E Jesus? perdido na história. Se alguém perguntasse se Jesus está próximo de você, qual seria sua resposta? ‘Sim, somos íntimos!’ ou ‘não, faz tempo que nem sei onde deixei Jesus’.

 

Entretanto, o triste é que muitos afirmam que estão em comunhão com Cristo baseadas na presença em cultos, atividades e eventos da igreja. Porém, isso não é garantia de relacionamento e intimidade com Deus.

 

A Bíblia relata que Maria, José e Jesus, foram celebrar a páscoa indo ao Templo. Após apresentarem seus sacrifícios retornaram para casa, mas no caminho de três dias perceberam que Jesus não estava com eles.

 

“Ora, todos os anos iam seus pais a Jerusalém à festa da páscoa; E, tendo ele já doze anos, subiram a Jerusalém, segundo o costume do dia da festa.
 
 
E, regressando eles, terminados aqueles dias, ficou o menino Jesus em Jerusalém, e não o soube José, nem sua mãe.
 
 
Pensando, porém, eles que viria de companhia pelo caminho, andaram caminho de um dia, e procuravam-no entre os parentes e conhecidos;
 
E, como o não encontrassem, voltaram a Jerusalém em busca dele.
 
E aconteceu que, passados três dias, o acharam no templo, assentado no meio dos doutores, ouvindo-os, e interrogando-os.
 
 
E todos os que o ouviam admiravam a sua inteligência e respostas.
 
 
E quando o viram, maravilharam-se, e disse-lhe sua mãe: Filho, por que fizeste assim para conosco? Eis que teu pai e eu ansiosos te procurávamos.
 
 
E ele lhes disse: Por que é que me procuráveis? Não sabeis que me convém tratar dos negócios de meu Pai?
 
E eles não compreenderam as palavras que lhes dizia.
 
E desceu com eles, e foi para Nazaré, e era-lhes sujeito. E sua mãe guardava no seu coração todas estas coisas.
 
 
E crescia Jesus em sabedoria, e em estatura, e em graça para com Deus e os homens (Lucas 2.41-52)”.
 
Como os pais de Jesus, muitos têm o perdido por causa de escolhas que vão contra a Palavra de Deus. Estão sinceramente enganados pensando que a presença na igreja faz delas intimas de Jesus, mal sabem que estão mais longe do que nunca!
Não são os atos de religiosidade que conduz o homem a Deus, mas sim o relacionamento estabelecido com Ele, no coração. Veja a vida dos fariseus: participavam das celebrações, sacrifícios, festas, oravam, dizimava e até ensinavam as Leis, entretanto seus corações estavam longe do Senhor.
A comunhão com o Corpo de Cristo faz parte do crescimento espiritual, mas não é garantia de intimidade com Deus. Intimidade é construída na intimidade, só a pessoa e Deus. O ir a igreja é um resultado desse relacionamento.
 Muitas pessoas iniciam bem sua trajetória ao lado de Jesus, têm intimidade com Ele, mas, no meio do caminho vão permitindo o engano entrar no coração e o que não era normal, passa a ser normal. Quando alguém diz: “Ah! isso não tem nada a ver!”, pode saber que o engano já está alojado no coração.

 E Jesus? perdido na história.

 Jesus ficou para trás e a pessoa continua no caminho do pecado, longe, distante e com os lábios permanece afirmando: “Jesus está comigo! Eu sou de Jesus!
Será que é mesmo?  Leia o que Jesus declarou acerca da igreja de Laodicéia:
“E ao anjo da igreja de Laodicéia escreve: Isto diz o Amém, a testemunha fiel e verdadeira, o princípio da criação de Deus:
Conheço as tuas obras, que nem és frio nem quente; quem dera foras frio ou quente!
Assim, porque és morno, e não és frio nem quente, vomitar-te-ei da minha boca.
Como dizes: Rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta; e não sabes que és um desgraçado, e miserável, e pobre, e cego, e nu;
Aconselho-te que de mim compres ouro provado no fogo, para que te enriqueças; e roupas brancas, para que te vistas, e não apareça a vergonha da tua nudez; e que unjas os teus olhos com colírio, para que vejas.
Eu repreendo e castigo a todos quantos amo; sê pois zeloso, e arrepende-te.
Eis que estou à porta, e bato; se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele comigo.
Ao que vencer lhe concederei que se assente comigo no meu trono; assim como eu venci, e me assentei com meu Pai no seu trono.
Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas” (Apocalipse 3.14-22). 
 
 
 No texto bíblico, Jesus acusa a Igreja de não ser quente, nem fria e que por ser morna o seu desejo era de  vomitá-la. Em outras palavras: é melhor que viva logo no mundo do que permanecer dentro da igreja vivendo de aparência!
 
Jesus não está interessado em ativismo, de fazer, fazer e fazer. Ele está interessado no ser, ser e ser. O coração, o que está dentro dele é que interessa o Senhor.
E Jesus? perdido na história.
Perdido na história de muitos que nominalmente se declaram crentes, mas não o são. Vivem de aparência, vivem no engano e com isso a história está paralisada, não há progressos.
No texto acima, de Apocalipse, o Senhor aconselha que as pessoas deem ouvidos as suas palavras, a correção, para terem mudança de vida. A saírem da condição de morno para ser quente.
A pessoa que é quente é cheia da presença do Espírito Santo e vive um relacionamento de intimidade com Jesus. Vive com Ele e para Ele fora do culto.
Ouça a mensagem ‘E Jesus? perdido na história’ e pense sobre como está seu relacionamento com o Senhor:

 

Comunicação CERV