor, temos repouso, refrigério e direção.

Jesus não é apenas o nosso grande provedor; Ele é, também, nossa melhor provisão. Ele não apenas nos concede sua paz nas tormentas da vida; ele é a nossa paz.

Jesus não apenas nos guia pelas veredas da justiça; Ele é a nossa justiça. Jesus não é apenas pastor; Ele é o nosso pastor. Aquele que está assentado no trono e tem as rédeas da história em suas mãos, pastoreia a nossa alma, alimenta-nos com sua graça e fortalece-nos com seu poder.

Conhecer a Ele é a própria essência da vida eterna. Andar com Ele é a maior de todas as venturas. Glorificar a Ele é a razão da nossa vida. Fazer a sua vontade é a maior de todas as nossas metas. Portanto, como Davi podemos alçar nossa voz e dizer que o Senhor é o nosso pastor, por isso, nada nos faltará!

Em segundo lugar, porque o Senhor é o nosso pastor, há consoladora companhia nas adversidades (Sl 23.4,5).

A vida cristã não é uma jornada fácil. Cruzamos desertos tórridos e vales profundos. Atravessamos mares revoltos e enfrentamos ventos contrários. Porém, mesmo quando andamos pelos vale da sombra da morte, não precisamos ter medo. E isso, não porque somos fortes ou os perigos são irreais.

Nossa confiança decorre do fato de Jesus estar conosco em todas as circunstâncias e em todo o tempo. Não precisamos ter medo dos adversários que nos ameaçam, pois o nosso pastor nos dá vitória sobre eles.

Não precisamos ter medo de vexame e fracasso, pois o nosso pastor nos honra, ungindo-nos a cabeça com óleo. Não precisamos ter medo da tristeza que ronda a nossa alma, pois o nosso pastor oferece-nos robusta alegria, fazendo o nosso cálice transbordar.

Em terceiro lugar, porque o Senhor é o nosso pastor, temos bendita comunhão para a eternidade (Sl 23.6).

Não apenas nosso pastor está conosco, mas, também, coloca ao nosso lado dois escudos seguros: bondade e misericórdia, e isso, durante todos os dias da nossa vida.

Bondade é o que Deus nos dá e não merecemos, a sua graça. Misericórdia é o que nós merecemos, e Deus nãos nos dá, o seu juízo. Ladeados por bondade e misericórdia avançamos neste mundo, guardados e protegidos.

Ele o centro dos decretos divinos. Ele é o centro das Escrituras. Ele é o centro da história. Ele é o centro da eternidade. Ele é o centro do paraíso. Vivemos nele, com ele e para ele.

Porém, quando a carreira terminar, então, habitaremos na Casa do Senhor para todo o sempre. Aqui o Senhor está conosco; lá, nós estaremos com ele.

Sua presença será nossa alegria e nossa maior recompensa. O céu é a Casa do Pai. O céu é o nosso lar. Para lá caminhamos. Lá está a nossa pátria. Lá está o nosso tesouro. Lá está o nosso bom, grande e supremo pastor.

Ele o centro dos decretos divinos. Ele é o centro das Escrituras. Ele é o centro da história. Ele é o centro da eternidade. Ele é o centro do paraíso. Vivemos nele, com ele e para ele.

Jesus é a nossa segurança, a nossa provisão, a nossa paz, a nossa justiça, a nossa alegria, a nossa recompensa. Com ele estaremos para sempre e com ele reinaremos pelos séculos eternos!

Rev. Hernandes Dias Lopes

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén