Tag: amor (Página 1 de 3)

Uma vida missionária

Foto: arquivo pessoal

Uma vida missionária, dedicada a serviço do Reino de Deus. Assim tem sido a vida do casal Paulo Roberto Resende e Maria das Graças, missionários de Cristo.

Foram convocados pelo Senhor, ainda jovens, recém-casados, a servirem a Deus numa tribo indígena no Amazonas.

Venderam tudo o que possuíam e renunciaram ao seus sonhos para viver os sonhos de Deus.

Antes de viajarem, a irmã Maria das Graças descobriu que estava grávida e ainda recebeu a notícia de que sua mãe estava enferma.

Sob muitas críticas e palavras negativas, ela escolheu permanecer firme no chamado de Deus e seguiu rumo a missão que Ele tinha para ela e Paulo Roberto.

Acompanhados de duas irmãs, Paula e Marina, viajaram para o Amazonas e lá viveram, quase sete anos, a serviço do Reino.

O primeiro filho do casal, nasceu numa madrugada, na casa que moravam na tribo.

O parto foi realizado por  Paulo Roberto e o bebê, batizado com o nome de Eliatã, nasceu com perfeita saúde, contrariando todas as expectativas negativas que haviam a respeito da criança.

No período que viveram em missões, com os indígenas e ribeirinhos, enfrentaram várias batalhas.

Mas, para a glória de Deus, obtiveram vitórias sobre escassez, doenças e dificuldades.

Entenda a importância de viver para o Reino e pregar o Reino de Deus a toda criatura

Porém, antes de viverem uma vida missionária, foi necessário acontecer transformações individuais.

Maria das Graças, antes de conhecer Paulo já era convertida a Jesus.

Já o  missionário Paulo Roberto estava longe do Senhor, vivendo do crime e tráfico de drogas.

Seu antigo nome era Paulinho Bonfim, como fora apelidado pela polícia militar e imprensa de Belo Horizonte.

Foto: divulgação

Ainda jovem foi resgatado por Jesus Cristo da sua antiga forma de viver e desde então, o seguinte versículo, tem feito parte da sua trajetória cristã:

Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo” (2 Co 5.17).

 

Em maio deste ano celebra mais de 50 anos de conversão e serviço à obra missionária.

Hoje, Paulo Roberto conta suas experiências como missionário atuante no Amazonas, na Itália e em outros lugares do mundo.

Já pregou em várias igrejas brasileiras e em mais de 20 países em todo o mundo.

Nesta mensagem, ele e sua esposa Maria das Graças compartilham a Palavra de Deus e diversos testemunhos de fé e amor à missões.

Conheça mais sobre a história do missionário Paulo Roberto

 Ouça o testemunho ‘Uma vida missionária’ e se inspire na história real de um casal que ama Jesus e as almas:

 

 ‘Uma vida missionária’ Parte 1:
‘Uma vida missionária’ parte 2:

 

Comunicação CERV

Uma amizade perigosa

Infiéis, não compreendeis que a amizade do mundo é inimiga de Deus? Aquele, pois, que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus” (Tg 4.4).

O mundo, kosmos, aqui, não é o mundo físico, geográfico ou habitado pelo homens, mas um sistema de valores que está em aberta oposição a Deus e à sua palavra.

Não se trata de algo material, mas espiritual. Não se refere à criação, mas à cosmovisão que conspira contra os preceitos de Deus.

É uma maneira ver a vida, a família, a sociedade, a igreja, o dinheiro, o sexo, os prazeres, as oportunidades, o tempo e a eternidade deixando de lado a realidade de Deus e de sua Palavra.

Ser amigo desse sistema é um ato de infidelidade a Deus. É como um adultério espiritual.

Deus firmou um pacto conosco, onde somos o seu povo e ele é o nosso Deus. Estamos numa relação de aliança com ele. Devemos a ele fidelidade e obediência.

Portanto, ser amigo do mundo, amar o mundo e conformar-se com o mundo, é virar as costas para Deus, repudiá-lo e ser infiel a ele.

Consequentemente, a amizade do mundo é inimiga de Deus. Não dá para ser amigo de Deus e do mundo ao mesmo tempo.

É impossível viver enamorado do mundo e ter comunhão com Deus. A amizade do mundo exclui a amizade com Deus e a amizade com Deus impede a amizade com o mundo.

Esse sistema chamado “mundo” é governado por um ser maligno. O mundo tem um príncipe que está em oposição a Deus. O príncipe deste mundo é o Diabo.

Ele é mentiroso, ladrão e assassino. Ele é enganador, tentador e destruidor. Veio para roubar, matar e destruir.

Entenda a importância das escolhas para ter uma vida feliz

Este príncipe das trevas mantém as pessoas cativas em sua casa, na sua potestade e no seu reino lúgubre e lôbrego. Ser amigo do mundo é viver debaixo desse influência maligna.

O mundo tem o seu glamour. Suas ofertas são sedutoras. Suas propostas são aparentemente vantajosas.

O Diabo é um embusteiro. Oferece o que não pode dar. Seus banquetes têm muitas taças transbordantes de prazer, mas ao fim são taças cheias de veneno.

Ao mesmo que oferecem prazer, trazem desgosto; ao mesmo tempo que fazem promessas de liberdade, escravizam. Ao mesmo tempo que anunciam vida, pagam com a morte.

Oh, Deus é a fonte da vida! Na sua presença há plenitude de alegria. Ele é a fonte de todo o bem. Só ele pode trazer alegria para a alma, descanso para a mente, alívio para o coração.

Só ele pode tirar o fardo pesado da dor, perdoar os pecados e fazer novas todas as coisas em nossa vida. A amizade de Deus é o mais sublime privilégio da vida. Ser amigo de Deus é desfrutar de alegria indizível e cheia de glória.

Desfrutar da intimidade de Deus é beber as taças da verdadeira felicidade. Obedecer a Deus é a essência do nosso verdadeiro prazer. Só quando conhecemos a amizade de Deus, temos pleno discernimento de quão enganoso é o mundo.

Só quando saboreamos a alegria da vida eterna e os privilégios que ela traz temos uma noção cristalina de quão perverso é o mundo, quão iníquos são seus valores e quão terrível é o Diabo.

É tempo de rompermos com a amizade do mundo. É tempo de olharmos para a vida na perspectiva de Deus e quebrarmos todos os vínculos que ainda tentam nos prender ao mundo.

Saiba mais sobre as amizade offline e online

O caminho do mundo é largo, mas leva à perdição. A porta do mundo é espaçosa, mas conduz à morte. O mundo é uma mentira. Suas vantagens são pura perda. Seus prazeres são notórios pesados. Seu caminho leva ao inferno. Sua amizade é inimiga de Deus.

Porém, a amizade de Deus é o caminho mais seguro para a nossa plena felicidade aqui e por toda a eternidade, uma vez que a própria essência da vida eterna é conhecer a Deus e deleitarmo-nos nele para sempre e sempre.

 

Rev. Hernandes Dias Lopes

Aprenda sobre o tema ‘Uma amizade perigosa’, participe dos cultos da Mocidade Restaurando Vidas, aos sábados, às 19 horas.
Mais informações ligue: (31) 98425-5591 (Raquel Almeida)

Seguindo Jesus Cristo juntos

Seguindo Jesus Cristo juntos convida  você a refletir sobre a importância da família seguir ao Senhor em comunhão.

Entretanto, o que pode se observar no meio cristão é a falta de unidade entre os membros da família.

Em João, capítulo 14, verso 6, Jesus afirma:

“Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém pode vir ao Pai senão por mim”

Jesus é o caminho no qual a família deve andar unida.

Se cada pessoa decidir andar em seus próprios caminhos e vontades, trará consequências ruins para o seio familiar.

A seguir, vejamos algumas atitudes de coração que devem fazer parte da família:

1) Fidelidade (Rt 1.16-18)

Rute, nora de Noemi, demonstrou fidelidade a sogra. Foi com ela morar em outro lugar e servir um Deus que ainda não conhecia.

Infelizmente, nas relações familiares (esposo e esposa, irmãos, pais e filhos) não há fidelidade.

Não há fidelidade a Deus e muitos menos as relações estabelecidas.

E essa fidelidade deve começar com o casal e depois com os filhos.

Saiba qual deve ser a base do seu casamento

2) Andar ombro a ombro (Êx 32.26-28)

Nesse texto apenas os levitas ficaram ao lado de Moisés e fizeram o que o Senhor ordenou.

Deus ofereceu oportunidade ao povo de obedecê-lo, mas apenas os levitas fizeram essa escolha.

Na família todos devem seguir na mesma direção, ter o mesmo pensamento e falar a mesma língua.

Porém, como muitos dos israelitas, na família há também aqueles membros que não querem seguir o caminho correto, mas fazem o que desejam.

E a partir dessa escolha dá-se inicio aos desentendimentos e as diferenças.

A família não é abençoada porque os membros não fazem o que é correto, andam segundo os propósitos da própria carne.

3) Andar na certeza da vitória da família (Jz 7.17 e 18)

Nessa referência bíblia é possível notar a certeza que o povo tinha na vitória, por isso seguiam a Gideão.

A vitória chega a família por meio da unidade entre os membros e a confiança de todos na vitória que Jesus concede aos obedientes.

A família só não é vitoriosa porque não permanece seguindo Jesus Cristo juntos.

4) A família precisa tomar decisões juntos (2 Sm 15.19-22)

Davi fugiu do filho para não ser morto.

E encontrou com um jovem e sua família que escolheram, juntos servir ao rei na batalha.

A decisão foi tomada por toda a família do moço. Eles fizeram uma escolha correta.

Raramente a família se reúne para resolver questões de relacionamento e até mesmo questões financeiras.

Cada um faz as suas escolhas sem consultar os outros.

A família precisa dialogar, entretanto, cada um vive no seu universo: seja no celular, na tv, dormindo ou na companhia de ímpios.

Por isso, há tantos problemas dentro do lar.

5) A família precisa perseverar (2 Rs 2. 1-6)

Eliseu perseverou em seguir Elias.

Infelizmente, nas famílias os homens não têm exercito o papel de sacerdote.

Não oram pelas esposas e muito menos pelos seus filhos. Delegam suas responsabilidades para as esposas.

Porém, o sacerdote e o cabeça do lar não é a mulher, mas o homem.

Mas, não é isso que tem se testemunhado nas famílias evangélicas.

Leia como o marido deve amar sua mulher

6) Confiança (At 12.8 e 9)

Pedro estava preso e a igreja orando pela sua libertação. Deus enviou um anjo em seu auxílio.

E Pedro seguiu exatamente cada instrução dada pelo anjo e conquistou a liberdade.

A falta de confiança tem acometido muitos casamentos.

E onde não há confiança, há desconfiança e isso tem destruído muitos matrimônios.

Com isso, surge a confusão, a degradação e a destruição dos relacionamentos no lar.

Se todos os membros da família dedicar-se em observar cada um dos pontos acima apresentados, com perseverança, verá a mudança que deseja ver no seu lar.

Portanto, examine seu coração e avalie se você tem sido o esposo ou a esposa ou o filho ou o pai ou a mãe que tem sido diligente na prática da Palavra de Deus.

Ouça a mensagem ‘Seguindo Jesus Cristo juntos’ e seja edificado pela Palavra de Deus:
Parte 1:
Parte 2:
Aprenda mais sobre o tema ‘Seguindo Jesus Cristo juntos’, participe do Culto da Família no dia 29 de abril, às 19 horas, na CERV.

Comunicação CERV

Filho, volta

Filho, volta é uma mensagem que trata sobre o perdão e o amor de Deus pelos seus filhos.

É o convite do Senhor para seus filhos, que o abandonaram, para retornarem a casa Dele.

Muitos saíram literalmente da igreja, da Casa de Deus, mas há aqueles que ainda permanecem fisicamente, mas estão com seus corações distantes do Senhor.

O problema em ambas situações é que quanto mais longe de Deus e de seus propósitos, mais difícil fica a volta.

E essa volta torna-se dificultosa porque normalmente as pessoas têm dificuldade de pedir perdão e reconhecer seus erros.

Até apresentam remorso, que parece arrependimento, mas não passa de uma emoção momentânea.

Isso faz com que as pessoas vivam mais distantes dos planos e dos propósitos de Deus.

A questão é que Deus, como Pai, deseja o melhor para os seus filhos. Ele não tem prazer em ver o mal, a derrota ou a desgraça dos seus.

Para ilustrar esse amor imensurável do Senhor como Pai, Jesus contou a seguinte parábola:

“Jesus continuou: “Um homem tinha dois filhos.

O filho mais jovem disse ao pai: ‘Quero a minha parte da herança’, e o pai dividiu seus bens entre os filhos.

Alguns dias depois, o filho mais jovem arrumou suas coisas e se mudou para uma terra distante, onde desperdiçou tudo que tinha por viver de forma desregrada.

Quando seu dinheiro acabou, uma grande fome se espalhou pela terra, e ele começou a passar necessidade.

Convenceu um fazendeiro da região a empregá-lo, e esse homem o mandou a seus campos para cuidar dos porcos.

Embora quisesse saciar a fome com as vagens dadas aos porcos, ninguém lhe dava coisa alguma.

Quando finalmente caiu em si, disse: ‘Até os empregados de meu pai têm comida de sobra, e eu estou aqui, morrendo de fome

Vou retornar à casa de meu pai e dizer: ‘Pai, pequei contra o céu e contra o senhor, e não sou mais digno de ser chamado seu filho. Por favor, trate-me como seu empregado’.

Então voltou para a casa de seu pai. Quando ele ainda estava longe, seu pai o viu. Cheio de compaixão, correu para o filho, o abraçou e o beijou.

O filho disse: ‘Pai, pequei contra o céu e contra o senhor, e não sou mais digno de ser chamado seu filho’.

O pai, no entanto, disse aos servos: ‘Depressa! Tragam a melhor roupa da casa e vistam nele. Coloquem-lhe um anel no dedo e sandálias nos pés.

Matem o novilho gordo. Faremos um banquete e celebraremos, pois este meu filho estava morto e voltou à vida. Estava perdido e foi achado!’. E começaram a festejar.

Enquanto isso, o filho mais velho trabalhava no campo. Na volta para casa, ouviu música e dança, e perguntou a um dos servos o que estava acontecendo.

 O servo respondeu: ‘Seu irmão voltou, e seu pai matou o novilho gordo, pois ele voltou são e salvo!’

O irmão mais velho se irou e não quis entrar. O pai saiu e insistiu com o filho, mas ele respondeu: 

‘Todos esses anos, tenho trabalhado como um escravo para o senhor e nunca me recu­sei a obedecer às suas ordens. E o senhor nunca me deu nem mesmo um cabrito para eu festejar com meus amigos.

Mas, quando esse seu filho volta, depois de desperdiçar o seu dinheiro com prostitutas, o senhor comemora matando o novilho!’.

O pai lhe respondeu: ‘Meu filho, você está sempre comigo, e tudo que eu tenho é seu.

Mas tínhamos de comemorar este dia feliz, pois seu irmão estava morto e voltou à vida. Estava perdido e foi achado!” (Lucas 15.11-32).

O desejo do pai da parábola era o melhor para seus dois filhos. Entretanto, chegou um ponto que o filho mais novo pediu sua herança e partiu da casa do pai.

O que ele não pensou é que longe do Pai, dos caminhos de Deus, não há razão de ser.

No princípio suas escolhas pareciam as mais corretas, afinal, tudo estava dando certo: dinheiro, diversão e muitos amigos.

Porém, depois que o dinheiro acabou, as amizades e alegrias foram embora. E ele ficou só.

Esse jovem estava sozinho, derrotado e em miséria ao ponto de que lhe restava apenas o trabalho e a comida dos porcos.

Muitas das vezes, assim como esse jovem da parábola, as pessoas vão de mal a pior.

E quando estão no fundo do poço reconhecem a miséria espiritual e a derrota que abrange todas as áreas da vida.

Então, nesse momento recordam-se da Casa do Pai.

Nesse momento é necessário fazer uma escolha: permanecer onde está ou retornar para os braços do Pai.

Talvez, seja esse o seu caso, você saiu da presença e da casa do Pai. Está vivendo longe dos propósitos de Deus.

O Senhor tem perdão e amor para você, por isso Ele diz: Filho, volta!

Hoje, o Senhor declara a você: Filho, volta! E para você retornar há dois passos fundamentais:

1- Reconhecer seus pecados e arrepender-se.

2- Regressar definitivamente para a Casa do Pai

Será na presença de Deus, na Casa Dele, que você será restaurado e cuidado para, então, retornar aos propósitos que Ele tem para a sua vida.

O Senhor tem perdão e amor para você, por isso Ele diz: Filho, volta!

Ouça esta canção e seja recebido nos braços do Pai

Filho, volta, pois o amor e o perdão do Pai te espera. Uma nova vida em Cristo Jesus está disponível para você!

Ouça a mensagem ‘Filho, volta’ e receba o amor e o perdão do Pai:

Comunicação CERV

Encontro com Deus

O encontro com Deus faz toda diferença na vida de uma pessoa. Transforma a história de morte, dor, fracasso em uma história vitoriosa.

Entretanto, muitos se encontram com Deus, mas depois deixam de fazer desse encontro uma prática diária, se afastando do Salvador.

O amor esfria e o propósito que tinha de viver para Deus acaba.

Hoje, se você soubesse que tem apenas 48 horas de vida, o quê faria nesses dois dias?

Normalmente as pessoas fazem planos para o futuro, traçam metas, planejam a vida, mas não fazem planos para quando vão morrer.

Nossa cultura conduz o ser humano a pensa dessa forma.

Por exemplo, as crianças não sonham em crescer e morrer. Elas pensam em ficar grandes e depois realizar vários projetos, mas não morrer.

Entretanto, inevitavelmente, todos vão morrer. E cada dia que passa todos estão mais perto de morrer.

“Antes da festa da Páscoa, Jesus sabia que havia chegado sua hora de deixar este mundo e voltar para o Pai. Ele tinha amado seus discípulos durante seu ministério na terra, e os amou até o fim”  João 13.1.

Jesus, no texto acima, sabia que a hora da sua morte estava chegando.

E no final do versículo a Bíblia firma que Ele amou os seus discípulos, as multidões e as pessoas até o fim.

Inclusive aqueles que o perseguiam e que aprovaram a sua morte.

Jesus cumpriu o seu propósito até o seu fim na cruz do calvário: amar a humanidade.

Assim como Jesus tinha um propósito, hoje, os filhos de Deus também têm: o de amar o Senhor até o fim.

Porém, é possível observar que muitos, durante sua peregrinação aqui na Terra, se perdem e se afastam desse propósito.

Não adianta a pessoa ter conquistas nesta vida e até mesmo servir a Deus, se não tiver certeza da salvação.

A salvação é a esperança que faz o filho de Deus prosseguir caminhando enquanto está neste mundo.

E também é esperança de um futuro eterno ao lado do Senhor Jesus na glória.

Por isso, enquanto vida o filho de Deus tiver, deve se dedicar a amar o Senhor de todo o coração.

Só que, infelizmente, a medida que os anos avançam, o que se percebe é que muitos, em vez de amarem mais o Senhor, passam a amar menos.

Será que você é a pessoa que planejou há 5 ou 10 anos? O que você planejou fazer e viver com Deus e para Ele, você está vivendo?

Cristo não amou apenas aqueles com quem ele conviveu pessoalmente, Ele continua amando até hoje. E amará aqueles que Nele crerem.

Entenda sobre o amor que Deus tem pela sua vida

Só que há filhos que trocam o amor do Pai por pouca coisa e com o tempo isso se torna maior que o próprio Deus.

E as pessoa vivem assim, sempre com o pensamento de que uma hora ela vai mudar e dará tempo para fazer o quê não faz hoje.

Mas, a questão é que só há uma vida para ser vivida. E a verdade é que ninguém sabe o dia nem a hora que partirá para a eternidade.

“Logo depois, Jesus foi com seus discípulos à cidade de Naim, e uma grande multidão o seguiu.

Quando ele se aproximou da porta da cidade, estava saindo o enterro do único filho de uma viúva, e uma grande multidão da cidade a acompanhava.

Quando o Senhor a viu, sentiu profunda compaixão por ela. “Não chore!”, disse ele.

Então foi até o caixão, tocou nele e os carregadores pararam. E disse: “Jovem, eu lhe digo: levante-se!”.

O jovem que estava morto se levantou e começou a conversar, e Jesus o devolveu à sua mãe.

Grande temor tomou conta da multidão, que louvava a Deus, dizendo: “Um profeta poderoso se levantou entre nós!” e “Hoje Deus visitou seu povo!”.

Essa notícia sobre Jesus se espalhou por toda a Judeia e seus arredores” (Lc 7.11-17).

Nesta passagem há dois encontros. Duas possibilidades de vida que as pessoas podem ter: alegria e tristeza.

Esses dois sentimentos antagônicos quase que caminham lado a lado, pois todos podem ter situações de alegria e de tristeza ao longo da vida.

Mas um dos momentos mais difíceis que uma pessoa pode enfrentar é a morte. As demais tristezas são mais “fáceis” de superar, mas a morte é difícil.

Por que não fomos criados para perder ou para morrer. Fomos criados para viver eternamente, mas por conta da entrada do pecado no mundo a morte veio como consequência.

Por isso, toda separação de alguém que amamos é tão difícil e dolorosa.

No trecho Bíblico de Lucas, Jesus, acompanhado de uma multidão que havia presenciado a cura do servo do centurião, se encontra com o cortejo fúnebre da viúva que ia enterrar o filho.

É o encontro entre alegria e tristeza. A alegria pela cura acontecida e a tristeza de uma mulher que estava enterrando o único filho.

E Jesus amou aquela mulher e por amor realizou o impossível: trouxe a vida o filho que estava morto.

Esse encontro transformou a tristeza da viúva e da multidão em alegria!

O encontro com Deus é capaz de mudar o histórico de tristeza, derrota e morte!

Encontrar com Deus faz toda a diferença, mas o encontro que você teve há anos, não serve para hoje.

É necessário que você tenha um encontro diário com o Senhor, que renove cada dia seu amor por Ele.

Deus corrige quem Ele ama

O que você tem feito da sua vida? Está exatamente como planejou há alguns anos ou está longe do que tinha pensado?

E o encontro com Deus? É diário ou está precisando rever esse encontro?

Jesus amou até o fim, cumpriu o seu propósito até o fim. E você? Tem amado Deus? tem cumprido o propósito que Ele traçou para a  sua vida?

Ouça a mensagem ‘Encontro com DEUS’ e reflita nessa pergunta:

Comunicação CERV

Amar a Deus: a base do casamento

Ouça a mensagem Amar a Deus: a base do casamento e tenha seu casamento transformado e edificado

Todo problema que acontece entre o casal, no matrimônio, ocorre pela ausência de algo fundamental no relacionamento: amar a Deus sobre todas as coisas.

Para compreender a importância de amar a Deus para o casamento vejamos o que Deus ordena em sua Palavra:

“Estes são os mandamentos, os decretos e os estatutos que o Senhor, seu Deus, me encarregou de lhes ensinar. Não deixem de cumpri-los na terra que em breve vocês possuirão.

Vocês, seus filhos e netos temerão o Senhor, seu Deus, enquanto viverem. Se obedecerem a todos os seus decretos e mandamentos, desfrutarão de vida longa.

Ouça com atenção, Israel, e tenha o cuidado de obedecer. Então tudo irá bem com vocês e terão muitos filhos na terra que produz leite e mel com fartura, exatamente como lhes prometeu o Senhor, o Deus de seus antepassados.

 “Ouça, ó Israel! O Senhor, nosso Deus, o Senhor é único!

Ame o Senhor, seu Deus, de todo o seu coração, de toda a sua alma e de toda a sua força.

Guarde sempre no coração as palavras que hoje eu lhe dou.

Repita-as com frequência a seus filhos. Converse a respeito delas quando estiver em casa e quando estiver caminhando, quando se deitar e quando se levantar.

Amarre-as às mãos e prenda-as à testa como lembrança.

Escreva-as nos batentes das portas de sua casa e em seus portões” (Dt 6.1-9)

O versículo cinco declara que os filhos de Deus devem amá-lo com todo seu coração, alma e força. Entretanto, não é isso que pode ser visto ao observar-se os problemas enfrentados no casamento.

A falta de amor a Deus acelera o processo do fim do casamento

Quando a pessoa escolhe não amar a Deus ela se torna egoísta. E o egoísta jamais amará a Deus. Mesmo que fale, suas atitudes demonstram o contrário.

E essa atitude prova que a Palavra de Deus não está guardada no mais profundo do coração da pessoa.

Triângulo perfeito: homem e mulher buscando Deus resultará em um casamento abençoado

Essa falta da presença de Deus no relacionamento é que resulta em graves problemas causando a dissolução do matrimônio.

Se Deus é que rege esse casamento, ainda que haja dificuldades, no Senhor conseguirão solucionar a situação.

Quando o casal não ama a Deus, não dando lugar no coração para a Palavra, surgem sentimentos malignos, tais como: desamor, falta de respeito, vingança, infidelidade, pirraça, ódio, dentre outros sentimentos terríveis.

E isso oferece a Satanás a oportunidade que Ele precisa para dominar e interferir na relação conjugal.

Saiba como salvar a sua família

Se não é Deus e nem as Suas Palavras que têm ocupado o coração e a mente do casal, com certeza são outras coisas.

Aí podem ser citadas: festas, amizades com pessoas que não temem ao Senhor, programas televisivos que não enriquecem a comunhão com Deus e um com o outro, e etc.

Logo, quem exerce influência e domínio no casamento é Satanás, não O Senhor.

Portanto é necessário que o casal mude começando por morrer para si mesmo e escolher a amar a Deus e a obedecê-lo.

Observe o que o apóstolo Paulo escreve ao marido e a esposa:

“Esposas, sujeite-se cada uma a seu marido, como ao Senhor.

Pois o marido é o cabeça da esposa, como Cristo é o cabeça da igreja. Ele é o Salvador de seu corpo, a igreja.

Assim como a igreja se sujeita a Cristo, também vocês, esposas, devem se sujeitar em tudo a seu marido.

Maridos, ame cada um a sua esposa, como Cristo amou a igreja. Ele entregou a vida por ela,

a fim de torná-la santa, purificando-a ao lavá-la com água por meio da palavra” (Ef 5.22-26).

A mulher deve ser submissa ao marido, mas não ser feita de escrava, pelo contrário, ela é auxiliadora, não empregada.

Homem de verdade faz as mesmas atividades que a esposa dentro de casa.

E deve amar a esposa com o mesmo amor de Cristo.

Se cada um buscar com dedicação ser esse homem e essa mulher será um caminho excelente para o sucesso no casamento.

E que cada um possa, nessa busca de ser homem e a mulher que ama e agrada a Deus, zele pelo seu coração.

“Sobretudo o que se deve guardar, guarda o teu coração, porque dele procedem as fontes da vida” (Pv 4.23)

Aprenda a valorizar seu casamento

Não permita que o Inimigo semeie o mal e contendas um contra o outro, pois é isso que Satanás deseja.

“Pois eu bem sei os planos que estou projetando para vós, diz o Senhor;
planos de paz, e não de mal, para vos dar um futuro e uma esperança.
Então me invocareis, e ireis e orareis a mim, e eu vos ouvirei.
Buscar-me-eis, e me achareis, quando me buscardes de todo o vosso coração.
E serei achado de vós, diz o Senhor” (Jr 29.11-14a)

Como casal, volte-se para o Senhor e abandone as coisas deste mundo e os seus deleites enganosos.

Foque seu coração em buscar o Reino de Deus, pois todas as demais coisas virá como acréscimo da parte do Senhor.

Não se esqueça:

Amar a Deus: a base do casamento

Construa seu casamento numa base sólida e essa base é Deus e a Sua Palavra!

Ouça a mensagem ‘Amar a Deus: a base do casamento’:
Parte1

 

Parte 2

 

 

Comunicação CERV

Parabéns, tia Quita

A manhã deste domingo foi de festa na Comunidade Evangélica Restaurando Vidas, pois celebrou-se os 80 anos da obreira Quita

Comunidade reunida para celebração dos 80 anos da tia Quita

A manhã de hoje foi especial na CERV! Após a Escola Bíblica Dominical, todos se reuniram no templo para celebrar o aniversário da obreira Quita, carinhosamente chamada por todos de “Tia Quita”.

Crianças, adolescentes, jovens, mulheres e homens, cada grupo prestou uma homenagem especial.

Além desses grupos a missionária Nágila Araújo fez um especial cantando o louvor “Quem me vê cantando”.

E, finalizando as homenagens, a pastora Graça Pitzer fez a leitura do texto “Preciosas mãos”, em nome da Comunidade, dela e da sua família.

Emocionada, tia Quita agradeceu aos irmãos todas as palavras e presentes recebidos:

“Se antes eu já orava por vocês agora tenho que orar o dobro! Muito obrigada, eu não mereço tudo isso, Jesus é que merece”, disse tia Quita.

A manhã encerrou-se com uma oração especial pela aniversariante!

Parabéns, tia Quita! Toda a CERV agradece ao Senhor pela sua vida!

A seguir, leia o texto escrito especialmente para a amada irmã tia Quita:

Preciosas mãos

A homenageada da manhã: Tia Quita

Seria possível contar nos dedos das mãos o tempo que ela caminha entre nós?

Duas mãos não conseguiriam, mas podem nos contar muito sobre seus 80 anos de vida.

Elas contam um pouco da sua história, que também é parte da nossa.

Afinal, há 13 anos suas mãos servem conosco.

Seja cozinhando as mais variadas receitas ou na arte de preparar o sabão que traz brilho aos utensílios de nossas cozinhas.

Elas trabalham em benefício do Reino e desta igreja.

Diariamente suas mãos nos afagam de um jeito especial.

Estendidas nos tocam com amor, pois constantemente intercedem por nós perante o Salvador.

Ora servem de instrumento para um telefonema.

Seja no aniversário, para se alegrar conosco; seja para partilhar uma bênção ou, por zelo, porque soube que uma luta nos sobreveio.

Não para dizer palavras vãs e sim declarar: “Eu oro por você todos os dias, meu filho ou minha filha.”

De braços abertos recebe quem a visita e, porque não dizer, também com a mesa posta.

Afinal, ela pensa em tudo e ninguém pode sair da sua casa sem provar do que prepara com tanto amor.

E por falar em preparar… Ah se os missionários soubessem o tempo que suas mãos trabalham.

Elas não se cansam porque sabem que em setembro enviarão refrigério para aqueles que vivem a pregar o Evangelho.

Deus conhece bem estas mãos e a dona delas que há 35 anos caminha com Ele.

Sabe dos sonhos, de cada oração, de cada riso e de cada lágrima.

Está tudo registrado em suas mãos e nos odres das suas orações.

Ele sabe a hora certa de respondê-la. E quantas orações respondidas, hein Tia Quita?

Precisaríamos de 80 anos ou mais para contar os benefícios que Ele te faz.

Mas Ele também abençoou esta Comunidade ao colocá-la aqui para servir conosco até a eternidade.

E eu? O que mais eu poderia dizer? Afinal, são 35 anos que a conheço.

Ovelha fiel, tia e amiga. Quão grata sou pelo terno amor que tem pela minha família.

Sempre nos cobrindo com suas orações e, desde a infância dos meninos, os amando como verdadeiros sobrinhos.

Em muitas lutas e vitórias esteve presente.

Seu exemplo de dedicação ao Reino alegra o meu coração, pois aprendeu a importância de amar Missões.

Hoje, como Comunidade e também como sua pastora, quero honrá-la com a nossa gratidão.

Tê-la conosco é uma bênção! Ouvir seus testemunhos e ver seu esforço para participar dos cultos, da Escola Dominical e de tantas outras programações, é um vívido exemplo de amor ao Senhor.

Obrigada por ser nossa irmã e nossa querida tia Quita!

Que Deus a conceda muitos anos de vida e saúde para servir e caminhar conosco ombro a ombro, sempre na visão que o Espírito Santo tem dado à CERV!

Parabéns, tia Quita!

Amamos muito a senhora!

Veja as fotos desta manhã especial

Comunicação CERV

Conheça a nossa Comunidade, estamos localizados à Rua Érico Veríssimo, 1167 – Santa Mônica- BH/MG.
Mais informações ligue: (31) 3451-5956 ou envie um e-mail para contato@restaurandovidascerv.com.br

Aprendi

Aprendi… e, ao olhar para o ano que se passou, agradeço. Pois vivi experiências que me marcaram e agregaram valores inesquecíveis…

Aprendi que esperar é difícil quando se quer ter o controle de tudo. Mas quando se entrega tudo nas mãos de Deus fica bem mais fácil.

Aprendi que orar é mais do que remédio de última hora, mas de todas as horas.

Aprendi que na Palavra de Deus encontro mais respostas do que minha mente humana consegue formular.

Aprendi que ninguém precisa conhecer e se relacionar com Cristo pela dor. Mas que, ainda assim, é nesse momento que muitos O têm conhecido.

Aprendi que as pessoas gostam de julgar pela aparência. Mas, quando se tem a convicção de quem se é em Cristo, isso não faz diferença.

Aprendi que diploma e carreira são importantes.

Porém, há situações em que eles não farão diferença, mas sim o Cristo que carrego no coração.

Saiba como ser perseverante em 2018

Aprendi que as pessoas sempre questionam as boas ações.

Isso acontece por causa do curso deste mundo. Então, elas estão ficando desacostumadas a ouvir:

“Bom dia!”, “Obrigada” ou “Deixe-me te ajudar!”.

Aprendi que há pessoas que se importam com as suas lutas e dificuldades.

E elas têm sempre a mão estendida, o afago do abraço e palavras de sabedoria.

Aprendi que muitas vezes não serão as suas palavras a consolar alguém, mas a sua presença.

Aprendi que quando faltar palavras, segurar a mão de alguém significa: “Ei, eu estou aqui, conte comigo!”.

Aprendi que todo dia tem muita gente morrendo.

E, ao mesmo tempo, tem muita gente nascendo. E isso torna a criação de Deus ainda mais bela e misteriosa.

Aprendi que quando se esgotam as ações humanas, é aí que Deus entra na história e faz o impossível acontecer.

Aprendi que é preciso acreditar até o fim, mesmo que o fim não aconteça conforme as minhas orações.

Faça metas para 2018

Aprendi que quando se está longe de casa o que mais desejamos é estar lá. Não pela estrutura física, mas pelo aconchego e amor das pessoas que nela moram.

Aprendi que não vale a pena perder tempo com raiva, mágoa e com o passado.

A vida passa tão rápido e o tempo que se perde com esses sentimentos poderia ser investido em perdão, amor e em viver um hoje diferente.

Aprendi que uma lágrima no fim da vida não é só tristeza pela partida, mas a certeza de missão cumprida e carreira percorrida.

Aprendi que nenhum dinheiro nesta terra se compara a alegria de estar no lugar certo e fazendo exatamente o que Deus queria.

Aprendi que amar vai além de dizer: “Eu te amo!”.

Amar é verbo de ação, é presença, é negar a si mesmo.

É muitas vezes ir além dos limites físicos e ainda assim ficar contente porque o outro está bem e feliz.

Aprendi que juntando todos os “aprendis” escritos aqui, mais outros que não couberam, poderia resumir na seguinte sabedoria:

Só vale a pena viver e aprender porque Jesus vive em mim!

Saiba mais sobre os assuntos tratados no texto “Aprendi”, participe dos nossos cultos!
Mais informações ligue: (31) 3451-5956 ou envie um e-mail para: contato@restaurandovidascerv.com.br

Kátia Brito

Ele nos amou primeiro

Ele nos amou primeiro. E esse amor foi manifesto na cruz do Calvário.

E foi na cruz, prestes a morrer, que Jesus fez a proclamação de vitória mais importante da história  da humanidade, quando disse:

Está consumado!

Ele cumpriu a Sua missão, e o que aparentemente foi o maior dos fracassos era, na realidade, a vitória mais incontestável.

Ao render o Espírito, Ele derrotou Satanás, despojou-se de todas as hostes malignas.

E, diferente do que muitos pensam, isso não aconteceu na ressurreição, mas no momento em que Jesus entregou Seu Espírito.

Em Colossenses, capítulo 2, versículo 15, diz que foi na cruz:

E, despojando os principados e as potestades, publicamente os expôs ao desprezo, triunfando deles na cruz

Um homem justo passou pela terra sem curvar-Se ao pecado. O segundo Adão não foi seduzido como o primeiro. Mesmo diante do sofrimento tão extremo, Ele venceu, obedeceu ao Pai em tudo.

Passou pela vida sem contrair a dívida da rebelião. Seu sacrifício foi apresentado no Céu como pagamento pela iniquidade de todos nós.

Na cruz Jesus venceu o pecado, mas era também necessário que vencesse a morte.

Nos três dias que se seguiram à cruz, Ele desceu às regiões mais baixas da terra e enfrentou o inferno.

Aprenda mais sobre o amor e misericórdia de Deus

Quando a justiça divina foi satisfeita e a oferta pelo pecado foi aceita, Deus O ressuscitou. Não era possível que os grilhões da morte O retivesse, de forma alguma.

Em Atos, capítulo 2, verso 24, diz assim:

Ao qual, porém, Deus ressuscitou, rompendo os grilhões da morte; porquanto não era possível fosse Ele retido por ela

Ao ressuscitar, Jesus devolveu a vida eterna aos homens e assumiu toda autoridade nos céus e na terra.

Veja Mateus 28.18, em que Ele diz:

…Toda a autoridade me foi dada no céu e na terra”. E essa autoridade nos foi outorgada por Ele quando disse: “Ide por todo o mundo, pregai o Evangelho a toda criatura

Por isso hoje podemos repousar sobre a graça e essa autoridade. Um homem conseguiu finalmente reaver tudo aquilo que o primeiro Adão tinha perdido.

Ele é o nosso Senhor Jesus Cristo, Filho Unigênito do Pai, que tornou-Se o Primogênito ao nos fazer filhos e filhas do Pai celestial.

Nossa fé está Nele, o centro da nossa vida é Jesus. Hoje Ele vive! Aleluia!

Quando olhamos para o espelho da Bíblia, dizemos que somos cristãos; a palavra ‘cristão’ não significa aquele que é da religião de cristo, mas, sim, aquele no qual Cristo vive.

A nossa fé é essa vida, não é o nosso esforço em ter a vida cristã, mas a nossa rendição em permitir que Cristo viva por meio da nossa vida.

Que glorioso é isso! Nós O amamos porque Ele nos amou primeiro. Ninguém nos ama mais do que Ele, ninguém nos perdoa como Ele.

Ele é o centro da nossa vida. Se hoje temos vida, é porque um dia Ele deu a própria vida para que tivéssemos vida em abundância. Glorificado seja Seu nome hoje e sempre!

Pr. Márcio Valadão

Aprenda mais sobre o assunto “Ele nos amou primeiro”, participe do Culto da Restauração. Realizado ás terças, às 19:30, na CERV (Rua Érico Veríssimo, 1167- Santa Mônica).
Mais informações ligue (31) 3451-5956 ou envie um e-mail para: contato@restaurandovidascerv.com.br

A diferença que Jesus faz na família

O texto de João 2.1-11, nos fala que Jesus foi a uma festa de casamento.

Por meio deste evento, podemos aprender algumas lições que podem restaurar a sua vida e salvar o seu casamento:

1- Jesus é a pessoa mais importante a ser convidada para o casamento. Ele estava presente naquele casamento e salvou aquela família de um grande constrangimento.

A maior necessidade das famílias hoje é a presença de Jesus.

2- Precisamos discernir com rapidez quando a alegria está acabando. Maria percebeu que o vinho estava acabando e que alguma coisa deveria ser feita. O vinho é símbolo da alegria.

Muitos casamentos naufragam porque os cônjuges não discernem as crises no seu nascedouro. Deixam o tempo passar sem nenhuma atitude tomar.

Aprenda como batalhar pela sua família

3- Precisamos recorrer à pessoa certa na hora da crise. Maria buscou a Jesus.

O segredo da felicidade conjugal não é a ausência de problemas, mas ter sabedoria e pressa para levar os problemas a Jesus.

Contudo, muitos casais, ao entrarem em crise, cavam cisternas rotas onde não há água. Buscam ajuda em caminhos que só os fazem desviar mais da vereda da felicidade.

4- Precisamos obedecer e fazer o que Jesus manda. Ele mandou os serventes encherem de água as talhas.

Sempre que o casal se dispõe a obedecer prontamente a Palavra de Deus, o vinho da alegria começa a jorrar de novo dentro do lar.

5- Precisamos ser guiados pela fé e não pelos nossos sentimentos. Aqueles serventes creram e encheram de água as talhas.

O milagre da transformação acontece quando nos dispomos a crer, mesmo que a nossa razão não consiga explicar.

6- Quando Jesus intervém na família, o melhor sempre vem depois. O vinho que Jesus ofereceu era de melhor qualidade. Assim, os melhores dias do casamento não são os da lua de mel e sim os que se seguem à entrada de Jesus na família.

Quando Ele reina plenamente a vida conjugal se torna mais consistente, profunda e madura.

Saiba como proteger sua família do mal

7- Quando Jesus intervém na família, as pessoas glorificam a Deus e passam a crer nele. Não há milagre maior do que uma família transformada. Jesus é o mesmo hoje.

Ele pode restaurar também a alegria lá na sua casa e fazer florescer no seu coração a esperança de uma nova vida, de uma família cheia de verdor e felicidade!

Rev. Hernandes Dias Lopes

Aprenda sobre “A diferença que Jesus faz na família”. Participe do Culto da Família, celebrado hoje, às 19 horas, na CERV.
Mais informações ligue: (31) 3451-5956 ou envie um e-mail para: contato@restaurandovidascerv.com.br

Página 1 de 3

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén