Tag: biblia (Página 1 de 3)

Campanha termina sábado

Campanha termina sábado, com encontro no templo da CERV, às 19 horas, participe!

A campanha “Senhor, dá-me um coração novo” chega ao fim neste sábado, 31 de março.

Foram dias de batalha espiritual, nos quais todos foram convocados a jejuar, orar e estudar o livro de Hebreus.

Entenda como funciona nossa campanha

Essas práticas espirituais foram estabelecidas com o objetivo dos irmãos se consagrarem ao Senhor para receber Dele um novo coração.

A cada encontro, aos sábados, o Espírito Santo trouxe a comunidade ministrações de louvor e da Palavra de Deus, abençoadas.

A campanha termina sábado, até lá persevere em oração

Por meio da manifestação do poder do Espírito Santo pessoas foram libertas, restauradas e renovadas.

“Louvo a Deus por esta campanha, pois foi direcionada por Ele, para que seus filhos recebessem um novo coração. E a partir desse novo coração ter uma nova vida que demonstre a presença de Jesus”, afirma pastora Graça Pitzer.

Saiba mais sobre o coração novo

Se você não participou este ano, ore e abra seu coração para fazer parte dessa campanha, pois o maior beneficiado será você!

Para você que está firme, lembre-se, a campanha termina sábado. Até lá ainda há alguns dias de jejum, oração e estudo da Palavra, então, persevere!

Comunicação CERV

Da Reforma à reforma

Da Reforma à reforma nos convida a passear pela história do mundo até chegarmos ao importante fato da História da Igreja: a Reforma Protestante.

A seguir, veja alguns importantes acontecimentos da história:

1450 – Ano da  importante invenção do milênio passado: a criação da imprensa, por Gutenberg. A Bíblia foi o primeiro livro impresso;

1492 – Cristóvão Colombo chegava ao continente Americano. O próprio relata, em seu diário, ter sido guiado pelo Espírito Santo;

1497- Vasco da Gama chega as Índias (importante rota comercial da época);

1500 – Descobrimento do Brasil, por Álvares Cabral;

Todos esses fatos tiveram importante contribuição para a história. Entretanto, não foram capazes de retirar o homem das trevas interior.

Apenas em 1517, as trevas humanas começam a ser dissipadas por meio da Reforma Protestante, realizada por Martinho Lutero.

Antes de entrar nesse importante acontecimento é fundamental conhecer, um pouco, da pessoa de Lutero.

Martinho Lutero tinha uma vida dedicada a Deus. Era fiel cumpridor das suas palavras e da religião que seguia.

Ele andava conforme a luz que tinha sobre o Senhor e as Sagradas Escrituras.

O seu desejo de ser correto perante a Deus fazia com que se confessasse ao padre diariamente, por seis horas.

Em 1510, Lutero realizou um sonho: conhecer Roma. O motivo era o fato de lá estarem as relíquias cristãs e as imagens dos apóstolos.

Segundo a doutrina católica, estar perto desses bens sacros o aproximaria mais de Deus.

Ao retornar dessa viagem, mudou-se para a cidade de Winterberg, na Alemanha.

Nesse local, seus questionamentos a respeito da própria fé se intensificaram.

Dentre seus questionamentos estavam: o valor sacro das relíquias, orações e missas para os mortos, a compra de um local no céu, dentre outras doutrinas católicas.

Outra questão que rondava seu coração: por quê o papa não pregava o Evangelho?

Com todas essas questões no seu coração, Lutero formulou algumas teses e decidiu que o melhor dia para divulga-las seria no dia 31 de outubro de 1517.

A razão para tal escolha estaria na presença de vários cristãos,  que vindos de outras cidades, participariam, no dia 1º de novembro, das celebrações do feriado de todos os santos.

E assim, no dia 31 de outubro daquele ano, ele pregou suas 95 teses na porta da catedral de Winterberg.

Saiba mais sobre a Reforma Protestante

A partir desse acontecimento, há uma mudança na história da humanidade e da Igreja.

Ao observarmos a vida de Lutero podemos fazer um paralelo com a vida de outro homem de Deus: o apóstolo Paulo.

Antes de ser Paulo, Saulo era judeu zeloso, dedicado a sua religião e a Deus. Buscava obedecer ao Senhor conforme o entendimento que possuía da fé.

Assim como Lutero, Saulo teve um encontro marcante com Jesus.

O mestre foi ao encontro desses homens de formas diferentes, e os alcançou.

Ambos, foram alcançados pela Graça divina e justificado pela fé em Cristo Jesus:

“Pois não me envergonho das boas-novas a respeito de Cristo, que são o poder de Deus em ação para salvar todos os que creem, primeiro os judeus, e também os gentios.

As boas-novas revelam como opera a justiça de Deus, que, do começo ao fim, é algo que se dá pela fé. Como dizem as Escrituras: “O justo viverá pela fé” (Rm 1.16 e 17).

Por meio desses versículos, mais precisamente o dezessete, Lutero foi desperto pelo Espírito Santo para ter uma nova vida e promover a Reforma da Igreja.

Hoje, por meio dessa Graça redentora, o Espírito Santo deseja fazer uma reforma no coração dos filhos de Deus.

Muitas vezes, aparentemente, o exterior parece estar bem, mas no profundo do coração, tudo vai mal.

Hoje, o Senhor concede a você a oportunidade de ser reformado por Ele.

Não adiante encobrir o pecado, uma hora ele será manifesto, porque ele está dentro do coração.

É necessário retornar ao princípio, as bases da fé e da conversão:

“Portanto, uma vez que pela fé fomos declarados justos, temos paz com Deus por causa daquilo que Jesus Cristo, nosso Senhor, fez por nós.

Foi por meio da fé que Cristo nos concedeu esta graça que agora desfrutamos com segurança e alegria, pois temos a esperança de participar da glória de Deus” (Rm 5. 1 e 2).

Retornar a essa Graça recebida e  que fez (e faz) o ser humano desfrutar de uma vida nova e cheia de esperança.

Graça essa que faz  o homem experimentar aqui nesta Terra, da glória de Deus, da presença real do Senhor.

Assim como a Reforma Protestante mudou a vida de Martinho Lutero e dos rumos da Igreja, hoje, o Senhor deseja reformar sua vida para você ser uma bênção na história da Igreja moderna!

Ouça “Da Reforma à reforma” e seja transformado pelo Espírito Santo:

 

Comunicação CERV

A vontade de Deus, o leão de Madagascar e a phronesis de Cristo

SOBRE AS VONTADES

É muito comum que, sem pedirmos a ninguém, que sejamos forçados a vestir uma armadura ainda que ela não seja feita sob a nossa medida. Colocamos o capacete e este fica bambo quase caindo, o peitoral está bem largo e, de tão pesado, dói nossos ombros! Sem contar nas nossas pernas que parecem engessadas, dificultando nosso movimento de caminhar que deveria ser tão natural.

“E Saul vestiu a Davi de suas vestes, e pôs-lhe sobre a cabeça um capacete de bronze; e o vestiu de uma couraça. E Davi cingiu a espada sobre as suas vestes, e começou a andar; porém nunca o havia experimentado; então disse Davi a Saul: Não posso andar com isto, pois nunca o experimentei. E Davi tirou aquilo de sobre si” (1 Sm 17.38 e 39).

Infelizmente isso que aconteceu com Davi, acontece nos dias de hoje, mais do que possamos imaginar. As pessoas querem que sejamos o que eles querem.  Isso pode acontecer entre amigos que querem imprimir seus pensamentos e ações em nós ou em nosso relacionamento familiar quando os pais  querem escolher a nossa profissão.

Às vezes tentam nos moldar através das críticas, criticando a música que ouvimos, a comida que comemos, a roupa que vestimos, e se não comermos, ouvirmos e vestirmos, o que os outros querem, não estará bom. E tem gente que vai passar a vida inteira assim, sendo guiada pela opinião dos outros.

Mas tem aqueles que conhecem a “liberdade” e de repente resolvem ser o que eles querem ser. Já não ouvem conselhos, não aceitam opiniões. Tomam as rédeas da sua própria vida, ditam as regras, e ao contrário de antes, não vivem mais para satisfazer a vontade dos outros, mas a sua. Afinal, já  estão cansados de serem bombardeados desde pequenos com a pergunta: “O que você quer ser quando crescer?”

E esse dilema entre viver como a pessoa deseja ou viver como os outros desejam esta bem presente na sociedade que vivemos (e isso inclui a Igreja). As pessoas vivem uma crise de identidade, nunca se encontram torando-se insaciáveis. Não sabem o que são! Se não sabem, como serão felizes? Como terão propósito de vida?

Como então solucionar esse problema? Há uma terceira vontade que não vem dos homens. Aliás, é muito provável que vá contra a vontade humana, que é a vontade de Deus. Isso significa não ser o que os outros querem que você seja e muito menos o que você quer de si mesmo, mas o que Deus quer que você seja.

Jesus é o maior exemplo de como se tornar aquilo que Deus deseja. Além de ter deixado a sua própria vontade Ele também chamou os discípulos para viverem a vontade de Deus:

“E Jesus, andando junto ao mar da Galiléia, viu a dois irmãos, Simão, chamado Pedro, e André, seu irmão, os quais lançavam as redes ao mar, porque eram pescadores; E disse-lhes: Vinde após mim, e eu vos farei pescadores de homens” (Mt 4.18, 19).

“Vinde após mim”, “sigam-me”, foi o que o Senhor disse (quem sabe não é o mesmo que o Senhor está dizendo a você). Pedro e André estavam diante da vontade de Deus para a vida deles: “farei de vocês pescadores de homens”

SOBRE QUEM NOS TORNAMOS

A phronesis de Cristo

“De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus,

Que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus, Mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens;

E, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz.

Por isso, também Deus o exaltou soberanamente, e lhe deu um nome que é sobre todo o nome;

Para que ao nome de Jesus se dobre todo o joelho dos que estão nos céus, e na terra, e debaixo da terra,

E toda a língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor, para glória de Deus Pai” (Fp 2.5-11).

Jesus, para fazer a vontade de Deus, teve que se tornar homem e essa é uma convocação que o apóstolo Paulo faz no versículo cinco, que é a de imitar o homem Jesus de Nazaré.

Então somos chamados a ter o mesmo sentimento/atitude de Cristo Jesus, mas definitivamente sentimento e atitude não são sinônimos, são palavras com significados diferentes. Isso acontece devido a palavra grega phronesis não ter uma correspondente em português.

O que seria a phronesis? É o ato bom, consciente de que esse ato é bom e é desejado, eu quero realizar esse ato e tenho consciência disso. É o casamento da ação com a vontade e a consciência, de que nada é melhor do realizar um ato.

Se fosse só um sentimento poderia ficar no campo do desejo e nunca ser realizado (tem gente que sente pena, sente compaixão, sente admiração por Cristo). Se fosse só uma atitude poderia ser realizado forçosamente, não querendo fazê-lo.

Precisamos desejar ser o que Deus quer que sejamos!

Entenda quem você é em Jesus Cristo

 O  leão de Madagascar ou o homem miserável

“Porque bem sabemos que a lei é espiritual; mas eu sou carnal, vendido sob o pecado.

Porque o que faço não o aprovo; pois o que quero isso não faço, mas o que aborreço isso faço.

E, se faço o que não quero, consinto com a lei, que é boa.
De maneira que agora já não sou eu que faço isto, mas o pecado que habita em mim.

Porque eu sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita bem algum; e com efeito o querer está em mim, mas não consigo realizar o bem.

Porque não faço o bem que quero, mas o mal que não quero esse faço.

Ora, se eu faço o que não quero, já o não faço eu, mas o pecado que habita em mim. 

Acho então esta lei em mim, que, quando quero fazer o bem, o mal está comigo. Porque, segundo o homem interior, tenho prazer na lei de Deus;

Mas vejo nos meus membros outra lei, que batalha contra a lei do meu entendimento, e me prende debaixo da lei do pecado que está nos meus membros.

Miserável homem que eu sou! quem me livrará do corpo desta morte?
Dou graças a Deus por Jesus Cristo nosso Senhor.

Assim que eu mesmo com o entendimento sirvo à lei de Deus, mas com a carne à lei do pecado” (Rm 7.14-25)

Para compreender o que Paulo escreve aos Romanos gostaria de trazer o exemplo do personagem Alex, o  leão do filme Madagascar. Ele era um animal de zoológico, que não tinha as mesmas ações de um animal selvagem, era um leão “domesticado”.

Ao chegar em Madagascar, em meio a selva, seu habitat natural, todos os seus desejos são despertos. Há uma cena que mostra todos os seus desejos selvagens vindo a tona, quando seu amigo, a zebra chamada Martin, repete no seu ouvido várias vezes: quem é o gatão? A consequência desse estimulo foi Alex fazer o que não queria: atacar seus melhores amigos.

O homem miserável é o contrário de phronesis. É você querer fazer o bem, mas faz o mal. Você não consegue realizar o bem que interiormente você deseja. Não há unidade entre o seu desejo de realizar o bem e as suas ações.

Nós nunca experimentaremos a phronesis se não houver conversão. Precisamos colocar nossa cabeça aos pés de Cristo sujeitando nossa mente, consciência a Ele.

Qual foi a phronesis de Cristo?

Voltando ao texto de Filipenses observamos quatro formas:

Forma de Deus, forma de servo, forma de homem e forma de Senhor.

            Deus ——————————— homem

            Senhor —————————— servo

Cristo que é Deus se esvaziou de si mesmo se tornando homem para ser servo do Senhor (Is 52.13 – 53.12). Só homens podem ser servos de Deus, mas nem todos os homens são servos de Deus

RESPONDENDO A JESUS

É impossível separar Jesus da morte na Cruz do Calvário.

É impossível retirar a renuncia da própria vontade no jardim do Getsêmani da biografia de Cristo.

Esse Jesus que sofreu e morreu por nós, que no passado disse aos discípulos: “Sigam-me” ainda nos dias de hoje te chama a ser pescador de homens, ou seja, servo do Senhor com consciência (visão nova de vida), desejando (novos valores de vida) e agindo (novas ações na vida).

“Sigam-me” é um chamado a uma vida de ação em meio a uma geração estagnada, parada e cansada mesmo sem fazer nada. O Evangelho é ação: “vinde após mim” e “ide”.

Saiba como viver a vontade de Deus

O “Sigam-me” de Jesus é um chamado a um relacionamento com Ele, é ter uma vida com Ele. Significa: ser cristão não é somente ser bom, mas é ter um relacionamento com Cristo, é ser reconciliado com Deus. É estar em Cristo, nova criatura.

Quer conhecer Jesus? Entre para dentro da Bíblia até ela entrar em você, ore mais!

“Sigam-me” e eu vos “farei”. Cristo nos chama para nos transformar. Assumir um compromisso com a santidade e ser transformado pelo Espírito Santo.

“Sigam-me” e eu vos “farei” é um discurso de continuidade, perseverança. Não parem, não desistam, porque Eu farei! Jesus nos chama a firmeza do nosso chamado.

E é para isso que você tem Jesus!

 Matheus Gouvêa

Aprenda sobre ‘A vontade de Deus, o leão de Madagascar e a phronesis de Cristo’ ligue: (31) 3451-5956

É chegado o Reino de Deus

É chegado o Reino de Deus! Assim iniciou Jesus o seu ministério, após 40 dias e 40 noites em jejum no deserto.

O mestre conclamava as pessoas a se arrependerem por que o Reino de Deus estava próximo.

E essa proximidade se dava por meio da evangelização que Jesus e seus discípulos faziam.

Jesus anunciou: “É chegado o Reino de Deus” e deixou essa mesma missão aos discípulos e a igreja de hoje:

“Jesus, aproximando-se, falou-lhes, dizendo: Toda autoridade me foi dada no céu e na terra. Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo; ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado. E eis que estou convosco todos os dias até a consumação do século” (Mt 28.18, 19 e 20).

“Toda autoridade me foi dada no céu e na terra” 

A Palavra afirma que Jesus é o nome que está acima de todo nome (Fp 2.9-11). Ele é superior aos líderes, reis e príncipes da terra.

Ele é o príncipe da paz (Is 9.6) e na autoridade do seu nome pessoas são curadas e libertas de todo mal.

E o mesmo Jesus que realizou obras maravilhosas descritas nos Evangelhos é o mesmo que salva, liberta e cura nos dias de hoje, pois Ele não muda.

Por isso, no nome de Jesus, os discípulos de hoje, podem salvar, libertar e curar as pessoas.

“Ide, portanto, e fazei discípulos de todas as nações”

O ide é para todos os discípulos de Jesus. E em meio aos seguidores de Cristo há dois tipos de pessoas:

1) A multidão – Ao analisar os Evangelhos veremos que as multidões seguiam Jesus e Ele as curou, libertou e alimentou.

Hoje, há multidões que seguem a Cristo, mas com o único objetivo de receberem uma bênção ou milagre.

Esse tipo de pessoa não quer ser um verdadeiro discípulo de Jesus, pois para ser discípulo é necessário fazer discípulos e isso não é fácil.

Durante os três anos e meio que esteve na terra Jesus escolheu 12 homens para caminharem com Ele. E desses um o negou e outro o traiu.

Portanto, fazer discípulos não é uma tarefa fácil, pois é necessário dedicar tempo e muita oração.

Jesus não disse: Ide e fazei multidões, mas sim Ide e fazei discípulos.

É necessário fazer discípulos nos bairros, cidades, estados e países onde se encontram os verdadeiros discípulos de Jesus.

E só quem tem um coração missionário compreende a importância de ser e fazer discípulos.

2) Os discípulos – Jesus escolheu homens para caminhar ombro a ombro com Ele. E não apenas a caminhar, mas aprender e ensinar.

Em outras palavras: fazer discípulos.

Jesus não teve apenas os 12. Após seu discurso descrito no Evangelho de João, muitos o deixaram ficando apenas os doze.

O mestre vendo a cena perguntou aos demais: vocês também não vão me deixar? Ao que é respondido por Pedro: “Para onde iremos,  Senhor, se só tu tens palavras de vida eterna?”.

O verdadeiro seguidor de Jesus se torna um discípulo e faz discípulos, mesmo com as lutas e perseguições não abandona o mestre, pois sabe que sua vida só tem sentido em Jesus.

Saiba como ter um coração missionário

“Batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo”

O resultado do discipulado é o batismo. A pessoa ao se converter e compreender o que significa essa conversão tem o desejo de testemunhar isso publicamente se batizando.

O batismo nas águas é um ato no qual a pessoa declara que já não vive para satisfazer a si mesmo e ao mundo, mas que é uma nova pessoa em Cristo e vive para agradá-lo.

“Ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado”

O que Jesus tem ensinado e deseja que seus discípulos ensinem está escrito em Mateus 22. 37, 38 e 39:

“Respondeu-lhe Jesus: Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todo o teu entendimento. Esse é o grande e primeiro mandamento. O segundo, semelhante a este é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo”.

Quem ama, dá a sua vida pelo próximo. E foi isso que Jesus fez, deu sua vida por toda a humanidade, por amor.

Cada seguidor de Jesus pode fazer isso, dedicando sua vida a pregar o Evangelho por amor ao próximo. Seja onde trabalha, estuda, mora ou em outras cidades, estados e nações.

Como deve ser uma igreja comprometida com missões

“Eis que estou convosco todos os dias até a consumação do século”

Se Jesus é por nós quem será contra nós? Ainda que passemos pelo vale da sombra da morte não temeremos mal algum porque Ele está presente.

Não existe situação na qual o Senhor não se faça presente. Se permanecermos com Ele, Ele permanecerá conosco.

Mesmo que haja a perseguição, as lutas e os problemas, Jesus é com seus amigos e servos para ajudá-los a viver e pregar o Evangelho.

Ouça a mensagem “É chegado o Reino de Deus” e permita que o Espírito Santo mostre se você tem levado esse Reino a todas as pessoas:

Comunicação CERV

Saiba mais sobre o trabalho missionário realizado pela CERV:
(31) 3451-5956 ou envie um e-mail para: contato@restaurandovidascerv.com.br

Matrículas do Seminário

As matrículas do Seminário Teológico Restaurando Vidas (STRV) encerram-se domingo (11)

Se você deseja estudar teologia em 2018 e servir o Reino de Deus, matricule-se no Seminário Teológico Restaurando Vidas (STRV).

Conheça o nosso curso teológico

As matrículas para o primeiro semestre de 2018 encerram-se no próximo domingo, 11 de fevereiro, às 21 horas.

Para saber a documentação necessária e os valores para investir no seu chamado envie um e-mail para: seminarioteologico@restaurandovidascerv.com.br

Você pode agendar sua matrícula pelos telefones: (31)3504-1341 / 99309-6957 (whatsapp), fale com Kátia Brito.

As aulas deste semestre iniciam-se no dia 19 de fevereiro às 19:30 horas, na CERV (que fica à Rua Érico Veríssimo, 1167- Santa Mônica – BH/MG).

Não se esqueça! As matrículas do seminário encerram-se dia 11 de fevereiro, às 22 horas!

Comunicação CERV

O culto doméstico

O culto doméstico é uma prática que tem sido negligenciada por muitas famílias evangélicas.

Porém, esta escolha vai contra a Palavra de Deus que afirma a importância dessa prática para as famílias.

Em 2 Timóteo, capítulo 3, dos versículos 14 ao 17, encontramos uma evidência de que o jovem pastor Timóteo recebeu em casa o ensino da Palavra:

“Você, porém, deve permanecer fiel àquilo que lhe foi ensinado. Sabe que é a verdade, pois conhece aqueles de quem aprendeu.

 Desde a infância lhe foram ensinadas as Sagradas Escrituras, que lhe deram sabedoria para receber a salvação que vem pela fé em Cristo Jesus.

Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para nos ensinar o que é verdadeiro e para nos fazer perceber o que não está em ordem em nossa vida. Ela nos corrige quando erramos e nos ensina a fazer o que é certo.

Deus a usa para preparar e capacitar seu povo para toda boa obra”

A Palavra afirma que Timóteo, desde criança recebeu o ensino das Sagradas Escrituras da mãe e da avó.

E isto nos revela que o lar é o local onde a Palavra de Deus deve ser ensinada. E esse ensino acontece por meio do culto doméstico.

Porém, muitos não têm inserido essa prática espiritual em seus lares.

Alguns por não terem recebido este ensino e outros porque pensam que o culto deve ser celebrado apenas quando os filhos são pequenos.

Em Deuteronômio, capítulo 6, dos versículos 4 ao 7, Deus decreta uma ordem aos seus filhos:

“Ouça, ó Israel! O Senhor, nosso Deus, o Senhor é único.

Ame o Senhor, seu Deus, de todo o seu coração, de toda a sua alma e de toda a sua força.

Guarde sempre no coração as palavras que hoje eu lhe dou.

Repita-as com frequência a seus filhos. Converse a respeito delas quando estiver em casa e quando estiver caminhando, quando se deitar e quando se levantar.”

O culto doméstico está ficando extinto

Dentre estas ordens estava a de ensinar os filhos em casa sobre Deus e suas leis (Bíblia).

O lar é a primeira escola, o lugar onde a família tem os primeiros ensinos sobre a Palavra de Deus.

E é a presença desta Palavra, guardada e alimentada,  no coração, que gera vida para a família:

“Meu filho, preste atenção ao que digo; ouça bem minhas palavras.

Não as perca de vista; mantenha-as no fundo do coração.

Pois elas dão vida a quem as encontra e saúde a todo o corpo.

Acima de todas as coisas, guarde seu coração, pois ele dirige o rumo de sua vida” (Pv 4.20-23).

Seja jovens casais sem filhos, casais mais velhos que os filhos já não estão mais em casa ou famílias com jovens e adolescentes.

Não importa, todos devem realizar o culto doméstico para que a vida de Deus seja presente e a vida espiritual da família seja abençoada.

Portanto, se você não tem feito o culto doméstico, faça conserto com Deus e comece hoje mesmo a implantar essa adoração no seu lar.

Ouça a mensagem ‘O Culto Doméstico’ e permita que o Espírito Santo revele ao seu coração esta Palavra:

Comunicação CERV

De volta ao Evangelho

O evangelho é a melhor notícia que já ecoou nos ouvidos da história. É a boa nova da salvação vinda de Deus a pecadores perdidos. É o transbordamento do amor divino aos filhos da ira. É a graça sem par a pessoas indignas. É a misericórdia estendida a indivíduos arruinados. O evangelho é o novo e vivo caminho que Deus abriu desde o céu para o céu. Esse não é o caminho das obras, mas da graça. Não é o caminho do mérito, mas da oferta gratuita. Não é o caminho da religião, mas da cruz. A salvação é uma obra monergística de Deus, trazendo libertação aos cativos, redenção aos escravos e vida aos mortos.

Com respeito ao evangelho, precisamos estar alertas sobre alguns perigos. Tanto no passado como no presente, ataques frontais foram e ainda são feitos para esvaziar o evangelho, distorcer o evangelho e substituir o evangelho por outro evangelho, que em essência, não tem nada de evangelho. Quais são esses perigos?

Saiba mais sobre evangelização e missões

Em primeiro lugar, o perigo de substituir o evangelho da graça pelo evangelho das obras. O mundo odeia o evangelho, porque este é um golpe fatal em seu orgulho. O evangelho anula completamente qualquer possibilidade do homem vangloriar-se. Reduz o homem à sua condição de completo desamparo. Mostra sua ruína absoluta, sua depravação total, sua escravidão ao diabo, ao mundo e à carne, sua corrupção moral e sua morte espiritual. A tentativa do homem chegar-se a Deus pelo caminho das obras é tão impossível como tentar construir uma torre até aos céus.

O apóstolo Paulo diz aos judaizantes que estavam perturbando a igreja e pervertendo o evangelho, induzindo as pessoas a praticarem as obras da lei para serem salvas, que isso é um outro evangelho, um evangelho falso, que desemboca na ruína e na perdição.

Em segundo lugar, o perigo de substituir o evangelho da cruz pelo evangelho da prosperidade. Prolifera em nossos dias os pregadores da conveniência, os embaixadores do lucro em nome da fé. Multiplicam-se neste canteiro fértil da ganância, homens inescrupulosos que mercadejam a palavra de Deus, fazendo da igreja uma empresa, do púlpito um balcão, do evangelho um produto híbrido, do templo uma praça de negócios e dos crentes consumidores.

O vetor desses obreiros da iniquidade é o lucro. Pregam para agradar. Pregam para atrair as multidões com uma oferta de riqueza na terra e não de um tesouro no céu. Torcem as Escrituras, manipulam os ouvintes, enganam os incautos, para se locupletarem. Sonegam ao povo a mensagem da cruz, a oferta da graça, a mensagem da reconciliação por meio do sangue de Cristo. Embora esses pregadores consigam popularidade estão desprovidos da verdade. Embora reúnam multidões para ouvi-los, não oferecem aos famintos o Pão do céu. Embora, se vangloriem de suas robustas riquezas acumuladas na terra, são miseravelmente pobres na avaliação do céu.

Em terceiro lugar, o perigo de se pregar o evangelho sem o poder do Espírito Santo. Se a pregação do falso evangelho das obras e da prosperidade é um negação do genuíno evangelho, a pregação do verdadeiro evangelho sem o poder do Espírito é uma conspiração contra o evangelho. O evangelho é o poder de Deus para a salvação de todo o que crê. Nele se manifesta a justiça de Deus. Não podemos pregá-lo sem a virtude do Espírito Santo.

O pregador precisa ser um vaso limpo antes de ser um canal de bênção. Precisa viver com Deus antes de falar em nome de Deus. O pregador precisa ser cheio do Espírito antes de ser usado pelo Espírito. Se a pregação do evangelho é lógica em fogo, a mensagem do evangelho precisa queimar no coração do pregador antes de inflamar os ouvintes. Precisamos urgentemente de um reavivamento nos púlpitos. Precisamos voltar ao evangelho!

Rev. Hernandes Dias Lopes

Aprenda mais sobre o tema “De volta ao Evangelho”, participe do Culto de Missões realizado todo primeiro domingo do mês, às 19h30, na CERV (Rua Érico Veríssimo, 1167 – Santa Mônica).
Mais informações: (31) 3451-5956 ou contato@restaurandovidascerv.com.br

Nova vida em Cristo

No último domingo de 2017 foi realizado o batismo nas águas, selando a nova vida em Cristo dos novos membros da CERV

O ano de 2017, na Comunidade, foi encerrado com a celebração da nova vida em Cristo, por meio do batismo, dos irmãos: William e Jociane.

Com a presença de vários irmãos e familiares celebrou-se um culto de gratidão a Deus.

A Palavra do Senhor foi ministrada pelo pastor Rafael Pitzer  que apresentou três pontos importantes sobre o batismo:

1) Se Jesus morreu nós também devemos morrer com Ele (Rm 6.6 e 7)

O batismo demonstra que o velho homem está morto e está vivendo uma nova vida, não sendo mais escravo do pecado.

Assim como Cristo morreu na cruz, o velho homem também deve crucificar o seu ego, a sua velha natureza e demonstrar novidade de vida.

Portanto, o batismo cela está morte e o renascimento para uma nova vida.

2) Se Jesus foi sepultado, nós também fomos sepultados com Ele (Rm 6.3 e 4)

Se Cristo foi sepultado, o homem é sepultado por meio do batismo.

Para compreender melhor podemos comparar com a morte natural.

Antes do corpo ser sepultado, o homem morre e tem seu corpo preparado.

Então chega-se ao último estágio da morte: o sepultamento.

Da mesma forma, o batismo é o último estágio da morte do velho homem, simboliza o sepultamento da velha vida.

Entenda a importância de ser batizado

3) Se Jesus ressuscitou, após a morte, nós também seremos ressuscitados para uma nova vida (Rm 6.8-11; 2Co 5.17)

A partir do batismo o homem é considerado morto para o pecado e vivo para Cristo Jesus.

Através do batismo é celebrada a nova vida em Cristo, uma vida que viverá para a glória de Deus.

Assim o pastor encerrou sua pregação convidando todos a viver uma vida nova para o novo ano que se iniciaria.

Logo em seguida, nossos irmãos foram batizados nas águas, como testemunho público de uma nova vida.

Já no período da noite, no culto de Gratidão pelo Ano Novo, William e Jociane foram recebidos como membros da Comunidade Evangélica Restaurando Vidas (CERV).

Cada um pode testemunhar como era suas vidas antes de conhecerem a Cristo e a transformação pela qual passaram.

Este momento foi encerrado com uma oração pela vida destes irmãos que louvaram a Deus pela nova vida em Cristo.

Confira as fotos do batismo

Comunicação CERV

Saiba mais sobre como ter Uma nova vida em Cristo, participe da Escola Bíblica Dominical, aos domingos, às 9 horas na CERV (Rua Érico Veríssimo, 1167 – Santa Mônica).
Mais informações ligue: (31) 3451-5956 ou envie um e-mail para: contato@restaurandovidascerv.com.br

 

 

Aprendi

Aprendi… e, ao olhar para o ano que se passou, agradeço. Pois vivi experiências que me marcaram e agregaram valores inesquecíveis…

Aprendi que esperar é difícil quando se quer ter o controle de tudo. Mas quando se entrega tudo nas mãos de Deus fica bem mais fácil.

Aprendi que orar é mais do que remédio de última hora, mas de todas as horas.

Aprendi que na Palavra de Deus encontro mais respostas do que minha mente humana consegue formular.

Aprendi que ninguém precisa conhecer e se relacionar com Cristo pela dor. Mas que, ainda assim, é nesse momento que muitos O têm conhecido.

Aprendi que as pessoas gostam de julgar pela aparência. Mas, quando se tem a convicção de quem se é em Cristo, isso não faz diferença.

Aprendi que diploma e carreira são importantes.

Porém, há situações em que eles não farão diferença, mas sim o Cristo que carrego no coração.

Saiba como ser perseverante em 2018

Aprendi que as pessoas sempre questionam as boas ações.

Isso acontece por causa do curso deste mundo. Então, elas estão ficando desacostumadas a ouvir:

“Bom dia!”, “Obrigada” ou “Deixe-me te ajudar!”.

Aprendi que há pessoas que se importam com as suas lutas e dificuldades.

E elas têm sempre a mão estendida, o afago do abraço e palavras de sabedoria.

Aprendi que muitas vezes não serão as suas palavras a consolar alguém, mas a sua presença.

Aprendi que quando faltar palavras, segurar a mão de alguém significa: “Ei, eu estou aqui, conte comigo!”.

Aprendi que todo dia tem muita gente morrendo.

E, ao mesmo tempo, tem muita gente nascendo. E isso torna a criação de Deus ainda mais bela e misteriosa.

Aprendi que quando se esgotam as ações humanas, é aí que Deus entra na história e faz o impossível acontecer.

Aprendi que é preciso acreditar até o fim, mesmo que o fim não aconteça conforme as minhas orações.

Faça metas para 2018

Aprendi que quando se está longe de casa o que mais desejamos é estar lá. Não pela estrutura física, mas pelo aconchego e amor das pessoas que nela moram.

Aprendi que não vale a pena perder tempo com raiva, mágoa e com o passado.

A vida passa tão rápido e o tempo que se perde com esses sentimentos poderia ser investido em perdão, amor e em viver um hoje diferente.

Aprendi que uma lágrima no fim da vida não é só tristeza pela partida, mas a certeza de missão cumprida e carreira percorrida.

Aprendi que nenhum dinheiro nesta terra se compara a alegria de estar no lugar certo e fazendo exatamente o que Deus queria.

Aprendi que amar vai além de dizer: “Eu te amo!”.

Amar é verbo de ação, é presença, é negar a si mesmo.

É muitas vezes ir além dos limites físicos e ainda assim ficar contente porque o outro está bem e feliz.

Aprendi que juntando todos os “aprendis” escritos aqui, mais outros que não couberam, poderia resumir na seguinte sabedoria:

Só vale a pena viver e aprender porque Jesus vive em mim!

Saiba mais sobre os assuntos tratados no texto “Aprendi”, participe dos nossos cultos!
Mais informações ligue: (31) 3451-5956 ou envie um e-mail para: contato@restaurandovidascerv.com.br

Kátia Brito

Perseverança para 2018

Perseverança para 2018 nos propõe uma reflexão bíblica de como podemos permanecer crendo no Senhor e nas suas promessas para o novo ano!

Talvez você esteja frustrado por achar que Deus está demorando em responder à sua oração, mas saiba que Ele está interessado no desenvolvimento da fé e da perseverança de seu caráter.

Veja a passagem de Romanos 15.4:

Pois tudo o que foi escrito no passado foi escrito para nos ensinar, de forma que, por meio da perseverança e do bom ânimo procedentes das Escrituras, mantenhamos a nossa esperança

Nossa esperança em Jesus não pode estar limitada ao aqui e agora, pois, se o nosso foco de esperança se limita apenas ao que vemos aqui, ou naquilo que podemos colocar em nosso bolso, como diz a Palavra, somos os mais infelizes de todos os homens.

Este ano foi um ano difícil para o Brasil, um tempo de crise, desemprego, as notícias não são boas; por isso precisamos focar na esperança de que tudo será diferente e melhor no novo ano.

Saiba como buscar um ano realmente novo

A Bíblia é o livro da esperança, é a fonte da esperança. Já o nosso maior inimigo é a ignorância, tanto que a Escritura registra:

O meu povo está sendo destruído porque lhe falta o conhecimento (Oseias 4.6).

E a falta desse conhecimento pode ser também o da esperança. A Bíblia é a Palavra do Senhor, e a Palavra do Senhor se resume em esperança.

Entenda o valor inestimável das Sagradas Escrituras

Fé e esperança têm que ter o mesmo peso, porque é a esperança que alimenta a fé.

Do momento da promessa ao tempo do cumprimento da promessa precisamos ter perseverança e encher o coração de esperança.

A perseverança está diretamente ligada à força que somos capazes de alcançar quando temos raízes consolidadas na Palavra.

Quando somos cristãos que realmente disseminam as boas novas do Evangelho, com testemunho singelo, regado de amor, não abalados facilmente, mas produzindo frutos para a eternidade.

Dessa forma alcançaremos, juntos, de joelhos no chão, um 2018 cheio de esperança e fé.

“Sede fortes, e revigore-se o vosso coração, vós todos que esperais no Senhor” (Salmo 31.24).

Pr. Márcio Valadão

Saiba mais sobre ‘Perseverança para 2018’ participe do nosso primeiro culto de 2018. A celebração acontecerá na terça, às 19:30, na CERV (fica à Rua Érico Veríssimo, 1167- Santa Mônica). Mais informações ligue: (31) 3451-5956 ou envie um e-mail para: contato@restaurandovidascerv.com.br

Página 1 de 3

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén