Tag: amizade

Amizade e preconceitos

No último domingo (21), as crianças aprenderam com a Tia Carmen sobre o tema: amizade e preconceitos

Tia Carmen

O segundo domingo do Mês das Crianças na CERV foi celebrado com muita alegria, pois neste dia, a Tia Carmen da 8ª Igreja Presbiteriana de BH contou uma estória especial.

A estória se passou numa tarde em um jardim, no qual havia uma variedade de flores e borboletas. Em certo momento do dia uma tempestade atinge o jardim colocando a prova o valor da amizade.

“Meu objetivo é que elas entendessem que todos nós temos valor e somos especiais para Deus. E também como é importante amar sem preconceitos e cuidar dos nosso amigos.”, compartilhou a Tia Carmen.

Saiba como foi o primeiro domingo do Mês das Crianças

Para as crianças as palavras da Tia Carmen ficarão eternizadas, principalmente porque participaram da estória interpretando flores e borboletas.

“As crianças estavam tão contentes e se envolveram totalmente com a estória. Por isso, cremos que as palavras que ouviram, sobre amizade e preconceitos, gerará frutos para hoje e para o futuro”, disse a Obrª Maria Antônia, responsável pela programação do Mês das Crianças.

Finalizando a noite, a irmã Carmen abençoou as crianças lembrando que “Meninos e meninas foram chamados a amar as pessoas, independente da sua aparência ou limitação, pois todas são importantes para Jesus!”, finalizou.

Ore pelas crianças!

Porque os pais devem participar com seus filhos

O Mês das Crianças é para os pequeninos, entretanto, também é um período do ano no qual os pais são convidados a refletir sobre a criação dos seus filhos e a relembrar a infância, com sua alegria e pureza.

Quem está aproveitando bem este mês são Wanderson de Paula Santos e Jaqueline de Oliveira Gonçalves Santos, pais da Ágatha Paula de Oliveira Gonçalves Santos, de 5 anos de idade.

Ágatha

“Tem sido dias de muito aprendizado para nós e também para nossa filha. Ela está amando a programação deste mês. Ontem, por exemplo, na apresentação da Tia Carmen, ela ficou muito contente, maravilhada em ter sido uma flor. Eu, como mãe, fiquei mais feliz ainda! Por isso, falo para todos os pais que tragam seus filhos porque fazendo isso, estarão plantando a semente da Palavra de Deus no coração dos filhos”, contou Jaqueline Oliveira.

 

Portanto, se você ainda não trouxe seu filho (a) ou algum pequenino para participar da programação do Mês das Crianças não se preocupe, pois ainda não acabou! Veja as próximas datas:

Festa das Crianças
27/10/18 Festa das Crianças Tia Kátia
28/10/18 Contação de estória e apresentação musical Rocha Brothers

 

Festa das crianças será no próximo sábado

Crianças participando da estória

No próximo sábado, 27 de outubro, a partir das 14 horas, será realizada a Festa das Crianças. A entrada é gratuita e é para crianças de todas as idades.

“Convide um vizinho, parente e amigo que tem uma criança em casa para estar conosco. Será uma tarde muito agradável, com músicas, brincadeiras, estória e uma surpresa especial”, convida a Obrª Maria Antônia.

Aprenda mais sobre a importância de ensinar sobre Amizade e preconceitos para a sua criança. Participe dos cultos da CERV:
Na terça, às 19h30, Culto da Restauração
Na sexta, às 19h30, Culto das Causas Impossíveis

Comunicação CERV

E Jesus? perdido na história

E Jesus? perdido na história. Se alguém perguntasse se Jesus está próximo de você, qual seria sua resposta? ‘Sim, somos íntimos!’ ou ‘não, faz tempo que nem sei onde deixei Jesus’.

 

Entretanto, o triste é que muitos afirmam que estão em comunhão com Cristo baseadas na presença em cultos, atividades e eventos da igreja. Porém, isso não é garantia de relacionamento e intimidade com Deus.

 

A Bíblia relata que Maria, José e Jesus, foram celebrar a páscoa indo ao Templo. Após apresentarem seus sacrifícios retornaram para casa, mas no caminho de três dias perceberam que Jesus não estava com eles.

 

“Ora, todos os anos iam seus pais a Jerusalém à festa da páscoa; E, tendo ele já doze anos, subiram a Jerusalém, segundo o costume do dia da festa.
 
 
E, regressando eles, terminados aqueles dias, ficou o menino Jesus em Jerusalém, e não o soube José, nem sua mãe.
 
 
Pensando, porém, eles que viria de companhia pelo caminho, andaram caminho de um dia, e procuravam-no entre os parentes e conhecidos;
 
E, como o não encontrassem, voltaram a Jerusalém em busca dele.
 
E aconteceu que, passados três dias, o acharam no templo, assentado no meio dos doutores, ouvindo-os, e interrogando-os.
 
 
E todos os que o ouviam admiravam a sua inteligência e respostas.
 
 
E quando o viram, maravilharam-se, e disse-lhe sua mãe: Filho, por que fizeste assim para conosco? Eis que teu pai e eu ansiosos te procurávamos.
 
 
E ele lhes disse: Por que é que me procuráveis? Não sabeis que me convém tratar dos negócios de meu Pai?
 
E eles não compreenderam as palavras que lhes dizia.
 
E desceu com eles, e foi para Nazaré, e era-lhes sujeito. E sua mãe guardava no seu coração todas estas coisas.
 
 
E crescia Jesus em sabedoria, e em estatura, e em graça para com Deus e os homens (Lucas 2.41-52)”.
 
Como os pais de Jesus, muitos têm o perdido por causa de escolhas que vão contra a Palavra de Deus. Estão sinceramente enganados pensando que a presença na igreja faz delas intimas de Jesus, mal sabem que estão mais longe do que nunca!
Não são os atos de religiosidade que conduz o homem a Deus, mas sim o relacionamento estabelecido com Ele, no coração. Veja a vida dos fariseus: participavam das celebrações, sacrifícios, festas, oravam, dizimava e até ensinavam as Leis, entretanto seus corações estavam longe do Senhor.
A comunhão com o Corpo de Cristo faz parte do crescimento espiritual, mas não é garantia de intimidade com Deus. Intimidade é construída na intimidade, só a pessoa e Deus. O ir a igreja é um resultado desse relacionamento.
 Muitas pessoas iniciam bem sua trajetória ao lado de Jesus, têm intimidade com Ele, mas, no meio do caminho vão permitindo o engano entrar no coração e o que não era normal, passa a ser normal. Quando alguém diz: “Ah! isso não tem nada a ver!”, pode saber que o engano já está alojado no coração.

 E Jesus? perdido na história.

 Jesus ficou para trás e a pessoa continua no caminho do pecado, longe, distante e com os lábios permanece afirmando: “Jesus está comigo! Eu sou de Jesus!
Será que é mesmo?  Leia o que Jesus declarou acerca da igreja de Laodicéia:
“E ao anjo da igreja de Laodicéia escreve: Isto diz o Amém, a testemunha fiel e verdadeira, o princípio da criação de Deus:
Conheço as tuas obras, que nem és frio nem quente; quem dera foras frio ou quente!
Assim, porque és morno, e não és frio nem quente, vomitar-te-ei da minha boca.
Como dizes: Rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta; e não sabes que és um desgraçado, e miserável, e pobre, e cego, e nu;
Aconselho-te que de mim compres ouro provado no fogo, para que te enriqueças; e roupas brancas, para que te vistas, e não apareça a vergonha da tua nudez; e que unjas os teus olhos com colírio, para que vejas.
Eu repreendo e castigo a todos quantos amo; sê pois zeloso, e arrepende-te.
Eis que estou à porta, e bato; se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele comigo.
Ao que vencer lhe concederei que se assente comigo no meu trono; assim como eu venci, e me assentei com meu Pai no seu trono.
Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas” (Apocalipse 3.14-22). 
 
 
 No texto bíblico, Jesus acusa a Igreja de não ser quente, nem fria e que por ser morna o seu desejo era de  vomitá-la. Em outras palavras: é melhor que viva logo no mundo do que permanecer dentro da igreja vivendo de aparência!
 
Jesus não está interessado em ativismo, de fazer, fazer e fazer. Ele está interessado no ser, ser e ser. O coração, o que está dentro dele é que interessa o Senhor.
E Jesus? perdido na história.
Perdido na história de muitos que nominalmente se declaram crentes, mas não o são. Vivem de aparência, vivem no engano e com isso a história está paralisada, não há progressos.
No texto acima, de Apocalipse, o Senhor aconselha que as pessoas deem ouvidos as suas palavras, a correção, para terem mudança de vida. A saírem da condição de morno para ser quente.
A pessoa que é quente é cheia da presença do Espírito Santo e vive um relacionamento de intimidade com Jesus. Vive com Ele e para Ele fora do culto.
Ouça a mensagem ‘E Jesus? perdido na história’ e pense sobre como está seu relacionamento com o Senhor:

 

Comunicação CERV

Famílias vivendo em sabedoria e comunhão

Famílias vivendo em sabedoria e comunhão ensina a importância de cada membro da família viver segundo a Palavra de Deus.

 

pais, avós, filhos, netos

Para entender como desempenhar seu papel com excelência, veja o que a Bíblia diz:

“Ensine os homens mais velhos a serem sóbrios, dignos de respeito, sensatos, e sadios na fé, no amor e na perseverança.
Semelhantemente, ensine as mulheres mais velhas a serem reverentes na sua maneira de viver, a não serem caluniadoras nem escravizadas a muito vinho, mas a serem capazes de ensinar o que é bom.
Assim, poderão orientar as mulheres mais jovens a amarem seus maridos e seus filhos, a serem prudentes e puras, a estarem ocupadas em casa, e a serem bondosas e sujeitas a seus próprios maridos, a fim de que a palavra de Deus não seja difamada.
Da mesma maneira, encoraje os jovens a serem prudentes.
Em tudo seja você mesmo um exemplo para eles, fazendo boas obras. Em seu ensino, mostre integridade e seriedade” (Tito 2.2-7).

As orientações acima são úteis para que, cada um, agindo conforme a Bíblia, contribua para que a família viva em sabedoria.

 

A sabedoria é muito importante para o lar, pois é a base forte dos relacionamentos e da vida espiritual da família.

 

O lar deve ser um lugar de paz, de vida, onde todos sintam-se felizes e contentes de estar e também retornar.

 

Em Provérbios 24.3 e 4 Salomão bem observou:

 

Com sabedoria se constrói a casa, e com discernimento se consolida. Pelo conhecimento os seus cômodos se enchem do que é precioso e agradável

 

Famílias que escolhem construir as bases dos seus relacionamentos sobre a sabedoria (Bíblia) desfruta de bênção e riquezas sobrenaturais.

 

Saiba como realizar o culto doméstico

 

As famílias que negligenciam a Palavra de Deus estão fadadas ao fracasso espiritual.

 

Então, além da oração, jejum e estudo da Palavra é importante que cada pessoa vigie, principalmente no falar.

 

O seu falar seja sempre agradável e temperado com sal, para que saibam como responder a cada um Cl 4.6

 

Usar as palavras com sabedoria é fundamental para manter a comunhão, para que não haja quebra dos laços de amor.

 

Entenda como é importante servir dentro do seu lar

 

Uma forma de manter a comunhão na família é exercer o diálogo e o compartilhar por meio de reuniões.

 

Essas reuniões são de suma importância para as decisões financeiras que atingem a família e reparar as arestas nos relacionamentos.

 

Portanto, para se ter Famílias vivendo em sabedoria e comunhão, é importante:

  1. Fundamentar o lar na Palavra de Deus
  2. Criar oportunidades para a comunhão por meio do culto e reuniões

 

Comunhão com Deus, com a Palavra e uns com os outros.

 

Ouça a mensagem ‘Famílias vivendo em sabedoria e comunhão’ e edifique a sua casa:

 

Comunicação CERV

Uma amizade perigosa

Infiéis, não compreendeis que a amizade do mundo é inimiga de Deus? Aquele, pois, que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus” (Tg 4.4).

O mundo, kosmos, aqui, não é o mundo físico, geográfico ou habitado pelo homens, mas um sistema de valores que está em aberta oposição a Deus e à sua palavra.

Não se trata de algo material, mas espiritual. Não se refere à criação, mas à cosmovisão que conspira contra os preceitos de Deus.

É uma maneira ver a vida, a família, a sociedade, a igreja, o dinheiro, o sexo, os prazeres, as oportunidades, o tempo e a eternidade deixando de lado a realidade de Deus e de sua Palavra.

Ser amigo desse sistema é um ato de infidelidade a Deus. É como um adultério espiritual.

Deus firmou um pacto conosco, onde somos o seu povo e ele é o nosso Deus. Estamos numa relação de aliança com ele. Devemos a ele fidelidade e obediência.

Portanto, ser amigo do mundo, amar o mundo e conformar-se com o mundo, é virar as costas para Deus, repudiá-lo e ser infiel a ele.

Consequentemente, a amizade do mundo é inimiga de Deus. Não dá para ser amigo de Deus e do mundo ao mesmo tempo.

É impossível viver enamorado do mundo e ter comunhão com Deus. A amizade do mundo exclui a amizade com Deus e a amizade com Deus impede a amizade com o mundo.

Esse sistema chamado “mundo” é governado por um ser maligno. O mundo tem um príncipe que está em oposição a Deus. O príncipe deste mundo é o Diabo.

Ele é mentiroso, ladrão e assassino. Ele é enganador, tentador e destruidor. Veio para roubar, matar e destruir.

Entenda a importância das escolhas para ter uma vida feliz

Este príncipe das trevas mantém as pessoas cativas em sua casa, na sua potestade e no seu reino lúgubre e lôbrego. Ser amigo do mundo é viver debaixo desse influência maligna.

O mundo tem o seu glamour. Suas ofertas são sedutoras. Suas propostas são aparentemente vantajosas.

O Diabo é um embusteiro. Oferece o que não pode dar. Seus banquetes têm muitas taças transbordantes de prazer, mas ao fim são taças cheias de veneno.

Ao mesmo que oferecem prazer, trazem desgosto; ao mesmo tempo que fazem promessas de liberdade, escravizam. Ao mesmo tempo que anunciam vida, pagam com a morte.

Oh, Deus é a fonte da vida! Na sua presença há plenitude de alegria. Ele é a fonte de todo o bem. Só ele pode trazer alegria para a alma, descanso para a mente, alívio para o coração.

Só ele pode tirar o fardo pesado da dor, perdoar os pecados e fazer novas todas as coisas em nossa vida. A amizade de Deus é o mais sublime privilégio da vida. Ser amigo de Deus é desfrutar de alegria indizível e cheia de glória.

Desfrutar da intimidade de Deus é beber as taças da verdadeira felicidade. Obedecer a Deus é a essência do nosso verdadeiro prazer. Só quando conhecemos a amizade de Deus, temos pleno discernimento de quão enganoso é o mundo.

Só quando saboreamos a alegria da vida eterna e os privilégios que ela traz temos uma noção cristalina de quão perverso é o mundo, quão iníquos são seus valores e quão terrível é o Diabo.

É tempo de rompermos com a amizade do mundo. É tempo de olharmos para a vida na perspectiva de Deus e quebrarmos todos os vínculos que ainda tentam nos prender ao mundo.

Saiba mais sobre as amizade offline e online

O caminho do mundo é largo, mas leva à perdição. A porta do mundo é espaçosa, mas conduz à morte. O mundo é uma mentira. Suas vantagens são pura perda. Seus prazeres são notórios pesados. Seu caminho leva ao inferno. Sua amizade é inimiga de Deus.

Porém, a amizade de Deus é o caminho mais seguro para a nossa plena felicidade aqui e por toda a eternidade, uma vez que a própria essência da vida eterna é conhecer a Deus e deleitarmo-nos nele para sempre e sempre.

 

Rev. Hernandes Dias Lopes

Aprenda sobre o tema ‘Uma amizade perigosa’, participe dos cultos da Mocidade Restaurando Vidas, aos sábados, às 19 horas.
Mais informações ligue: (31) 98425-5591 (Raquel Almeida)

Parabéns, tia Quita

A manhã deste domingo foi de festa na Comunidade Evangélica Restaurando Vidas, pois celebrou-se os 80 anos da obreira Quita

Comunidade reunida para celebração dos 80 anos da tia Quita

A manhã de hoje foi especial na CERV! Após a Escola Bíblica Dominical, todos se reuniram no templo para celebrar o aniversário da obreira Quita, carinhosamente chamada por todos de “Tia Quita”.

Crianças, adolescentes, jovens, mulheres e homens, cada grupo prestou uma homenagem especial.

Além desses grupos a missionária Nágila Araújo fez um especial cantando o louvor “Quem me vê cantando”.

E, finalizando as homenagens, a pastora Graça Pitzer fez a leitura do texto “Preciosas mãos”, em nome da Comunidade, dela e da sua família.

Emocionada, tia Quita agradeceu aos irmãos todas as palavras e presentes recebidos:

“Se antes eu já orava por vocês agora tenho que orar o dobro! Muito obrigada, eu não mereço tudo isso, Jesus é que merece”, disse tia Quita.

A manhã encerrou-se com uma oração especial pela aniversariante!

Parabéns, tia Quita! Toda a CERV agradece ao Senhor pela sua vida!

A seguir, leia o texto escrito especialmente para a amada irmã tia Quita:

Preciosas mãos

A homenageada da manhã: Tia Quita

Seria possível contar nos dedos das mãos o tempo que ela caminha entre nós?

Duas mãos não conseguiriam, mas podem nos contar muito sobre seus 80 anos de vida.

Elas contam um pouco da sua história, que também é parte da nossa.

Afinal, há 13 anos suas mãos servem conosco.

Seja cozinhando as mais variadas receitas ou na arte de preparar o sabão que traz brilho aos utensílios de nossas cozinhas.

Elas trabalham em benefício do Reino e desta igreja.

Diariamente suas mãos nos afagam de um jeito especial.

Estendidas nos tocam com amor, pois constantemente intercedem por nós perante o Salvador.

Ora servem de instrumento para um telefonema.

Seja no aniversário, para se alegrar conosco; seja para partilhar uma bênção ou, por zelo, porque soube que uma luta nos sobreveio.

Não para dizer palavras vãs e sim declarar: “Eu oro por você todos os dias, meu filho ou minha filha.”

De braços abertos recebe quem a visita e, porque não dizer, também com a mesa posta.

Afinal, ela pensa em tudo e ninguém pode sair da sua casa sem provar do que prepara com tanto amor.

E por falar em preparar… Ah se os missionários soubessem o tempo que suas mãos trabalham.

Elas não se cansam porque sabem que em setembro enviarão refrigério para aqueles que vivem a pregar o Evangelho.

Deus conhece bem estas mãos e a dona delas que há 35 anos caminha com Ele.

Sabe dos sonhos, de cada oração, de cada riso e de cada lágrima.

Está tudo registrado em suas mãos e nos odres das suas orações.

Ele sabe a hora certa de respondê-la. E quantas orações respondidas, hein Tia Quita?

Precisaríamos de 80 anos ou mais para contar os benefícios que Ele te faz.

Mas Ele também abençoou esta Comunidade ao colocá-la aqui para servir conosco até a eternidade.

E eu? O que mais eu poderia dizer? Afinal, são 35 anos que a conheço.

Ovelha fiel, tia e amiga. Quão grata sou pelo terno amor que tem pela minha família.

Sempre nos cobrindo com suas orações e, desde a infância dos meninos, os amando como verdadeiros sobrinhos.

Em muitas lutas e vitórias esteve presente.

Seu exemplo de dedicação ao Reino alegra o meu coração, pois aprendeu a importância de amar Missões.

Hoje, como Comunidade e também como sua pastora, quero honrá-la com a nossa gratidão.

Tê-la conosco é uma bênção! Ouvir seus testemunhos e ver seu esforço para participar dos cultos, da Escola Dominical e de tantas outras programações, é um vívido exemplo de amor ao Senhor.

Obrigada por ser nossa irmã e nossa querida tia Quita!

Que Deus a conceda muitos anos de vida e saúde para servir e caminhar conosco ombro a ombro, sempre na visão que o Espírito Santo tem dado à CERV!

Parabéns, tia Quita!

Amamos muito a senhora!

Veja as fotos desta manhã especial

Comunicação CERV

Conheça a nossa Comunidade, estamos localizados à Rua Érico Veríssimo, 1167 – Santa Mônica- BH/MG.
Mais informações ligue: (31) 3451-5956 ou envie um e-mail para contato@restaurandovidascerv.com.br

Amigo de Deus

A Bíblia relata em João 1.12 que Cristo veio para os seus, mas os seus não o receberam. O propósito da vinda de Jesus Cristo era de restabelecer a aliança do povo para com Deus. Entretanto, os judeus rejeitaram o Salvador.

Deus demonstrou seu amor para com as pessoas que não eram merecedoras desse amor, mas ainda assim Ele amou.

E não muito diferente da época que Jesus veio a terra, hoje, muitos declaram amá-Lo e que desejam amá-Lo mais, entretanto perante circunstância e problemas logo deixam de amar a Jesus.

Porém, é possível verificar que ao contrário das pessoas que declaram amar a Deus, mas não amam. Há aquelas que verdadeiramente dedicaram um amor fiel para com o Pai.

Um exemplo de amigo de Deus que a Bíblia nos relata é Abraão. Ele foi chamado amigo de Deus, pois escolheu caminhar e investir tempo no seu relacionamento com o Senhor.

Outro exemplo bíblico é o de David. Um jovem pastor de ovelhas e depois um grande rei que amava a Deus, louvava ao Senhor, se dedicava de coração ao seu relacionamento com o Senhor.

E você? Se enquadra em qual tipo de pessoa: a que diz amar a Deus mas demonstra o contrário com palavras e atitudes ou aquelas que amam e desenvolvem um relacionamento sincero e amoroso com o Senhor?

Ouça está mensagem e permita que o Espírito Santo revele que tipo de pessoa você tem sido para com Deus:
Conheça o nosso ministério, faça-nos uma visita! Estamos localizados à Rua Érico Veríssimo, 1167 – Santa Mônica. Mais informações, ligue: (31) 3451-5956 ou envie um e-mail para: contato@restaurandovidascerv.com.br 

O devocional diário (parte 1)

Cresci num lar cristão e aprendi sobre a importância de se manter um período devocional diário com Deus. Tanto por preceitos, como pelo exemplo de meus pais, soube desde criança que devemos cultivar este tempo à parte com o Senhor.

Há algo poderoso por trás desta prática, como estaremos analisando. Mas, preciso admitir que mesmo aprendendo que todo cristão deva ter seu período devocional com Deus, falhei centenas e centenas de vezes no que diz respeito a isto.

Falhei em períodos em que não estive tão intensamente envolvido com Deus e Seu Reino, falhei também depois de estar bem comprometido com o Senhor e ministerialmente amadurecido.

Portanto, quero iniciar nossa reflexão declarando que nem sempre erramos por falta de conhecer determinados princípios bíblicos, mas muitas vezes por mera falta de disciplina.

Sei que a maioria dos crentes de hoje não costuma investir diariamente num período de devoção com Deus. Muitos cometem este erro por falta de ensino e esclarecimento, outros por falta de cobrança e estímulo e, claro, há ainda aqueles que erram por pura negligência.

Não quero me dirigir a um ou outro grupo em separado, mas aos três. Aos que conhecem a base bíblica deste princípio, convido-os a reverem aquilo que um dia aprenderam e dedicar-se à prática.

Aos que estão recebendo este ensino pela primeira vez, apelo para que absorvam estes princípios e passem a vivê-los.

Quanto aos deliberadamente negligentes, espero que se arrependam e também ordenem seus passos nesta área.

Precisamos compreender o valor e resultados provenientes do devocional diário.

Então seremos estimulados a trazê-lo para a experiência diária. E ao fazê-lo, entraremos numa dimensão mais profunda de intimidade com o Senhor.

Deus espera que o busquemos todos os dias. Isto parece ficar bem claro na oração-modelo que Jesus nos ensinou: “…o pão nosso de cada dia nos dá hoje…” (Mt 6.11).

Jesus ensinou a nos colocarmos diariamente diante do Pai Celeste e buscar Sua provisão para aquele dia. E quanto ao dia seguinte?

Devemos voltar a buscar ao Senhor a cada novo dia. Cristo declarou:

“Portanto não vos inquieteis com o dia de amanhã, pois o amanhã trará os seus cuidados; basta ao dia o seu próprio mal.” (Mt 6.34).

Mesmo sendo ensinados a depender de Deus para nossa provisão, o que percebemos é que o caminho bíblico proposto é ir a Ele em oração diariamente.

E que as respostas divinas vêm em cotas “diárias”, não mais do que isto. Há uma relação entre este ensino do Senhor Jesus e o que ocorreu nos dias de Moisés quanto ao maná, o pão do céu.

Depois que a nação de Israel deixou o Egito, e saiu pelo deserto, em direção à Canaã, viu-se em dificuldades para ter seu próprio alimento, uma vez que, em viagem, não tinham tempo nem condições para plantar e colher.

E começaram a murmurar contra Deus e contra Moisés. E o relato bíblico nos revela o que aconteceu:

“Então o Senhor disse a Moisés: eis que vos farei chover do céu pão, e o povo sairá, e colherá diariamente a porção para cada dia, para que eu ponha à prova se anda na minha lei ou não”. (Êxodo 16.4)

A cada novo dia os israelitas tinham que se levantar em busca do pão. Deus queria que fosse exatamente assim.

“Disse-lhes Moisés: Ninguém deixe dele para a manhã seguinte. Eles, porém, não deram ouvidos a Moisés, e alguns deixaram do maná para o dia seguinte; porém deu bichos e cheirava mal. E Moisés se indignou contra eles. Colhiam-no, pois, manhã após manhã, cada um quanto podia comer; porque, em vindo o calor, se derretia”. (Êxodo 16.19-21)

O que temos aqui não é só uma lição de dependência, mas os parâmetros divinos para a forma de Seu povo se relacionar com Ele!

Parece-nos que era justamente isto que acontecia no Jardim do Éden, onde Deus visitava Seus filhos na viração do dia (Gn 3.8).

O plano de Deus para nosso relacionamento com Ele envolve a busca diária. Mas temos uma inclinação a errar justamente aí.

É só observar o que ocorreu com os israelitas no deserto: mesmo sendo advertidos para não colher mais do que a porção diária do maná, alguns deles tentaram fazê-lo. Porquê?

Por puro comodismo, para não precisar levantar cedo e ter o mesmo trabalho no dia seguinte, uma vez que quando o sol se levantava, o maná derretia.

A humanidade vive procurando atalhos para todas as coisas. Como diminuir o serviço e tornar tudo mais cômodo parece ser uma das áreas em que mais vemos progresso e avanços tecnológicos!

A ideia é simplificar tudo o que for possível. As crianças de hoje só usam fraldas descartáveis; temos o freezer e o microondas; a embalagem longa vida; o telefone celular, e uma infinidade de outras coisas que foram inventadas em nome da praticidade.

E não estou reclamando. Eu, como a maioria, gosto disto. Mas temos transportado esta ideia para o nosso relacionamento com Deus. Isto ocorre desde o início da humanidade.

Os israelitas demonstraram estar dentro deste mesmo tipo de pensamento quando acharam que poderiam “driblar” a regra da busca diária. E nós também continuamos presos à mesma forma de pensar, milhares de anos depois.

Não há meios de se trabalhar com estoque, no que diz respeito à presença de Deus. Devemos buscá-Lo a cada novo dia. O que experimentamos Dele num dia, não servirá para o dia seguinte. Este princípio aparece muito na simbologia bíblica.

Através do profeta Jeremias o Senhor repreendeu Seu povo por não praticar um princípio essencial no relacionamento com Ele: o de reconhecê-Lo como manancial de águas vivas.

Manancial ou cisterna?

“Porque dois males cometeu o meu povo: a mim me deixaram, o manancial de águas vivas, e cavaram cisternas, cisternas rotas, que não retêm as águas”. (Jeremias 2.13)

Naqueles dias não havia água encanada, e o povo dependia dos mananciais para sua sobrevivência. Entretanto, tanto pela falta do manancial como pelo comodismo de não precisar buscar água todos os dias, as pessoas passaram a usar cisternas.

A cisterna era um reservatório de água de chuva, e era muito prática, uma vez que evitava o trabalho de se ir diariamente atrás de uma fonte.

Temos muitos exemplos bíblicos de pessoas indo aos poços para buscar água. Isto era algo comum a todos, razão pela qual Deus escolhe justamente esta figura para ilustrar a verdade espiritual que o Seu povo necessitava ouvir e entender.

Qualquer um sabe que há uma diferença na qualidade da água proveniente da fonte e do poço. Mas o que Deus está dizendo não é algo ligado à qualidade da água, mas ao fato de que, espiritualmente falando, as cisternas não funcionam.

Deus chamou as cisternas que Seu povo vinha cavando de rotas, que não podiam reter as águas.

Portanto, nesta comparação que o Senhor faz, a conclusão é única: quem bebe da fonte tem a água, enquanto que quem tenta a cisterna acaba ficando sem água!

Muitos de nós achamos que é possível “driblar” o princípio da busca diária e tentamos “encher nosso reservatório” nos cultos.

Há pessoas que durante toda a semana não oram e nem leem a Bíblia, mas acham que um culto é suficiente para mantê-las abastecidas. Era disto que Deus falava.

Porque preferimos encher nossa cisterna em vez de ir diariamente à fonte? Talvez por mero comodismo, mas o fato é que temos falhado numa área vital de nosso relacionamento com o Pai Celeste.

Ninguém sobrevive de estoque em sua vida espiritual. Não existe uma espécie de “crente-camelo” que enche o tanque e agüenta quarenta dias no deserto!

Creio que esta é uma área importantíssima a ser ordenada em nossas vidas. Não há nada que nos leve a estar mais próximos de Deus do que o relacionamento diário.

Esta ideia de beber da fonte é usada por Deus em toda a Bíblia. E  penso que isto serve para cultivar em nós uma mentalidade correta de nosso relacionamento com Ele.

Leia e medite nos seguintes textos:

João 4.10,13,14; João 7.37,38; Apocalipse 7.11; Apocalipse 22.17

Pr. Luciano Subirá

Na próxima quarta, publicaremos a segunda parte deste estudo!

Hoje tem Encontro da Mocidade

Jovens, neste sábado, às 18 horas, acontece nosso último Encontro da Mocidade do mês de Novembro, participem!

mocidade-cervNo mês de novembro, a Mocidade CERV tem se reunido, às 18 horas,  para compartilhar experiências pessoais a partir da leitura de textos encontrados da Palavra de Deus.

Todos têm a oportunidade de contar algo que estejam passando em suas vidas e de ouvir as experiências dos irmãos, o que tem sido de bênção para o fortalecimento da fé de cada um.

Tem sido um tempo especial de comunhão e crescimento da Mocidade CERV. Programe-se e esteja conosco neste sábado, pois será uma bênção!

Atenção!! A partir de Dezembro a Mocidade volta a celebrar seus cultos no horário das 19 horas!

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén