Tag: amar

Encontro com Deus

O encontro com Deus faz toda diferença na vida de uma pessoa. Transforma a história de morte, dor, fracasso em uma história vitoriosa.

Entretanto, muitos se encontram com Deus, mas depois deixam de fazer desse encontro uma prática diária, se afastando do Salvador.

O amor esfria e o propósito que tinha de viver para Deus acaba.

Hoje, se você soubesse que tem apenas 48 horas de vida, o quê faria nesses dois dias?

Normalmente as pessoas fazem planos para o futuro, traçam metas, planejam a vida, mas não fazem planos para quando vão morrer.

Nossa cultura conduz o ser humano a pensa dessa forma.

Por exemplo, as crianças não sonham em crescer e morrer. Elas pensam em ficar grandes e depois realizar vários projetos, mas não morrer.

Entretanto, inevitavelmente, todos vão morrer. E cada dia que passa todos estão mais perto de morrer.

“Antes da festa da Páscoa, Jesus sabia que havia chegado sua hora de deixar este mundo e voltar para o Pai. Ele tinha amado seus discípulos durante seu ministério na terra, e os amou até o fim”  João 13.1.

Jesus, no texto acima, sabia que a hora da sua morte estava chegando.

E no final do versículo a Bíblia firma que Ele amou os seus discípulos, as multidões e as pessoas até o fim.

Inclusive aqueles que o perseguiam e que aprovaram a sua morte.

Jesus cumpriu o seu propósito até o seu fim na cruz do calvário: amar a humanidade.

Assim como Jesus tinha um propósito, hoje, os filhos de Deus também têm: o de amar o Senhor até o fim.

Porém, é possível observar que muitos, durante sua peregrinação aqui na Terra, se perdem e se afastam desse propósito.

Não adianta a pessoa ter conquistas nesta vida e até mesmo servir a Deus, se não tiver certeza da salvação.

A salvação é a esperança que faz o filho de Deus prosseguir caminhando enquanto está neste mundo.

E também é esperança de um futuro eterno ao lado do Senhor Jesus na glória.

Por isso, enquanto vida o filho de Deus tiver, deve se dedicar a amar o Senhor de todo o coração.

Só que, infelizmente, a medida que os anos avançam, o que se percebe é que muitos, em vez de amarem mais o Senhor, passam a amar menos.

Será que você é a pessoa que planejou há 5 ou 10 anos? O que você planejou fazer e viver com Deus e para Ele, você está vivendo?

Cristo não amou apenas aqueles com quem ele conviveu pessoalmente, Ele continua amando até hoje. E amará aqueles que Nele crerem.

Entenda sobre o amor que Deus tem pela sua vida

Só que há filhos que trocam o amor do Pai por pouca coisa e com o tempo isso se torna maior que o próprio Deus.

E as pessoa vivem assim, sempre com o pensamento de que uma hora ela vai mudar e dará tempo para fazer o quê não faz hoje.

Mas, a questão é que só há uma vida para ser vivida. E a verdade é que ninguém sabe o dia nem a hora que partirá para a eternidade.

“Logo depois, Jesus foi com seus discípulos à cidade de Naim, e uma grande multidão o seguiu.

Quando ele se aproximou da porta da cidade, estava saindo o enterro do único filho de uma viúva, e uma grande multidão da cidade a acompanhava.

Quando o Senhor a viu, sentiu profunda compaixão por ela. “Não chore!”, disse ele.

Então foi até o caixão, tocou nele e os carregadores pararam. E disse: “Jovem, eu lhe digo: levante-se!”.

O jovem que estava morto se levantou e começou a conversar, e Jesus o devolveu à sua mãe.

Grande temor tomou conta da multidão, que louvava a Deus, dizendo: “Um profeta poderoso se levantou entre nós!” e “Hoje Deus visitou seu povo!”.

Essa notícia sobre Jesus se espalhou por toda a Judeia e seus arredores” (Lc 7.11-17).

Nesta passagem há dois encontros. Duas possibilidades de vida que as pessoas podem ter: alegria e tristeza.

Esses dois sentimentos antagônicos quase que caminham lado a lado, pois todos podem ter situações de alegria e de tristeza ao longo da vida.

Mas um dos momentos mais difíceis que uma pessoa pode enfrentar é a morte. As demais tristezas são mais “fáceis” de superar, mas a morte é difícil.

Por que não fomos criados para perder ou para morrer. Fomos criados para viver eternamente, mas por conta da entrada do pecado no mundo a morte veio como consequência.

Por isso, toda separação de alguém que amamos é tão difícil e dolorosa.

No trecho Bíblico de Lucas, Jesus, acompanhado de uma multidão que havia presenciado a cura do servo do centurião, se encontra com o cortejo fúnebre da viúva que ia enterrar o filho.

É o encontro entre alegria e tristeza. A alegria pela cura acontecida e a tristeza de uma mulher que estava enterrando o único filho.

E Jesus amou aquela mulher e por amor realizou o impossível: trouxe a vida o filho que estava morto.

Esse encontro transformou a tristeza da viúva e da multidão em alegria!

O encontro com Deus é capaz de mudar o histórico de tristeza, derrota e morte!

Encontrar com Deus faz toda a diferença, mas o encontro que você teve há anos, não serve para hoje.

É necessário que você tenha um encontro diário com o Senhor, que renove cada dia seu amor por Ele.

Deus corrige quem Ele ama

O que você tem feito da sua vida? Está exatamente como planejou há alguns anos ou está longe do que tinha pensado?

E o encontro com Deus? É diário ou está precisando rever esse encontro?

Jesus amou até o fim, cumpriu o seu propósito até o fim. E você? Tem amado Deus? tem cumprido o propósito que Ele traçou para a  sua vida?

Ouça a mensagem ‘Encontro com DEUS’ e reflita nessa pergunta:

Comunicação CERV

O culto doméstico

O culto doméstico é uma prática que tem sido negligenciada por muitas famílias evangélicas.

Porém, esta escolha vai contra a Palavra de Deus que afirma a importância dessa prática para as famílias.

Em 2 Timóteo, capítulo 3, dos versículos 14 ao 17, encontramos uma evidência de que o jovem pastor Timóteo recebeu em casa o ensino da Palavra:

“Você, porém, deve permanecer fiel àquilo que lhe foi ensinado. Sabe que é a verdade, pois conhece aqueles de quem aprendeu.

 Desde a infância lhe foram ensinadas as Sagradas Escrituras, que lhe deram sabedoria para receber a salvação que vem pela fé em Cristo Jesus.

Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para nos ensinar o que é verdadeiro e para nos fazer perceber o que não está em ordem em nossa vida. Ela nos corrige quando erramos e nos ensina a fazer o que é certo.

Deus a usa para preparar e capacitar seu povo para toda boa obra”

A Palavra afirma que Timóteo, desde criança recebeu o ensino das Sagradas Escrituras da mãe e da avó.

E isto nos revela que o lar é o local onde a Palavra de Deus deve ser ensinada. E esse ensino acontece por meio do culto doméstico.

Porém, muitos não têm inserido essa prática espiritual em seus lares.

Alguns por não terem recebido este ensino e outros porque pensam que o culto deve ser celebrado apenas quando os filhos são pequenos.

Em Deuteronômio, capítulo 6, dos versículos 4 ao 7, Deus decreta uma ordem aos seus filhos:

“Ouça, ó Israel! O Senhor, nosso Deus, o Senhor é único.

Ame o Senhor, seu Deus, de todo o seu coração, de toda a sua alma e de toda a sua força.

Guarde sempre no coração as palavras que hoje eu lhe dou.

Repita-as com frequência a seus filhos. Converse a respeito delas quando estiver em casa e quando estiver caminhando, quando se deitar e quando se levantar.”

O culto doméstico está ficando extinto

Dentre estas ordens estava a de ensinar os filhos em casa sobre Deus e suas leis (Bíblia).

O lar é a primeira escola, o lugar onde a família tem os primeiros ensinos sobre a Palavra de Deus.

E é a presença desta Palavra, guardada e alimentada,  no coração, que gera vida para a família:

“Meu filho, preste atenção ao que digo; ouça bem minhas palavras.

Não as perca de vista; mantenha-as no fundo do coração.

Pois elas dão vida a quem as encontra e saúde a todo o corpo.

Acima de todas as coisas, guarde seu coração, pois ele dirige o rumo de sua vida” (Pv 4.20-23).

Seja jovens casais sem filhos, casais mais velhos que os filhos já não estão mais em casa ou famílias com jovens e adolescentes.

Não importa, todos devem realizar o culto doméstico para que a vida de Deus seja presente e a vida espiritual da família seja abençoada.

Portanto, se você não tem feito o culto doméstico, faça conserto com Deus e comece hoje mesmo a implantar essa adoração no seu lar.

Ouça a mensagem ‘O Culto Doméstico’ e permita que o Espírito Santo revele ao seu coração esta Palavra:

Comunicação CERV

Crianças não são mini adultos

Crianças não são mini adultos, porém por muitos anos na história, juntamente a mulheres e idosos, elas foram tratadas à margem da civilização.

Esses grupos não possuíam:  título de cidadãos, direitos e não participavam das decisões da polis (cidade).

Até a metade do século XVIII, as crianças eram tratadas como mini adultos.

Elas eram vistas desta forma por que a única diferença consistia nos aspectos físicos relacionados ao seu crescimento e desenvolvimento.

Saiba como proteger seu filho das investidas do Inimigo

Inclusive, o próprio termo “infância” somente foi inventado anos mais tarde, a partir da percepção de que a criança possui necessidades diferentes dos adultos, e que são seres que precisam de mais atenção e cuidados especiais, além de melhores condições de vida para o seu desenvolvimento saudável.

Atualmente, apesar das diversas normativas de proteção à infância e a adolescência, temos visto muitos ataques a esse público.

Músicas explicitamente pornográficas, desenhos, filmes, jogos e séries com conteúdos impróprios. Além disso, exposições culturais que induzem a criança ao toque à nudez.

Esses são alguns dos meios que têm sido usados para influenciar nossas crianças e adolescentes, expondo-os a universos destrutivos para suas formações psíquicas.

Diante desse cenário caótico, cabe a todos nós o compromisso da proteção da infância e do cuidado com o outro.

Se você é pai, atente-se ao que o seu filho tem visto na TV, às músicas que ele ouve e aos lugares que frequenta.

Leia as mensagens do WhatsApp, assista com seu filho a série que ele mais gosta e tenha um olhar crítico sobre a mensagem que ela passa.

Traga seu filho a nossa igreja no mês de outubro

Estimule as crianças com brincadeiras e jogos saudáveis, e preencha o seu tempo com leitura da Bíblia e músicas cristãs. Esteja atento aos ataques malignos: eles são sutis!

Texto adaptado de Aléxia Duarte, portal lagoinha.com

Aprenda mais sobre “Crianças são mini adultos”, participe da Escola Bíblica Dominical realizada aos domingos, ás 9 horas, na CERV.
Mais informações ligue (31) 3451-5956 ou envie um e-mail para: contato@restaurandovidascerv.com.br

 

Ele nos amou primeiro

Ele nos amou primeiro. E esse amor foi manifesto na cruz do Calvário.

E foi na cruz, prestes a morrer, que Jesus fez a proclamação de vitória mais importante da história  da humanidade, quando disse:

Está consumado!

Ele cumpriu a Sua missão, e o que aparentemente foi o maior dos fracassos era, na realidade, a vitória mais incontestável.

Ao render o Espírito, Ele derrotou Satanás, despojou-se de todas as hostes malignas.

E, diferente do que muitos pensam, isso não aconteceu na ressurreição, mas no momento em que Jesus entregou Seu Espírito.

Em Colossenses, capítulo 2, versículo 15, diz que foi na cruz:

E, despojando os principados e as potestades, publicamente os expôs ao desprezo, triunfando deles na cruz

Um homem justo passou pela terra sem curvar-Se ao pecado. O segundo Adão não foi seduzido como o primeiro. Mesmo diante do sofrimento tão extremo, Ele venceu, obedeceu ao Pai em tudo.

Passou pela vida sem contrair a dívida da rebelião. Seu sacrifício foi apresentado no Céu como pagamento pela iniquidade de todos nós.

Na cruz Jesus venceu o pecado, mas era também necessário que vencesse a morte.

Nos três dias que se seguiram à cruz, Ele desceu às regiões mais baixas da terra e enfrentou o inferno.

Aprenda mais sobre o amor e misericórdia de Deus

Quando a justiça divina foi satisfeita e a oferta pelo pecado foi aceita, Deus O ressuscitou. Não era possível que os grilhões da morte O retivesse, de forma alguma.

Em Atos, capítulo 2, verso 24, diz assim:

Ao qual, porém, Deus ressuscitou, rompendo os grilhões da morte; porquanto não era possível fosse Ele retido por ela

Ao ressuscitar, Jesus devolveu a vida eterna aos homens e assumiu toda autoridade nos céus e na terra.

Veja Mateus 28.18, em que Ele diz:

…Toda a autoridade me foi dada no céu e na terra”. E essa autoridade nos foi outorgada por Ele quando disse: “Ide por todo o mundo, pregai o Evangelho a toda criatura

Por isso hoje podemos repousar sobre a graça e essa autoridade. Um homem conseguiu finalmente reaver tudo aquilo que o primeiro Adão tinha perdido.

Ele é o nosso Senhor Jesus Cristo, Filho Unigênito do Pai, que tornou-Se o Primogênito ao nos fazer filhos e filhas do Pai celestial.

Nossa fé está Nele, o centro da nossa vida é Jesus. Hoje Ele vive! Aleluia!

Quando olhamos para o espelho da Bíblia, dizemos que somos cristãos; a palavra ‘cristão’ não significa aquele que é da religião de cristo, mas, sim, aquele no qual Cristo vive.

A nossa fé é essa vida, não é o nosso esforço em ter a vida cristã, mas a nossa rendição em permitir que Cristo viva por meio da nossa vida.

Que glorioso é isso! Nós O amamos porque Ele nos amou primeiro. Ninguém nos ama mais do que Ele, ninguém nos perdoa como Ele.

Ele é o centro da nossa vida. Se hoje temos vida, é porque um dia Ele deu a própria vida para que tivéssemos vida em abundância. Glorificado seja Seu nome hoje e sempre!

Pr. Márcio Valadão

Aprenda mais sobre o assunto “Ele nos amou primeiro”, participe do Culto da Restauração. Realizado ás terças, às 19:30, na CERV (Rua Érico Veríssimo, 1167- Santa Mônica).
Mais informações ligue (31) 3451-5956 ou envie um e-mail para: contato@restaurandovidascerv.com.br

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén